sexta-feira, 29 de agosto de 2014

TEM EXPLICAÇÃO?.

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

Para os adéptos da Doutrina Espírita, tem.


- Esta foto, tirada em julho de 2013 e que até hoje faz muito sucesso na web, mostra a pequena Penny, então com dois anos, em imagem feita com um celular. Até aí, tudo bem. O detalhe assombroso ficou por conta de parte de um rosto que aparece atrás dela. Assim que viu o registro, a família reconheceu a avó da menina (que aparece em foto antiga no centro, com a mesma roupa em que está perto da garotinha), morta em 1990. O caso aconteceu no estado americano de Rhode Island. Após a repercussão da imagem em vários veículos internacionais, a foto foi analisada por especialistas, que garantiram que não houve qualquer alteração e, portanto, a imagem seria verdadeira

Fonte: Bol.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A PROTETORA DAS SAÚVAS







MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):


Para fingir que não é política, a Protetora das Saúvas persegue o poder com a fantasia de retirante de buti.











Um dia o prefeito da maior capital do país se definiu como alguém que não era de centro, nem de direita e nem de esquerda. Entendi que ele era de baixo.

Agora temos uma política profissional – sempre viveu disso – repetindo o discurso de Collor: cuidado com os políticos (os outros). O perigo maior é ela própria.
Messiânica, com ar de retirante de butique, seringueira de Brasília e acusadora de todos os que ousam discordar do que diz, Marina Silva faz lembrar o que de pior temos nestas terras tupiniquins: o antigo PT, dono de ética e das verdades. Deu no que sabemos. Difícil escolher entre o descaramento explícito e a desfaçatez silenciosa.
Uma escolha entre Dilma e Marina não é sequer um plebiscito. É uma roleta russa. Envolta em panos (caros) e echarpes (mais ainda), Marina se porta frente aos marineiros como guru a ser idolatrado. Concorda com tudo e não assume nada. Diz platitudes que, se não têm consistência, ao menos entendemos. Entendemos?
Como uma madre Teresa do Acre, cultiva a figura que tenta ser uma Quixote de saias. Mesmo sendo um Sancho Pança famélico.
Não é contra nada. Mas sempre longe de ser a favor de algo, pois para ser a favor é preciso ter ideias.
Dizer-se sucessora de dois ex-presidentes é o cúmulo da prepotência. Quer ser a continuidade e oposição ao mesmo tempo. Quer ser herdeira sem ter sido aliada de um deles. Pelo outro foi usada e usou a imagem de pobres e nordestinos. Uma falta de vergonha e compostura que envergonha qualquer povo da floresta, da cidade ou do butequim.
Quem em sã consciência é contra a luz elétrica? Ter como programa o apoio à luz elétrica é tão assustador quanto pretender ser presidente e contar com quadros (que a Rede de Embalar Idiotas não tem) de outros partidos. Um ministério com Aloysio Nunes e José Dirceu? Com Álvaro Dias e Ideli? Todos irmanados em mantras matinais quando a salvadora e casta presidente adentrar qualquer ambiente?
Marina Silva é um engodo. A Rede sabe disso. Eduardo Campos também sabia. O que ela tem de valioso são os votos de quem, sem entender o que diz, prefere uma frase com pé e sem cabeça a frases sem uma coisa nem outra, como as despejadas por Dilma. É pouco. Muito pouco.
Tancredo morreu e herdamos Sarney. Eduardo deixou essa coisa amorfa e arrogante que se julga a nova dona do Brasil
Triste destino nos tem dado a Velha Senhora. Joga com a vida e morte escolhendo o absurdo para além da morte em si.
Marina escolheu o PSB por falta absoluta de opção. Continua apoiando petistas do Acre e do Rio de Janeiro. Continua sem saber que economia é ciência e não slogan de sonháticos e pesadeláticos.
Continua a criar uma seita, que neste início é ainda mais sectária que o PT.
Acha que em se plantando tudo dá, mesmo que seja no quintal das casas dos protegidos pela falta de estrutura. Não enxerga o agronegócio. Assim como o idiotizado Suplicy (isso explica a amizade que os une) é monotemática. Alguém se lembra de UMA ÚNICA palavra de Marina sobre a saúde e os médicos cubanos? Ou a agressão a Yoani Sanches? Política fiscal? Inflação? Política de desenvolvimento da indústria? Agências reguladoras? Sobre os 39 ministérios e Ali Lula Babá? Sobre a amante Rosemary? Sabe-se o que ela pensa sobre política externa? Infraestrutura? Exportações? Política de emprego e renda?
São detalhes para os marineiros. Na visão taca

nha desse grupo, que lembra antigos bandos de hippies em Arembepe, mais importantes são os povos da floresta, a plantação de mandioca e a sustentabilidade que NUNCA foi explicada com clareza.
Marina é insustentável. Insuportável. Despreparada. Fruto de um destino cruel com Eduardo Campos. Dona da verdade. Aproveitadora de partidos e lutas que não são dela.
Marina é – esta sim – um Collor repaginado.
O Caçador de Marajás saiu do Planalto a pontapés do Planalto (aliás, onde estava Marina naquela época?). Quem está tentando entrar é a Protetora das Saúvas, uma praga que agora age em rede.

(Fonte: ¨blog¨do Jornalista Augusto Nunes).

terça-feira, 26 de agosto de 2014

MORDENDO A LÍNGUA











MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
N.E. Os grifos em vermelhos são nossos, com o objetivo do comentário):
A Presidanta e seu partido tentam de todas as formas tapar o sol com peneiras. Ou seja: ludibriar a nação.










Com o passar dos anos, as pessoas mudam muito. Por exemplo: a Dilma que foi ao ar na noite desta segunda-feira no Jornal Nacional não tinha nada a ver com a Rousseff que prevaleceu na sucessão de 2010 como protótipo da eficiência gerencial. Em menos de quatro anos, a personagem perdeu o colorido e o discurso. Hoje, surpreende mais pelas perguntas que é obrigada a ouvir do que pelas respostas que não consegue dar.

Já na primeira pergunta, Willian Bonner pronunciou o vocábulo “corrupção” uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete vezes. No seu governo houve uma série de escândalos de corrupção, disse ele. Houve corrupção na pasta da Agricultura, corrupção nas Cidades, nos Esportes… Houve escândalo de corrupção na Saúde, nos Transportes… Houve corrupção no Turismo, no Trabalho… A Petrobras é alvo de duas CPIs.


Bonner, finalmente, indagou: qual é a dificuldade de se cercar de pessoas honestas, que lhe permitam formar uma equipe de governo honesta, que evite esta situação que nós vimos de repetidos casos de corrupção? Não há uma sensação no ar de que o PT descuida da questão da corrupção?


A Dilma de 2010, durona e irascível, talvez colocasse o inquiridor petulante para fora da biblioteca do Alvorada a pontapés. A Rousseff de 2014, treinada para suportar o insuportável, repetiu o mesmo lero-lero ensaiado que vem recitando na série de entrevistas e sabatinas que a campanha eleitoral lhe impõe.


No meu governo e no do presidente Lula, a Polícia Federal ganhou autonomia, ela respondeu. Nos nossos governos, o procurador-geral não é chamado de engavetador-geral da República. Criamos a CGU e a Lei de Acesso à Informação, blá, blá, blá…


Antes famosa por mandar para o olho da rua ministros pilhados em malfeitos, Dilma agora defende o lixo que varreu. Muitos daqueles que foram identificados pela mídia como praticantes de atos indevidos foram posteriormente inocentados, declarou, abstendo-se de dar pseudônimo aos bois.


E Bonner: em quatro casos de corrupção, a senhora trocou um ministro por alguém que era do mesmo partido e do mesmo grupo político. Isso não é trocar seis por meia dúzia? Nesse ponto, Dilma citou como evidência do apuro ético de sua administração o caso da chantagem do PR. Em troca de 1min15s de propaganda no rádio e na tevê, o partido do mensaleiro preso Valdemar Costa Neto exigiu a demissão do ministro Cesar Borges (Transportes).


Fui muito criticada por ter substituído o César Borges pelo Paulo Sérgio, declarou a presidente-candidata. Ora, o Paulo Sérgio foi meu ministro e foi ministro do presidente Lula. Quando saiu do ministério, ele ficou dentro do governo noutro cargo importante, que é da Empresa de Planejamento Logístico. O Cesar Borges o substituiu. Posteriormente, eu troquei o César Borges novamente pelo Paulo Sérgio. E o César Borges também ficou dentro do governo, na Secretaria de Portos. Os dois são pessoas que eu escolhi.


Mas não foi exigência do partido?, estranhou Bonner. Dilma enforcou-se com a própria corda: os partidos podem fazer exigências, ela consentiu. Mas eu só aceito quando considero que ambos são pessoas íntegras, competentes, com tradição na área. Troquei porque eu tinha confiança nessas pessoas. Hummm… O telespectador ficou sem entender porque Dilma entregou o escalpo de Cesar Borges ao PR, partido de notória reputação, se o considerava um ministro assim, digamos, irrepreensível.


Na sequência, Bonner esfregou, por assim dizer, o mensalão na face da anfitriã. Seu partido teve um grupo de elite de pessoas corruptas, declarou. Comprovadamente corruptas, enfatizou. Foram julgadas, condenadas e enviadas à prisão, voltou a realçar. Eram corruptos, insistiu. E o PT tratou esses condenados por corrupção como guerreiros, vítimas de injustiça. Isso não é ser condescendente com a corrupção?


A exemplo do que fizera noutras entrevistas, Dilma recorreu à desconversa: eu sou presidente da República, afirmou, como se desejasse convencer-se a si própria de sua condição privilegiada. Não faço nenhuma observação sobre julgamentos realizados pelo Supremo Tribunal Federal. Sabe por quê? Porque a Constituição exige que o presidente da República respeite a autonomia dos outros Poderes.


Mas a senhora condena o comportamento do PT?, insistiu o entrevistador. Eu tenho minhas opiniões pessoais, mas não julgo ações do Supremo, Dilma voltou a escorregar. Bonner perseverou: e quanto à ação do partido? Enquanto eu for presidente, não externo opinião a respeito de julgamento do Supremo, repetiu a entrevistada, como um disco de vinil arranhado.


Entre venenoso e generoso, Bonner ofereceu a Dilma uma derradeira oportunidade para distanciar sua presidência do escândalo que tisnou a gestão do padrinho-antecessor: mas candidata, a pergunta que eu lhe fiz foi sobre a postura do seu partido. Qual sua posição a respeito da postura do seu partido?


Mais lulodependente do que nunca, Dilma preferiu arrastar as correntes dos fantasmas alheios: não vou tomar nenhuma posição que me coloque em confronto com o STF, aceitando ou não. Eu respeito a decisão da Suprema Corte brasileira. Isso não é uma questão subjetiva. Para exercer a Presidência, eu tenho de fazer isso.


De duas, uma: ou Dilma concorda com Lula, que disse que o julgamento dos mensaleiros foi “80% político”, ou aprova as condenações e silencia apenas para não fazer a pose de um navio abandonando os ratos. O petismo não toleraria tamanha afronta.


Patrícia Poeta mudou de assunto. Corrupção não é o único problema, disse ela. A saúde continua sendo a maior preocupação dos brasileiros, segundo o Datafolha. Isso depois de 12 anos de governos do PT. Mais de uma década não foi tempo suficiente para colocar a saúde nos trilhos?


Convidada a fazer um balanço de três mandatos, Dilma falou do Mais Médicos, um programa improvisado em cima da perna, no ano passado, nas pegadas do ronco das ruas de junho. Nós enfrentamos um dos mais graves desafios que há na Saúde, a candidata afirmou. Nós tivemos uma atitude muito corajosa, ela acredita. Contratamos 14.462 médicos, incluindo os cubanos. Cinquenta milhões de brasileiros que não tinham atendimento médico passaram a ter.


A entrevistadora foi ao ponto: a senhora diria, então, diante dos nossos telespectadores, que enfrentam filas e filas nos hospitais, que muitas vezes são atendidos em macas e não conseguem fazer um exame de diagnóstico, que a situação da Saúde no nosso país é minimamente razoável depois de 12 anos de governos do PT?


Não, não acho, não acho, viu-se compelida a admitir Dilma, com a ênfase de três negativas. Quando se imaginava que ela serviria às câmeras uma autocrítica, a candidata dividiu as culpas com governadores e prefeitos. O Brasil precisa também de uma reforma federativa, porque há responsabilidades federais, estaduais e municipais, disse Dilma, antes de repisar a tese segundo a qual o Mais Médicos levou 50 milhões de brasileiros para o Éden da saúde.


Cutucada sobre a inflação alta e o PIB baixo, Dilma serviu o kit básico de desculpas: a crise internacional, o excesso de pessimismo e a perspectiva de melhorias neste segundo semestre. Convidada a utilizar os segundos finais da entrevista para enumerar seus planos para o segundo mandato, declarou o seguinte:


“Fui eleita para dar continuidade aos avanços do governo Lula. Ao mesmo tempo, nós preparamos o Brasil para um novo ciclo de crescimento. O Brasil moderno, mais inclusivo, mais produtivo, mais competitivo. Nós criamos as condições para o país dar um salto, colocando a educação no centro de tudo. E isso significa, Bonner, que nós queremos continuar a ser um país de classe média. Cada vez maior a participação da classe média, mais oportunidades para todos… Eu acredito no Brasil. Acho que, mais do que nunca, todos nós precisamos acreditar no Brasil e diminuir o pessimismo. E peço o voto dos telespectadores e…'' Acabou o tempo, interrompeu Bonner.


Restou a impressão de que, por mais que seus sucessivos entrevistadores tentem, Dilma nunca vai chorar pelo leite derramado durante o seu governo. O diabo é que os 35% de eleitores que a rejeitam parecem achar importante saber quem derramou o leite, por quê e em que circunstâncias… Até para que o fenômeno não se repita num eventual segundo mandato.


Dilma pede um voto de confiança. Mas um telespectador refratário à reeleição talvez pergunte aos seus botões: por que diabos eu deveria confiar uma bandeja com um copo de leite a uma presidente que se esquiva de explicar desastres que envergonhariam qualquer garçom de boteco? Aliás, se fossem repetidas num botequim, algumas das perguntas que soaram no Alvorada talvez terminassem numa troca de sopapos. Mas a Dilma de 2014 já não é a mesma Rousseff de 2010. Ela mudou muito. E não deixou endereço 
(FONTE:OLHA DE SÃO PAULO JOSIAS DE SOUZA

JN - Dilma mudou muito, e não deixou endereço
19/08/2014 04:59). 
 
 


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

NET ILUDE CLIENTES




MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A NET em Brasília, faz propaganda enganosa. Vende pacotes de serviços e não cumpre compromissos assumidos. Quando interpelada judicialmente, omite fatos e documentos. Nega-se a fornecer os respectivos números de protocolos das ligações telefônicas, causando assim inúmeros prejuízos aos adquirentes. O que também nos causa espécie, são as 'vistas-grossas' da Justiça que, inesplicavelmente aceita documentos que não condizem com a verdade. Será que a grana destinada as campanhas pelas operadoras têm influencia?







(Mtb/Ba-2634).




sábado, 23 de agosto de 2014

DÚVIDAS TERRÍVEIS

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A matéria abaixo refere-se a uma indagação de uma confrade espírita e por via de consequencia de vários outros.





             

             
Eu gostaria de ler, aqui, as várias opiniões espiritualistas sobre esse tipo de morte : um homem de 49 anos, cheio de energia, que desejava o bem de nosso país, no auge de sua carreira política, com uma família de 5 filhos, etc...
       
Além de tudo, desencarnou no mesmo dia de seu avô (13 de agosto), Miguel Arraes, também político expressivo...
       
Esse tipo de acontecimento me lembra a "sina" que parece perseguir a família Kennedy nos EUA.
    
Será que eles tinham alguma ligação com o passado do país ? Algum compromisso a resgatar ?
      
Enfim, aguardo suas opiniões...

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

RACHA DO PARTIDO

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

Uma crise interna no PSB com as saídas de coordenadores da campanha. Líderes do Partido evitam que a saída de Carlos Siqueira, ganhe maior proporção. Acusando Marina, o secretário-geral da sigla, propalava que a candidata tenta tomar conta do partido. O presidente nacional, Roberto Amaral, dizia de maneira enfática "não haver ruído" na campanha de Marina. Tentou ainda colocar 'panos quentes', afirmando que a reação de Siqueira era de cunho pessoal e sem conteúdo político. O estopim da crise deveu-se a uma discussão entre Siqueira e Marina, que, tertia anunciado os nomes que a Rede indicaria para a nova composição da coordenação da campanha. Ocorre que, este fato só beneficiará aos demais candidatos à Presidência.






sábado, 16 de agosto de 2014

PERÍSPIRITO E O CORPO FÍSICO













MOMENTOBRASIL.COM(comentário):



As necessidades mútuas entre o períspirito e o corpo físico vão explicadas abaixo.









O corpo físico é um verdadeiro remédio de equilíbrio para o espírito em sua fase de evolução, pois ele ajuda a cada encarnação, reconstituir os danos causados pela mente ao corpo espiritual que é o perispírito. O reflexo do perispírito faz com que o novo corpo físico se molde de acordo com a necessidade de restauração mental que o espírito precisa para seguir seu curso dentro da harmonia do planeta e o universo que Deus criou.

Algumas deformidades físicas são o reflexo de abusos causados em outras encarnações que levaram na atual, reconstituir o equilíbrio mental e físico para a futura encarnação.

O corpo é um estágio de disciplina mais perfeito para o espírito que foi constituído para os espíritos primários em sua jornada para a angelitude, concluindo as promessas do Mestre Jesus Cristo quando disse: “Na casa de meu Pai, existem várias moradas e mundos felizes”. Não é amanhã que estaremos nestes planos de felicidades, basta olharmos para dentro de nós mesmos e ver o quanto teremos que reencarnar e aprimorar o nosso espírito de uma forma real de evolução.
Temos que, com esse corpo físico, participar das atividades e responsabilidades com a sociedade, família e nação com paz e equilíbrio, não se revoltando, nem deixarmos nos levar pelo desânimo, mas ver a cada gesto um aprendizado, tiver conclusões positivas para si mesmos e não dizer que estamos com a verdade, mas sim, buscando a verdadeira razão de existir e viver.
Tudo no mundo é fruto da inteligência do Criador, que é Deus, até o mais simples espírito, considerado um germe se arrastando sob o solo deste planeta como um indigente ou farrapo humano.
Amanhã, esse mesmo espírito burilado por si mesmo, poderá brilhar sua luz em uma encarnação futura e vocês por imprudência poderão ser o próximo a se arrastar pelo mundo em busca da sua própria luz. Assim, é a evolução do espírito, bastam determinar que caminho trilhar, pois cada um é dono do seu destino.

Fonte: Site Mensagens de Luz

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O LUTO NA POLÍTICA








MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A queda de uma aeronave de última geração nas condições em que ocorreu em Santos, realmente surpreende a todos






'Potência máxima' de avião no momento da queda é uma das hipóteses para causa do acidente

De acordo com a análise feita por peritos que atuam na investigação das causas do acidente, as características dos destroços do jato Citation, que levava Eduardo Campos e outras seis pessoas, indicam que, ao cair, a aeronave estava em "potência máxima".
Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, as características que reforçam a alta velocidade são: a cratera de quatro metros de profundidade aberta no local da queda; a fragmentação dos destroços, concentrados em um raio pequeno; e o tipo de avaria nas duas turbinas, com pás retorcidas e cheias de terra.
A Aeronáutica e a Polícia Civil avaliam a hipótese de "desorientação espacial" dos pilotos, o que significa que, em meio às nuvens e ao mau tempo, perderam a noção de onde estavam, com isso, o avião acabou ficando mais baixo do que deveria.
Essa suposição, ainda segundo o jornal, trabalha com três fatores como base: o tempo fechado na região, o estresse do comandante Marcos Martins (que afirmou estar "cansadaço" em rede social) e as dificuldades da pista da Base Aérea de Santos, no Guarujá (SP), que tem 1.390 metros e fica numa espécie de vale, sendo considerada difícil, mesmo para pilotos experientes.
O avião tentou fazer o pouso na base, mas arremeteu por causa da condição do tempo e logo em seguida caiu. Uma aeronave arremete quando está mais rápido, mais alto ou mais baixo, por exemplo, do que deveria.
O piloto Matheus Giovannini, 21, afirmou à Folha ter presenciado o acidente e que o avião estava em um ângulo entre 60 e 70 graus e entrou "como uma flecha" no chão, logo depois de arremeter, como se tivesse perdido sustentação. Ele também prestou depoimento aos investigadores do acidente.
A Aeronáutica reforça que ainda é cedo para conclusões e que a desorientação não é a única possibilidade para o acidente ter ocorrido.
Está em apuração, por exemplo, se houve pane no jato, um Cessna Citation 560 XL fabricado em 2010 e a análise do motor será essencial para reconstituir o acidente. Isso porque o Citation acidentado não tinha gravador de dados de voo, que, em uma investigação como essa, permite saber o comportamento do avião e dos seus equipamentos nos momentos antes da queda.
O avião apresentava somente o gravador de dados de voz, que registra as conversas entre pilotos, já recuperado pela Aeronáutica.
(Com informações da Folha de S.Paulo)

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

MUDANÇA RADICAL NA POLÍTICA














MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

O trágico acidente que culminou com a morte do candidato Eduardo Campos(PSD), trará radical mudança no quadro político brasileiro das eleições em outubro. Fato semelhante, ocorreu na Bahia, quando o então candidato ao governo Clériston Andrade foi vitimado tambem em acidente aéreo. O governador à época, ACM, foi buscar em Feira de Santana, João Durval Carneiro (prefeito), mas, sem maior expressão na política baiana que acabou sendo eleito com votação esmagadora em virtude da comoção popular acometida pelo povo.
Sendo assim, a corrida pelo planalto, deverá tomar novos caminhos. as pesquisas publicadas com as intenções de votos deverá apartir de agora provavelmente apontarão novos índices. Estava mais ou menos definido o segundo turno turno entre Tucanos e PT. Agora, tudo entra na fase da indefinição: Aècio Neves e a Presidanta, terão obrigatóriamente que mudar a estratégia de campanha, pois, terão que lutar contra novos e indefinidos adversários.




terça-feira, 12 de agosto de 2014

A QUEDA DO PT.

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

N.E. Matéria publicada em parceria com o CPIBRASIL.COM









Como o PT perdeu poder nos fundos de pensão

O desejo de mudança chega à Previ, à Funcef e à Petros, que movimentam

R$ 280 bilhões, e dirigentes sindicais petistas e executivos ligados ao

governo perdem força. Saiba como isso pode influenciar até no resultado das

eleições presidenciais


O sentimento de mudança captado em pesquisas eleitorais e que ameaça a hegemonia do PT chegou primeiro aos fundos de pensão.Em menos de um mês, eleições realizadas em dois dos principais fundos de previdência complementar do País destronaram dirigentes sindicais e executivos ligados ao governo. Além do risco de perder o controle sobre recursos que se tornaram essenciais à política de investimentos do governo federal, o Palácio do Planalto teme que o voto de protesto nos fundos contamine as urnas em outubro. A primeira derrota ocorreu na Funcef, dos funcionários da Caixa Econômica Federal, o terceiro maior. Lá, a oposição colheu expressivos 45% dos votos, contra 31% da chapa petista. Duas semanas depois, foi a vez da Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, o maior em patrimônio e contribuintes. Numa disputa acirrada, os opositores venceram com 31%, nove pontos percentuais à frente dos governistas. A onda anti-PT agora ameaça a Petros, dos servidores da Petrobras, o segundo maior do País.
abre.jpg
VOZ DA RAZÃO
Para Paulo Paim, derrotas do PT completam "um ciclo natural de desgaste"
Previ, Petros e Funcef reúnem mais de R$ 280 bilhões em patrimônio, quase metade dos R$ 624 milhões de mais de 250 fundos em operação. Por trás dessas cifras astronômicas, está o interesse de seis milhões de contribuintes ativos, aposentados e pensionistas. O futuro dessas pessoas depende da saúde financeira das entidades que administram poupanças acumuladas por toda uma vida. E não se trata apenas de indivíduos, mas de famílias inteiras. No frio cálculo eleitoral, são 30 milhões de votos, mais da metade do total obtido por Dilma Rousseff no segundo turno de 2010.
Imagine agora toda essa gente insatisfeita com o rumo de seus investimentos. Pois é exatamente isso que está acontecendo. Em 2013, os fundos de previdência fecharam seus balanços com um déficit histórico de R$ 22 bilhões e o saldo negativo só cresceu na primeira metade deste ano. A Previ acumula R$ 5 bilhões de prejuízo, a Petros tem algo próximo a R$ 3 bilhões, enquanto a Funcef já ostenta um saldo negativo de R$ 4 bilhões. Para se defender, os comandos das entidades culpam a difícil conjuntura econômica. Levantamento da Abrap, associação que reúne o setor, indica que 262 planos de benefícios fecharam o ano passado no vermelho, um aumento de quase 100% na comparação com 2012.
IEpag38a40_Fundos-2.jpg
Para os associados, porém, a justificativa não cola. Entre as principais bandeiras levantadas pelas chapas vitoriosas estão justamente as críticas à ingerência e ao aparelhamento promovido pelos petistas. “Nos últimos anos, ficou patente o interesse do governo em viabilizar seus projetos em detrimento da rentabilidade da previdência”, afirma o novo diretor de administração da Funcef, Antônio Augusto de Miranda. Ele pondera que no governo de Fernando Henrique o uso dos fundos era explícito. Após a chegada de Lula ao poder, criou-se um novo marco regulador que prometia proteção. Abriu-se a oportunidade de eleição para conselheiros e, posteriormente, para diretores. Essa dinâmica, porém, retroagiu quando o PT percebeu o poder que tinha nas mãos. “O governo passou a usar os fundos para viabilizar concessões públicas e empreendimentos em que o mercado não tinha interesse”, avalia.
Ao aparelhamento, somam-se a pouca transparência na gestão e o alto déficit. Na lista de negócios que o governo empurrou para a Funcef, Miranda destaca o caso da Brandes, empresa que prometia desenvolver em parceria com a IBM uma solução tecnológica para financiamento imobiliário na internet. Ficou no papel e consumiu R$ 1,2 bilhão. Outra foi a Eldorado Florestal, que também não existia, e a ALL Logística, que só deu prejuízo. A gota d’água foi a denúncia de que o deputado André Vargas intermediou uma reunião do doleiro Alberto Youssef com o diretor de participações societárias, Carlos Borges, nomeado pela Caixa. “O caso Youssef simbolizou o grau de ameaça que paira sobre a destinação dos recursos dos fundos. O alinhamento político canaliza esse tipo de negociata, como ocorreu na Postalis”, alerta Miranda.
Na Previ, a eleição garantiu mudanças substanciais no conselho deliberativo, no consultivo e na diretoria-executiva. A chapa vencedora é formada por auditores de carreira do BB. Apesar do alegado perfil técnico, ela foi organizada nos bastidores por Valmir Camilo, que já foi filiado ao PPS, e com apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec), cujo presidente, Lourenço Prado, é do PMDB do Distrito Federal. Recentemente, a Contec também andou cortejando o pré-candidato presidencial do PSB, Eduardo Campos. Essa chapa multipartidária emplacou três diretores, entre eles Cecília Garcez (administração), ex-diretora de planejamento da Previ entre 2004 a 2010. À ISTOÉ, Camilo diz que não é militante partidário e sua relação com o PPS é pela amizade com Roberto Freire. “Nem sou mais filiado”, diz.
Ex-membro do conselho deliberativo da Previ, Camilo avalia que o desgaste do PT era previsível e se refletiu numa insegurança generalizada entre os participantes do fundo quanto à administração dos ativos. Ele cita como exemplos de “uma gestão nebulosa” o uso da Previ na criação da Oi, da BR Foods e da Invepar. “O Tasso Jereissati tinha R$ 150 milhões para investir num negócio de R$ 3 bilhões e uma dívida de R$ 700 milhões com o Bradesco. De repente, virou dono de tudo. Não há fórmula matemática que explique isso!”, ataca. Segundo ele, a Previ perdeu oito anos na gestão de Sérgio Rosa, que deixou o fundo no “piloto automático”.
IEpag38a40_Fundos-3.jpg
O governo continua com alguns dos cargos principais, que são privativos de nomeação do presidente do BB. Manteve o presidente, Dan Conrado, e indicou como diretor de investimentos Márcio Hamilton Ferreira, no lugar de Renê Sanda, o japonês. Também nomeou Marcio Geovanne como diretor de participações. O cargo era eletivo até 1997 e a nova chapa cogita recuperá-lo. Conrado confidenciou a alguns amigos que estava cansado e queria sair e o PT pensou em emplacar Robson Rocha, que ocupa hoje uma das vice-presidências do banco. Mas o governo resolveu deixar como está para evitar mais lenha na fogueira. Conrado entrou para pacificar a crise deflagrada em 2012 pelo então presidente da Previ, Ricardo Flores, ligado ao PT de Zé Dirceu. Para o senador Paulo Paim (PT-RS), que tem origem sindical – chegou a secretário-geral da CUT –, as derrotas do partido no comando dos fundos é um processo natural. “Acho que é um ciclo natural de desgaste de quem está na direção das entidades. O próprio movimento sindical está passando por isso”, diz.
Fonte:Claudio Dantas Sequeira ( claudiodantas@istoe.com.br)

domingo, 10 de agosto de 2014

ORAÇÃO PELOS PAIS

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

Nossa homenagem aos pais!!!!









RELAX DOMINICAL

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

Mexendo com sensibilidades.









sábado, 9 de agosto de 2014

PASSE VIRTUAL

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

Há pessoas contrárias ao passe virtual. Todavia é nossa obrigação publicar todos os temas concernentes a Doutrina Espírita..









Receba um Passe Virtual !

Grupo para aqueles que desejam receber um passe virtual !
   
Sempre que alguém entrar no Grupo e fizer uma ORAÇÃO com os olhos fechados, de FRENTE PARA A IMAGEM das MÃOS AZUIS, automaticamente a espiritualidade irá providenciar o recebimento de boas energias !!!
   
Também recomendamos que deixe um copo de água perto de você, enquanto ora, e depois de agradecer pelo passe, tome a água energizada !
   
Tenha FÉ, que se realizará !!!
   
Exemplo de energia "virtual",
à distância :
      
"Tendo Jesus entrado em Cafarnaum, chegou-se a ele um centurião e rogou-lhe: Senhor, o meu criado az em casa paralítico, padecendo horrivelmente. Disse-lhe: eu irei curá-lo. Mas o centurião respondeu: Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa; mas dize somente uma palavra e o meu criado há de sarar. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade e tenho soldados às minhas ordens, e digo a um: vai ali, e ele vai; a outro: vem cá, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Jesus ouvindo isto admirou-se e disse aos que o acompanhavam: Em verdade vos afirmo que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé. E digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente, e hão de sentar-se com Abraão, Isaac e Jacó no Reino dos Céus; mas os filhos deste reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes. Então disse Jesus ao centurião: Vai-te, e como crêste, assim te seja feito. E naquela mesma hora sarou o criado."

(Fonte: Spirit book)