quinta-feira, 6 de junho de 2013

UM ALERTA


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Realmente os últimos governos veem 'massacrado' os militares do EB. Desde FHC que o Exercito vem sofrendo em todos os sentidos. E a Presidanta, concedeu após 5 anos sem nenhum reajuste dos soldos, um aumento de 30%, escalonado em 4 anos. Ou seja: 7,5% a.a. 

MILITARES FAZEM CAMPANHA NACIONAL  ANTI-PT
Militares entrevistados na passeata pelo reajuste salarial, em Copacabana,  manifestaram enorme decepção com a péssima atuação dos governantes e políticos, principalmente do Partido dos Trabalhadores, marcada na última década por enormes escândalos, tais como Mensalão, Cachoeira, etc.
 
"Pensávamos que seria um governo do povo para o  povo, mas tudo indica que se transformou no governo dos escândalos e favorecimentos ilícitos"- disse um dos  militares.
 
Os militares das  Forças Armadas somam mais de 600.000 profissionais, entre os que estão na ativa e na reserva. Somados com seus dependentes e círculos de influência direta, esse quantitativo pode passar de 5 milhões de pessoas -- um número que pode mudar os rumos de qualquer eleição.
 Militares  estaduais também estão insatisfeitos com o governo federal, que não facilitou para que as negociações sobre a PEC 300 prosseguissem. Na  passeata em Copacabana, verificou-se a presença de lideranças dos policiais e bombeiros do Rio de Janeiro, e isto acena para uma possível união de militares federais e estaduais
 Se isto se concretizar e chegar às urnas, certamente será um grande problema a mais para os  políticos.
 Os militares das Forças Armadas, comumente, são homens e mulheres de conduta ilibada e bem relacionados. Formadores de opinião. São sempre preferidos para  assumir cargos de síndico, diáconos em igrejas católicas e evangélicas, pastores e líderes comunitários. Homens e mulheres preparados e competentes como lideres e aptos para discursar diante de pequenos e médios grupos. Eles, potencialmente, representam um perigo para o partido da situação, se resolverem usar sua influência para um objetivo político comum.
 Pesquisas demonstram que as Forças Armadas são as instituições com maior  credibilidade no Brasil, o que confirma que os militares brasileiros gozam de excelente  reputação junto à sociedade.
 Nos últimos meses, há  frequentes divergências entre os militares das Forças Armadas e o governo.  Manifestos interclubes, abaixo-assinados de oficiais e marchas virtuais são exemplos de mobilizações significativas surgidas ainda este ano. 
 Essa aparente queda de braço com os militares pode causar, já a curtíssimo prazo, bastante prejuízo nas pretensões dos maus políticos que se acham intocáveis e muito bem acomodados nas Câmaras e nos Palácios.
 Talvez, assim, consigamos ajudar a melhorar este país, começando por desviá-lo, se ainda for possível, do profundo abismo do comunismo bolivariano que já provoca grandes rachaduras no solo da amada Pátria Brasil.
  PRECISAMOS JUNTAR FORÇAS PARA LUTAR PELA MANUTENÇÃO DA LIBERDADE, PELA PAZ SOCIAL E PELA DEMOCRACIA.
OS VERMELHOS TÊM QUE NOS ENXERGAR COM OS DEVIDOS RESPEITO E DIGNIDADE. 
 
ESTAMOS NO BANCO DE RESERVAS, MAS PODEREMOS ENTRAR NO JOGO SE PRECISO FOR, A QUALQUER MOMENTO!

 
POR AMOR AO PAÍS, VAMOS IMPACTAR O COMODISMO QUE DOMINA O GOVERNO FEDERAL E MOSTRAR QUE TEMOS - JUNTO COM AS DEMAIS PESSOAS DE BEM - UMA GRANDE FORÇA  NO PODER DO VOTO.
 
Já passou da hora de se virar a mesa!!!

 
"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer." (Albert Einstein)
 
 
 "Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso". (Edward Everett Hale)
 
 

Um comentário:

MARIA JOSE Rezende disse...

Pois é. O maior problema é que os militares não podem fazer greves e/ou contestações públicas. Bjs.