sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A QUEDA DE UM ELEFANTE BRANCO?


Governo estuda fim do grupo Eletrobrás.







MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

  •  A Eletrobras, holding do setor elétrico, pode desaparecer, assim como todas as suas subsidiárias — Chesf, Eletronorte, Furnas, Eletrosul, Eletronuclear e CGTE —, responsáveis por 35,5% da geração energética do país. Para fazer frente à forte redução em suas receitas, de cerca de 70%, devido à renovação dos contratos de concessão com base na MP 579, começa a ganhar força, dentro do Ministério de Minas e Energia, a ideia de se avaliar os rumos que o grupo terá que tomar. Uma fonte do setor afirmou que, uma possibilidade é a criação de três holdings para a área elétrica: uma de geração, outra de transmissão e uma terceira de distribuição. Cada uma delas absorveria os ativos das atuais subsidiárias da Eletrobras — os ativos de geração de Furnas, por exemplo, iriam para a holding de geração, e assim sucessivamente
Perdas de R$ 8,7 bilhões
Segundo a Eletrobras, a holding está estudando medidas para reduzir seus custos, que serão comunicadas ao mercado até o fim do primeiro trimestre. A empresa informou ainda que a queda de receita é estimada em R$ 8,7 bilhões anuais,(recurso do Tesouro e consequentemente dinheiro do povo). “que serão compensados com a entrada em operação dos novos investimentos, como as usinas do (rio) Madeira, e com as medidas de redução de custo”.
A discussão da criação das holdings não está na pauta da reunião do Conselho de Administração que irá ocorrer. Para o encontro do conselho, está prevista a avaliação de propostas de redução de custos para as empresas enquadrarem seu caixa à nova realidade financeira, devido à redução da receita. Contudo, achamos dificilimo este enquadramento, pois, os chamados cargos de confiança e similares, fazem parte do projeto quem "Quem Indicou", ou seja a classe política. Por enquanto, fontes descartam a possibilidade de a Eletrobras vender, por exemplo, suas participações acionárias em seis distribuidoras, principalmente no Norte e no Nordeste. A Eletrobras assumiu ao longo dos últimos anos o controle dessas distribuidoras, que enfrentavam sérios problemas financeiros e de gestão. Atualmente o "elefante branco ELETROBRAS", compóe-se de 18 empresas, as quais, detem 51%  das ações. A redução das tarifas alardeadas pela Presidanta não passa de tiros nos próprios pés. Como incentivar o consumo de energia e a consequente compra de novo eledomésticos se os reservatórios da usinas estão em níveis críticos? Achamos um ato desesperado do Planalto em equilibrar o prestígio perdido principalmente no N/NE, região que obteve 66% dos votos e que até o momento esteve relegado a plano secundário e, que obrigou a Presidencia viajar recentemente pela região. Para nós tudo não passa de politicagem barata, na tentativa de desviar a atenção da nação da rusga atual entre afilhada e padrinho político, somado ao escândalo do gabinete presidencial em São Paulo.

















Nenhum comentário: