segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

ÊTA FERRO!!!!!

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
E que tirem as conclusões, após a leitura da matéria abaixo.











Assunto: LULA E A MULHER NÃO CONTABILIZADA - CAIXA DOIS



 O jornal Folha de São Paulo, foi direto ao ponto: a secretaria Rose e o ex-presidente Lula, eram íntimos desde a campanha presidencial, em 1994. A assessoria do ex-presidente diz que o assunto não será comentado. Sabe-se apenas que Lula viaja ao exterior nos próximos dias e só volta daqui a duas semanas. Assim fica longe da imprensa brasileira, mas, principalmente, distante das garras de Dona Marisa.

 - O romance entre Lula e Rosemary Noronha não era um segredo de estado, o pessoal do Palácio da Alvorada, seguranças, assessores e jornalistas mais próximos, todos sabiam. A coisa só veio à tona agora depois que começou a cheirar mal.

 A influência exercida pela ex-chefe do Planaltinho, o escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, no governo federal, revelada em e-mails interceptados pela operação Porto Seguro, decorre da longa relação de intimidade que ela manteve, atém hoje, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  Rose e Lula trocam figurinhas desde 1993. Egressa do sindicato dos bancários, ela se aproximou do petista como uma simples fã. O relacionamento dos dois começou ali, a um ano da corrida presidencial de 1994.  À época, ela foi incorporada à equipe da campanha ao lado de Clara Ant, hoje auxiliar pessoal do ex-presidente. Ficaria ali até se tornar secretária de José Dirceu, no próprio partido.

 O radar de Marisa Letícia, a mulher do ex-presidente, acendeu a luz vermelha e ela jamais escondeu que não gostava da “assessora” do marido.

 Em 2002, Lula se tornou presidente. Em 2003, Rose foi lotada no braço do Palácio do Planalto em São Paulo, como "assessora especial" do escritório regional da Presidência na capital.
 Em 2006, por decisão do próprio Lula, foi promovida a chefe do gabinete e passou a ocupar a sala que, na semana retrasada, foi alvo de operação de busca e apreensão da Polícia Federal. Nesse papel de direção, Rose contava com três assessores e motorista.
 Sua tarefa era oficialmente "prestar, no âmbito de sua atuação apoio administrativo e operacional ao presidente da República, ministros de Estado, secretários Especiais e membros do gabinete pessoal do presidente da República na cidade de São Paulo".
 O escritório e o cargo que ela exercia, depois do escândalo está sendo desmobilizado e extinto pela presidenta Dilma, já que era desnecessário, mantido apenas por um capricho romântico de Lula.
 Durante 19 anos, o relacionamento de Lula e Rose se manteve oculto do público.
 Em Brasília, a agenda presidencial tornou a relação mais complicada.
 Quando a então primeira-dama Marisa Letícia não acompanhava o marido nas viagens internacionais, Rose integrava a comitiva oficial. Ela era, portanto, uma espécie de segunda dama, não contabilizada.
 Rosemary Noronha, como parte da comitiva de uma viagem de Lula à
 Costa Rica, em 2009 Segundo levantamento da Folha tendo como base o "Diário Oficial", Marisa não participou de nenhuma das viagens oficiais do ex-presidente das quais Rosemary participou. Comenta-se que D. Marisa tinha o cuidado de ver a relação dos que iam viajar e se por acaso Rose lá estivesse, ganhava uma cartão vermelho da Primeira-Dama.
 Integrantes do corpo diplomático ouvidos pela reportagem, na condição de anonimato, afirmam que a presença dela sempre causou mal-estar dentro do Itamaraty. Na opinião deles, a ex-chefe do

escritório da Presidência em São Paulo não era necessária.

Oficiais da Aeronáutica se preocupavam com o fato de que ela por vezes viajava no avião presidencial sem estar na lista oficial. Imagine os embaraços diplomáticos e de segurança a existência de uma constante “clandestina” no avião presidencial?

 Em muitas vezes, Rose seguia em voos da equipe que desembarca antes do presidente da República para preparar sua chegada.

 Nessas viagens, seguranças que guardavam a porta da suíte presidencial nas missões fora do Brasil registravam ao superior imediato a presença da assessora. Oficiais do cerimonial elaboravam roteiro e mapa dos aposentos de modo a permitir que o presidente não fosse incomodado. Resumindo no exterior, Rose dormia com Lula.
 Durante esses quase 20 anos, Rose casou-se duas vezes. Seu primeiro
 marido, José Cláudio Noronha, trabalhou na Casa Civil do então ministro José Dirceu quando Rosemary assumiu o escritório de São Paulo.
 Na chefia do gabinete, ela construiu a fama de pessoa de temperamento difícil. Lula chegou a receber de amigos reclamações dando conta de que ela tratava mal os funcionários.
 Um deles descreveu um episódio em que ela teria pedido para serventes limparem "20 vezes" o chão do escritório até que ficasse realmente limpo.
 Essas primeiras damas genéricas são sempre assim.
 Apesar do temperamento, Rose era discreta e não gostava de contato com a imprensa. Em algumas festas e cerimônias, controlava a porta de salas vips, decidindo quem podia ou não entrar.

 A Folha contatou que ela também costumava se consultar com o médico de Lula e da presidente Dilma Rousseff, Roberto Kalil.

 Rose acompanhou o ex-presidente em algumas internações durante o período em que este se recuperava do tratamento de um câncer no Sírio-Libanês, em São Paulo. Mas só pisava no hospital quando Marisa Letícia não estava por perto.
 Na campanha presidencial de 2006, a chefe de gabinete circulou nos debates televisivos que Lula teve com o tucano Geraldo Alckmin.
 Ministros e amigos do ex-presidente não negam o relacionamento de ambos. Foi de Lula a decisão de manter Rosemary em São Paulo, conforme relatos de pessoas próximas.
 Procurado pela Folha, o porta-voz do Instituto Lula, José Chrispiniano, afirmou que o ex-presidente Lula não faria comentários sobre assuntos particulares.

 Como se vê agora Rose é assunto particular, mas durante esses últimos doze anos de governo peti stas ela foi paga pelos brasileiros. Se além ou apesar de amante ela prestasse um serviço público decente, ainda dava para compreender.

 Afinal, a Rosemary Noronha que nos interessa é aquela que usava o cargo público para praticar falcatruas. A Rosemary, amante, é um problema exclusivo de Lula e de Dona Marisa.

domingo, 30 de dezembro de 2012

RELAX DOMINICAL INTERNACIONAL


MOMENTOBRASIL.COM:
RELEMBRANDO OS BONS MOMENTOS.



.



sábado, 29 de dezembro de 2012

CONTO DE MEIMEI













“Conta-se que um velho árabe analfabeto orava com tanto fervor e com tanto carinho, cada noite, que, certa vez, o rico chefe de grande caravana chamou-o à sua presença e lhe perguntou:
— Por que oras com tanta fé? Como sabes que Deus existe, quando nem ao menos sabes ler?
O crente fiel respondeu:

— Grande senhor, conheço a existência de Nosso Pai Celeste pelos sinais dele.
— Como assim? — indagou o chefe, admirado.
O servo humilde explicou-se:
— Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece quem a escreveu?
— Pela letra.
— Quando o senhor recebe uma jóia, como é que se informa quanto ao autor dela?
— Pela marca do ourives.
O empregado sorriu e acrescentou:
— Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo ou um boi?
— Pelos rastros — respondeu o chefe, surpreendido.
Então, o velho crente convidou-o para fora da barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a Lua brilhava, cercada por multidões de estrel as, exclamou, respeitoso:
- Senhor, aqueles sinais, lá em cima, não podem ser dos homens!
Nesse momento, o orgulhoso caravaneiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se na areia e começou a orar também.”
(Meimei)
 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

A FOGUEIRA TÁ QUEIMANDO..

 










ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS MAGISTRADOS ESTADUAIS – ANAMAGES
CNPJ 04.820.032/0001-94
SEDE: SAS, Q. 4, LOTE 9/10, BL “A”, Ed. Victoria Office Tower Salas 1131/2
e-mail: presidencia@anamages.org.br Telefone 061 8255 0222 // 061.3321 0591
CEP 70.070-040 - BRASÍLIA, DISTRITO FEDERAL
SECRETARIA: Trav. José Zilioto 104, Centro Telefone: 041 3035 5721
e-mail: anamages@anamages.org.br
CEP 83.005-080 - SÃO JOSÉ DOS PINHAIS/PR
NOTA PÚBLICA
A Associação Nacional dos Magistrados Estaduais - Anamages, vem a público repudiar as ofensas direcionadas por segmento do Partido dos Trabalhadores (PT) e algumas lideranças sindicais contra o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.
A lei se destina a todos os membros da sociedade e não excetua nenhum dirigente partidário ou governante.
Quem dela se desvia bem sabe os riscos assumidos, sujeitando-se à punição prevista no ordenamento jurídico.
A Justiça brasileira, através do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL vem, apenas e tão só, cumprindo como seu dever: julgar a Ação penal 470, popularmente conhecida como processo do mensalão, com isenção, independência e obsevando estritamente o devido processo legal.
Não há que se falar em julgamento político. Ao revés, oito Ministros foram nomeados na era PT e estão se conduzindo com independência e respeito a seus cargos, dignificando a JUSTIÇA.
Divergências doutrinárias são normais em qualquer julgamento colegiado e o debate, as vezes acirrado, apenas serve para demonstrar a seriedade dos trabalhos, as longas horas de estudos para sustentação de teses.
Estivesse o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL julgando o caso com sentimento político não seriam necessárias tantas sessões, nem debates.
O PT, ou melhor, sua parcela incomodada pelo julgamento, e algumas centrais sindicais precisam aprender que a sociedade brasileira amadureceu e repudia condutas contrárias à lei.
Julgamento político seria deixar passar em branco o bilionário assalto aos cofres públicos, enquanto milhões de brasileiros sofrem com a seca, a falta de atendimento na saúde, ausência de saneamento, deficiência de ensino, falta de emprego e tantas outras mazelas, apesar dos esforços do próprio governo, que, por justiça, devem ser reconhecidos.
Tapar o sol com peneira e admitir que os condenados não praticaram nenhum crime seria indecoroso e crime maior agora praticado pelo próprio Poder Judiciário, a última porta de esperança do povo brasileiro.
A Anamages se solidariza com os Exmos. Srs. Ministros e enaltece o relevante trabalho realizado em defesa da Nação Brasileira.
Ao Ministro JOAQUIM BARBOSA registramos especial desagravo pelos ataques dirigidos contra si ao longo de todo o julgamento, conduzindo-o com elevada técnica, sobriedade e primando pela observância dos princípios basilares do Direito e do respeito à dignidade da pessoa humana.
S.Exa. bem representa o sentimento do povo brasileiro em “dar a Cesar o que é de Cesar”, desmistificando a imagem de que o juiz brasileiro é um riquinho, apadrinhado e que ocupa um cargo por favor político. É sim, um homem do povo, de raízes humilde, que com esforço, sacrifícios e muita dedicação alcançou o mais elevado posto do Poder Judiciário: o de Ministro da Corte Suprema, assumindo no próximo dia 22, sua presidência, substituindo o Ministro Carlos Ayres de Brito que ao se aposentar nos deixa como legado a exemplar presidência do mais rumoroso caso julgado pelo STF.
Brasília, 19 de novembro de 2.012 – Dia da Bandeira
(Fonte:Antonio Sbano, Presidente da Anamages
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Tudo isto ainda vai dar muitos 'panos para mangas. Esperemos.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

ESCÂNDALO BILIONÁRIO NA PETROBRAS -


 

ESCÂNDALO BILIONÁRIO NA PETROBRÁS –

Ou: Quem privatizou a Petrobrás mesmo?

 

Desde que Sérgio Gabrielli, o ex-presidente da Petrobras, deixou a empresa, os esqueletos não param de pular do armário. A presidente Dilma Rousseff o pôs para correr. Ele se alojou na Secretaria de Planejamento da Bahia e é tido como o provável candidato do PT à sucessão de Jaques Wagner. Dilma, é verdade, nunca gostou dele, desde quando era ministra. A questão pessoal importa menos.
 
Depois de ler o que se segue, é preciso responder outra coisa: - o que ela pretende fazer com as lambanças perpetradas na Petrobras na gestão Gabrielli? Uma delas, apenas uma, abriu um rombo na empresa que passa de UM BILHÃO DE DÓLARES. Conto os passos da impressionante reportagem de Malu Gaspar na VEJA desta semana. Prestem atenção:
1: Em janeiro de 2005, a empresa belga Astra Oil comprou uma refinaria americana chamada Pasadena Refining System Inc. por irrisórios US$ 42,5 milhões. Por que tão barata? Porque era considerada ultrapassada e pequena para os padrões americanos.
2: ATENÇÃO PARA A MÁGICA – No ano seguinte, com aquele mico na mão, os belgas encontraram pela frente a generosidade brasileira e venderam 50% das ações para a Petrobras. Sabem por quanto? Por US$ 360 milhões! (de dólares...)  
Vocês entenderam bem?  Aquilo que os belgas haviam comprado por US$ 22,5 milhões (a metade da refinaria velha) foi repassado aos “brasileiros bonzinhos” por US$ 360 milhões.   Uma valorização em apenas um ano de 1500%.  AAstra sabia que não é todo dia que se encontram brasileiros tão generosos pela frente e comemorou: “Foi um triunfo financeiro acima de qualquer expectativa razoável”.
3 – Um dado importante: o homem dos belgas que negociou com a Petrobras é Alberto Feilhaber, um brasileiro. Que bom!!! Mais do que isso: ele havia sido funcionário da Petrobras por 20 anos e se transferiu para o escritório da Astra nos EUA. Quem preparou o papelório para o negócio foi Nestor Cerveró, à frente da área internacional da Petrobras. Veja viu a documentação. Fica evidente o objetivo de privilegiar os belgas em detrimento dos interesses brasileiros. Cerv eró é agora diretor financeiro da BR Distribuidora.
 
Calma! O escândalo mal começou ...

Se você acha que o que aconteceu até agora já dá cadeia, é porque ainda não sabe do resto:
4 – A Pasadena Refining System Inc., cuja metade a Petrobras comprou dos belgas a preço de ouro, vejam vocês!, não tinha capacidade para refinar o petróleo brasileiro, considerado pesado. Para tanto, seria preciso um investimento de mais US$ 1,5 bilhão!  Belgas e brasileiros dividiriam a conta, a menos que…
5 – … a menos que se desentendessem! Nesse caso, a Petrobras se comprometia a comprar a metade dos belgas — aos quais havia prometido uma remuneração de 6,9% ao ano, mesmo em um cenário de prejuízo!!!
6 – E não é que o desentendimento aconteceu??? Sem acordo, os belgas decidiram executar o contrato e pediram pela sua parte, prestem atenção, outros US$ 700 milhões (de dólares). Ulalá! Isso foi em 2008. Lembrem-se que a estrovenga inteira lhes havia custado apenas US$ 45 milhões! Já haviam passado metade do mico adiante por US$ 360 milhões e pediam mais US$ 700 milhões pela outra. Não é todo dia que aparecem ou otários ou malandros deste quilate, certo?
7 – É aí que entra a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, então presidente do Conselho de Administração da Petrobras. Ela acusou o absurdo da operação e deu uma esculhambada em Gabrielli numa reunião. DEPOIS NUNCA MAIS TOCOU NO ASSUNTO.
8 – A Petrobras se negou a pagar, e os belgas foram à Justiça americana, que leva a sério a máxima do “pacta sunt servanda”. Execute-se o contrato. A Petrobrás teve de pagar, sim, em junho deste ano, não mais US$ 700 milhões, mas US$ 839 milhões!!!
9 – Depois de tomar na cabeça, a Petrobras decidiu se livrar de uma refinaria velha, que, ademais, não serve para processar o petróleo brasileiro. Foi ao mercado. Recebeu uma única proposta, da multinacional americana Valero. O grupo topa pagar pela sucata toda US$ 180 milhões.
10 – Isto mesmo: a Petrobras comprou metade da Pasadena em 2006 por US$ 365 milhões; foi obrigada pela Justiça a ficar com a outra metade por US$ 839 milhões e, agora, se quiser se livrar do prejuízo operacional continuado, terá de se contentar com US$ 180 milhões. Trata-se de um dos milagres da gestão Gabrielli: como transformar US$ 1,199 bilhão em US$ 180 milhões como reduzir um investimento à sua (quase) sétima parte.
11 – Graça Foster, a atual presidente, não sabe o que fazer. Se realizar o negócio, e só tem uma proposta, terá de incorporar um espeto de mais de US$ 1 bilhão.
12 – Diz o procurador do TCU Marinus Marsico: “Tudo indica que a Petrobrás fez concessões atípicas à Astra. Isso aconteceu em pleno ano eleitoral”.
13 – Dilma, reitero, botou Gabrielli pra correr. Mas nunca mais tocou no assunto.
Encerro
Durante a campanha eleitoral de 2010, o então presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, fez propaganda de modo explícito, despudorado. Chegou a afirmar, o que é mentira descarada, que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, durante a sua gestão, tinha planos de privatizar a Petrobrás.
Leram o que vai acima? Agora respondam: quem privatizou a Petrobras? E noto, meus caros: empresas privadas não são tratadas desse modo porque seus donos ou acionistas não permitem. A Petrobras, como fica claro, foi privatizada, sim, mas por um partido. Por isso, foi tratada como se fosse terra de ninguém.
(Fonte:Reinaldo Azevedo)
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

Resta saber agora,se ao fim da apuração alguem vai para a cadeia.                 






 

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

PARA REFLEXÔES!


MOMENTOBRASIL.COM
Deseja um feliz natal a todos.

Natal, um momento doce e cheio de significado para as nossas vidas. É tempo de repensar valores, de ponderar sobre a vida e tudo que a cerca. É momento de deixar nascer essa criança pura, inocente e cheia de esperança que mora dentro de nossos corações.

É sempre tempo de contemplar aquele menino pobre, que nasceu numa manjedoura, para nos fazer entender que o ser humano vale por aquilo que é e faz, e não só por aquilo que possui.

Noite cristão, onde a alegria invade nossos corações trazendo a paz e a harmonia.

O Natal é um dia festivo e espero que o seu olhar possa estar voltado para uma festa maior, a festa do nascimento de Cristo dentro de seu coração.

Que neste Natal você e sua família sintam mais forte ainda o significado da palavra amor, que traga raios de luz que iluminem o seu caminho e transformem o seu coração a cada dia, fazendo que você viva sempre com muita felicidade.

Também é tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos e retornar o caminho para uma vida cada vez mais plena.

Teremos outras 365 novas oportunidades de dizer à vida, que de fato queremos ser plenamente felizes. Que queremos viver cada dia, cada hora e cada minuto em sua plenitude, como se fosse o último. Que queremos renovação e buscaremos os grandes milagres da vida a cada instante.

Todo Ano Novo é hora de renascer, de florescer, de viver de novo. Aproveite este ano que está chegando para realizar todos os seus sonhos!


segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

UM FELIZ NATAL!



MOMENTOBRASIL.COM

DESEJA A TODOS UMA NOITE NATALINA DE PAZ, HARMONIA E FELICIDADES.





DE PATO À GANSO













O 'paladino' da justiça(?)
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
O vice-presidente, Michel Temer, arvora-se em intermediar o 'entendimento' entre o presidente da Câmara e os Ministros do STJ no caso das cassações dos deputados condenados. Ora, fico a gargalhar quanto ao fato. O senhor Temer é professor da cadeira de "Direito Constitucional'. Portando, como profissional do Direito, é sabedor que a Constituição tem que ser cumprida por todos e em todos os seus artigos. Lei é lei! não fita durex, para colar ou não colar. Dessa forma, toda e qualquer decisão da Suprema Côrte, tem ser obedecida mesmo. A justiça começa de casa. O vice-presidente, tem que dar o exemplo de cidadania, obediência e respeito à nação brasileira. Afinal de contas, é o funcionário público numero dois do país. Pois, é pago para bem administrar a nação; não para defender políticos condenados e à margem da lei. 








sábado, 22 de dezembro de 2012

A AÇÃO DE DEUS



Linda era uma modelo famosa. Requisitada e disputada, conseguia contratos milionários. Apesar do dinheiro, da fama e da beleza, ela não era feliz.

Sentia um imenso vazio por dentro. Sofria de pavor, ansiedade e insônia. Pensou em tomar medicamentos. Alguns amigos aprovaram, outros não.

Ela decidiu procurar outras terapias. Assinou contratos que jamais havia sonhado. Trabalhava muito, mas continuava atormentada.

Um dia, pela manhã, indo de carro para o trabalho, pelo caminho costumeiro, o trânsito parou. Um guarda estava desviando todo o trânsito para uma ruazinha estreita, porque um encanamento havia rompido na avenida principal.

Dirigindo lentamente pela rua desconhecida, ela passou em frente a uma igreja. Um cartaz, escrito à mão, dizia: "sem Deus não há paz. Conheça Deus, conheça a paz. Todos são bem-vindos".

Ela achou estranho e seguiu em frente. No dia seguinte, fazendo o mesmo trajeto, o trânsito parou. Um incêndio em uma loja fez com que, outra vez, o trânsito fosse desviado por aquela mesma ruazinha.

"De novo!", pensou linda. E passou outra vez pela igreja. Lá estava o cartaz, que agora lhe pareceu atraente. De dentro do carro, espiou o interior da igreja.

No terceiro dia, ela pensou em mudar de trajeto. Mas achou que estava sendo muito boba. Afinal, qual era a probabilidade de em três dias seguidos, acontecer o desvio do trânsito, no mesmo local?

"Vai ser um teste", pensou. "Se acontecer alguma coisa e o trânsito for desviado, vou ter certeza de que é um sinal".

Quando ela chegou na avenida, lá estavam os policiais outra vez. Um grande acidente, explicou um dos policiais, desviando o trânsito, para a já conhecida ruazinha.

"É demais", falou linda, consigo mesma. Estacionou o carro e entrou na igreja. Lá dentro, havia apenas um padre. Ele ergueu os olhos, olhou para ela com um sorriso e perguntou:

"Por que demorou tanto?" – Ele havia visto o carro de linda passar ali nos três dias. Eles conversaram muito e como resultado, linda passou a freqüentar a pequena igreja.

Encontrou a paz e a serenidade que estava esperando. Exatamente como dizia o cartaz. Ela precisava de Deus na sua vida. E, sem dúvida, fora Deus que providenciara para que, de alguma forma, entendesse que ela precisava voltar-se para ele, alimentar o seu espírito com a fé, a esperança e o amor.

...............

A providência Divina sempre se faz presente em nossas vidas. Ocorre que, nem sempre, estamos de olhos e ouvidos atentos para perceber e entender.

Filhos bem-amados do Criador, não podemos esquecer de buscar o amparo desse Pai amoroso e bom, para que nele encontremos o nosso refúgio seguro.

Muitos O procuram nas igrejas, nos templos. Outros, nos livros. Alguns tentam o coração do próximo para ver se ali descobrem Deus.

Em verdade, muitos são os caminhos, mas o encontro verdadeiro se dá portas a dentro do nosso coração.

 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

E O DECÔRO PARLAMENTAR?













Batendo o pé e fazendo biquinho.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
O todo-poderoso presidente da Câmara Federal, Dom Marcos Maia, bateu de frente com o STF, ao declarar que os Ministros do Supremo Tribunal de Justiça 'invadiram prerrogativaa' e que vai lutar até a última instância para que os deputados João Cunha Valdemar Costa Neto e Pedro Henri, condenados e que obrigatóriamente perderão os respectivos mandatos parlamentares, não o seja.  A Constituição tem que ser cumprida; È a carta magna do país. Por sua vez, O Supremo Tribunal de Justiça, é a instância maior brasileira. Portanto, não cabe recurso algum. O descumprimento de qualquer decisão do STJ É CRIME! È passível de prisão. O atual presidente da câmara dos deputados, tem que também ser punido por decôro parlamentar e descumprimento da lei. Caso contrário, somos obrigados a concordar com o ex-presidente francês Charles Degaule quando há cerca de 50 anos, declarou: "O Brasil. só é sério, na falta de seriedade.








quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

MELANCOLIA E REVOLTA



O que entristece não é só a conduta de algumas pessoas. É o silêncio das instituições democráticas.
Não sou propenso a queixas nem a desânimos. Entretanto, ao pensar sobre o que dizer nesta crônica, senti certa melancolia. Escrever outra vez sobre o mensalão e sobre o papel seminal do STF? Já tudo se sabe e foi dito.
Entrar no novo escândalo, o do gabinete da Presidência em São Paulo? Não faz meu estilo, não tenho gosto por garimpar malfeitos e jogar mais pedras em quem, nesta matéria, já se desmoralizou bastante.
Tentei mudar de foco indo para o econômico. Mas de que vale repetir críticas aos equívocos da política petrolífera, que começaram com a redefinição das normas para a exploração do pré-sal?
As novas regras criaram um sistema de partilha que se apresentou como inspirado no "modelo norueguês" — no qual os resultados da riqueza petrolífera ficam em um fundo soberano, longe dos gastos locais, para assegurar bem-estar às gerações futuras —, quando, na verdade, se assemelha ao modelo adotado em países com regimes autoritários.
Até aqui o novo modelo gerou apenas atrasos, custos excessivos e estagnação, além de uma briga inglória (e injusta para com os estados produtores) a respeito de royalties que ainda não existem e que, quando existirem, serão uma torneira aberta para gastos correntes e pressões inflacionárias.
A contenção do preço da gasolina já se tornou rotina, mesmo que afete a rentabilidade da Petrobrás e desorganize a produção de etanol. O objetivo é segurar a inflação por artifícios e garantir a satisfação dos usuários.
Calo sobre os efeitos da redução continuada do IPI para veículos e do combustível artificialmente barato. Os prefeitos que cuidem de aumentar ruas e avenidas para dar cabida a tanto bem-estar.
E que dizer da tentativa de cortar o custo da energia elétrica, que teve como resultado imediato a perda de valor das ações das empresas?
E essa agora de altos funcionários desdizerem o anunciado e, sem qualquer segurança sobre como será ajustado o valor do patrimônio das empresas, provocarem súbitas altas nas ações?
O pior é que ninguém será responsável por eventuais ganhos de especulação advindos da falta de compostura verbal. Valerá a pena insistir em que o trem-bala é um desvario na atual conjuntura, pois terminará sendo pago pelos contribuintes, como estão sendo pagas as usinas mal licitadas?
Para construção destas, só acorrem empresas estatais financiadas pelo BNDES com dinheiro transferido do Tesouro, quer dizer, seu, meu, nosso. E as rodovias e os aeroportos? E assim por diante.
Olhando em retrocesso, nos anos da grande ilusão lá pelos finais de 1970 e meados dos 1980, os "projetos-impacto", como a Transamazônica, a Ferrovia do Aço e outros tantos, feitos a partir de decisões tecnocráticas nos gabinetes ministeriais, nos estarreciam.
Clamávamos também contra indícios de corrupção. Não poderíamos imaginar que, depois das greves de São Bernardo e das Diretas Já, as mesmas distorções seriam praticadas por alguns dos que então as combatiam.
Criticava-se tanto o nepotismo e o compadrio, a falta de profissionalismo na administração e de transparência nas decisões e imaginava-se com tanta fé que o Congresso livre daria cobro aos desmandos, que é difícil esconder a desilusão.
As proezas de cinismo e leniência praticadas por alguns dos personagens que apareciam como heróis-salvadores são chocantes. Dá lástima ver hoje uns e outros confundidos na corte de dúbios personagens que alegam nada saber dos malfeitos.
O que entristece, porém, não é só a conduta de algumas pessoas. É o silêncio das instituições democráticas. A mídia fala e cumpre seu papel. Cumpre-o tão bem que é confundida pelos que sustentam os malfeitos como se fosse ela, e não a polícia, quem descobre os desatinos ou como se servisse à oposição interessada em desgastar o governo.
Recentemente, algumas instituições de estado começaram a agir responsavelmente: o Ministério Público, pouco a pouco, perdeu o ranço ideológico para se concentrar no que lhe é devido, a defesa da lei em nome da sociedade.
Os Tribunais, especialmente depois de o Conselho Nacional de Justiça ser organizado, começam a sacudir a poeira e a julgar, dando-lhes igual o réu ser potentado ou pobretão.
Mas o Congresso e os partidos estão longe de corresponder aos anseios dos que escrevemos a Constituição de 1988.
O Congresso, que na Carta de 1988, por sua inspiração inicial parlamentarista, ficou com responsabilidades enormes de fiscalização, prefere calar e se submeter docilmente ao Executivo. Voltamos aos tempos da República Velha, com eleições a bico de pena e as Comissões de Verificação dos Poderes, que cassavam os oposicionistas.
Só que agora somos "modernos": não se frauda o voto, asseguram-se maiorias pelos balcões ministeriais ricos em contratos e por emendas parlamentares distorcidas. Com maioria de 80%, parece até injusto pedir que a oposição atue. Como?
De qualquer maneira, é preciso bradar e mostrar indignação e revolta, ainda que pouco se consiga de prático. Não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe. Chegará o momento, como chegou nos anos 1980, em que, com toda a aparência de poder, o Sistema fará água.
Entre as centenas, talvez milhares de pessoas que se beneficiam da máquina do poder e os milhões de pessoas "emergentes" ávidas por melhorar sua condição de vida por este Brasil afora, há espaço para novas pregações.
Novas ilusões? Quem sabe? Mas sem elas, é a rotina do já visto, das malfeitorias e dos "não sei, não vi, não me comprometo".
* (Fernando Henrique Cardoso é ex-presidente da República).
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
E AGORA JOSÉ?

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

FHC DEPORÁ SOBRE A LISTA de FURNAs?


Adicionar legenda













FHC precisa definir se irá ou não aceitar o convite do Congresso.







A Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência do Congresso Nacional aprovou hoje à tarde um “convite” para que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso preste esclarecimentos sobre a temid“Lista de Furnas”– documento que circulou em 2005 e que revelou suposto esquema de desvio de recursos da estatal de energia para vários caciques tucanos. Ela também decidiu “convidar” o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para explicar os “vazamentos” da operação Porto Seguro da Polícia Federal.

A iniciativa de “convidar” o ex-presidente FHC partiu do deputado Jilmar Tatto, líder do PT na Câmara Federal. Conforme justificou no seu requerimento, o pedido visa esclarecer as “informações contraditórias sobre documento relativo a doações a agentes políticos que teriam sido levadas a efeito por Furnas”.  Já o “convite” para o procurador-geral foi feito pelo senador Fernando Collor (PTB-AL) e tem como objetivo investigar as estranhas relações entre o Ministério Público e os órgãos de inteligência.



O temor da mídia demotucana:


De imediato, os convites geraram a ira da mídia demotucana – que adora defender a “transparência”, mas apenas para os seus inimigos políticos. AFolha online atacou “a manobra articulada” pela base governista e garantiu, indignada, que o “requerimento relativo a Fernando Henrique, de autoria de Tatto, tem conotação explicitamente política”. Ela também condenou o fato da mesma comissão ter rejeitado a convocação dos ministros Luís Inácio Adams (AGU), Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e de Rosemary Noronha.


Na mesma linha editorial, que até parece combinada, o sítio do jornal O Globo também criticou a não convocação de Adams, Gleisi e Rosemary e apresentou os “convites” para FHC e Gurgel como retaliação política. Para isto, o diário da famiglia Marinho destacou uma frase do petista Jilmar Tatto: “Se eles querem guerra, vão ter”. Ao final da matéria, o próprio jornal reassaltou que “como são convites e não convocações, nem Fernando Henrique, nem Gurgel precisam comparecer”.



Blogueiro ou advogado dos tucanos?


Mais explícito, o blogueiro Josias de Souza, que até parece advogado dos tucanos, tentou desqualificar a convocação. “FHC terá de se explicar sobre um papelucho chamado de ‘Lista de Furnas’. Uma peça que associa nomes de políticos, na maioria tucanos, a pseudo-desvios praticados na estatal elétrica. O líder petista sabe que a lista é falsa como nota de três reais… No passado, o petismo se dizia capaz de matar e morrer pela defesa de uns tantos valores. Hoje, o líder do PT desce ao front de mãos dadas com Collor”.


Caso o “convite” seja para valer – e não uma mera manobra pragmática – e o ex-presidente FHC não consiga escapar do depoimento, o debate sobre a Lista de Furnas poderá revelar muitos pobres que os demotucanos sempre esconderam, com a inestimável ajuda da mídia. Em agosto último, o Ministério Público Federal confirmou a autenticidade da “lista”, conforme registrou na ocasião o jornalista Amaury Ribeiro, autor do livro A privataria tucana – o best-seller que também foi vetado pela mídia tucana.



O “mensalão” dos tucanos:


Amaury Ribeiro afirma que teve acesso ao documento, que revela que a Furnas superfaturou contratos para repassar dinheiro a cerca de 150 políticos durante a campanha eleitoral de 2002. Os principais beneficiários seriam candidatos do PSDB e do DEM, entre eles o mineiro Aécio Neves e o paulista Geraldo Alckmin. A lista, que os tucanos juravam não existir e que a mídia sempre evitou apurar, teria sido escrita pelo próprio ex-presidente e ex-diretor de planejamento da empresa, Dimas Toledo.

Para a procuradora Andrea Bayão Ferreira, do Rio de Janeiro, hoje não há mais dúvidas sobre a existência do documento. Um laudo do Instituto Nacional de Criminalística da PF confirmou a sua autenticidade. Trechos que já vazaram pela internet apontam a seguinte distribuição dos recursos desviados: José Serra, R$ 7 milhões; Geraldo Alckmin, R$ 9,3 milhões; Aécio Neves, R$ 5,5 milhões; Gilberto Kassab, R$ 100 mil; e Eduardo Azeredo, o mesmo que chefiou o chamado mensalão tucano de Minas Gerais, R$ 550 mil. 

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O HUMANISTA QUE AMAVA STÀLIN

Oscar Niemeyer era quase uma unanimidade. A reação à sua morte comprova isso. Mas será que tanta reverência se deve somente às suas qualidades artísticas? Muitos consideram que Niemeyer foi um gênio. Não sou da área, não me cabe julgar. Ainda assim, não creio que tanta idolatria seja fruto apenas de suas curvas.
Tenho dificuldade de entender por que o responsável pelo caríssimo projeto da construção de Brasília, o oásis dos políticos corruptos afastados do escrutínio popular, mereceria um prêmio em vez de um castigo. Por acaso as pirâmides do Faraó eram boas para o povo? Mas divago.
Eis a questão: por que Niemeyer foi praticamente canonizado? Minha tese é que ele representava o ícone perfeito da CHEC - Comunistas Hipócritas da Esquerda Caviar. No Brasil, você pode ser podre de rico, viver no maior conforto de frente para o mar, mamar nas tetas do governo, desde que adote a retórica socialista.
Falar em “justiça social” enquanto enche o bolso de dinheiro público, isso merece aplausos por aqui. Já o empresário que defende o capitalismo, produz bens demandados pelo povo e não depende do governo é visto como o vilão. Os discursos sensacionalistas valem mais do que as ações concretas. Imagem é tudo!
As curvas traçadas pelo “poeta do concreto”, que considerava o dinheiro algo “sórdido”, custavam caro. Quase sempre eram pagas pelos nossos impostos. Foram dezenas de milhões de reais só do governo federal. Muito adequado o velório ter sido no Palácio do Planalto, o maior cliente do arquiteto. Licitação e concorrência? Isso é coisa de liberal chato.
Niemeyer virou um ícone contra o excesso de razão nas construções, mas acabou com extrema escassez de razão em suas ideias políticas. Sempre esteve do lado errado, alimentado por um antiamericanismo patológico. Defendeu os terroristas das Farc, os invasores do MST e o execrável regime comunista, mesmo depois de cem milhões de vidas inocentes sacrificadas no altar dessa ideologia.
Ele admirava os tiranos assassinos Fidel Castro e Stalin, e chegou a justificar seus fuzilamentos. Até o fim de sua longa vida, usou sua fama para disseminar essa utopia perversa, envenenando a cabeça de jovens enquanto desfrutava do conforto capitalista.
No meu Aurélio, há uma palavra boa para definir pessoas assim, que curiosamente vem antes de “craque” e depois de “crânio”. Talvez Niemeyer fosse as três coisas ao mesmo tempo.
Roberto Campos certa vez disse: “No meu dicionário, ‘socialista’ é o cara que alardeia intenções e dispensa resultados, adora ser generoso com o dinheiro alheio, e prega igualdade social, mas se considera mais igual que os outros.” Bingo!
Para quem ainda não está convencido de que toda essa comoção tem ligação com sua pregação política, pergunto: seria a mesma coisa se ele defendesse com tanta paixão Pinochet em vez de Fidel Castro? A tolerância seria a mesma se, em vez de Stalin, fosse Hitler o seu guru?
E não me venham dizer que são coisas diferentes! Tanto Stalin como Hitler eram monstros, da mesma forma que o comunismo e o nacional-socialismo são igualmente nefastos. Que grande humanista foi esse homem que defendeu até seu último suspiro algo tão desumano assim?
Acho compreensível o respeito pela obra de Niemeyer, ainda que gosto seja algo subjetivo e que a simbiose com o governo mereça críticas. Entendo o complexo de vira-lata que faz o povo babar com os poucos brasileiros famosos mundialmente. Mas acho inaceitável misturarem as coisas e o colocarem como um ícone do humanismo. Não faz o menor sentido.
Seu brilhantismo como artista não lhe dá um salvo-conduto para a defesa de atrocidades. É preciso saber separar as coisas, o gênio artístico do homem e suas ideias. E tenho certeza de que não é apenas sua arquitetura que gera essa idolatria toda. Basta ver a reação quando questionamos a pessoa, não o arquiteto.
Sua neta Ana Lúcia deixou clara a confusão: “As ideias que ele tentou passar de humanismo, justiça social, isso é tão importante quanto as obras dele. Acho que a gente tem que preservar e difundir o pensamento dele.” Como assim?
Aproveito para avisar que sou sensível ao sofrimento das vítimas do comunismo, mas sou imune à patrulha ideológica da CHEC. A afetação seletiva da turma “humanista” não me sensibiliza. É até cômico ser rotulado de radical por stalinistas.
Por fim, espero que Niemeyer chame logo seu camarada Fidel Castro para um bate-papo onde ele estiver, e que lá seja tão “paradisíaco” como Cuba é para os cubanos comuns. Talvez isso o faça finalmente mudar de ideologia...
Rodrigo Constantino é economista(0 GLOBO).

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

UM ESPERTO PRESIDENTE



É UMA VERGONHA! CADÊ A RECEITA FEDERAL, O PODER JUDICIÁRIO FEDERAL,
O MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO, A POLÍCIA FEDERAL......
PODE UM CIDADÃO ELEITO PRESIDENTE E PERTENCENTE À CLASSE MÉDIA
BAIXA, SE TORNAR, EM DOIS MANDATOS PRESIDENCIAIS, EM UM BILIONÁRIO
APENAS COM SEUS RENDIMENTOS E BENEFÍCIOS DO CARGO?
A RESPOSTA É SIM. O EX-PRESIDENTE LULA É UM SUPOSTO E EXEMPLAR CASO.
DESSE MILAGRE FINANCEIRO, TENDO-SE COMO BASE AS DENÚNCIAS RECORRENTES
JÁ FEITAS PELA MÍDIA.
CONFORME AMPLAMENTE NOTICIADO EM ALGUMAS OCASIÕES UMA CONCEITUADA
REVISTA - A FORBES – TROUXE À TONA ESSE TEMA, REPUTANDO A LULA A
POSSE DE UMA FORTUNA PESSOAL ESTIMADA EM MAIS DE US$ 2 BILHÕES,
DEVENDO-SE RESSALTAR QUE A PRIMEIRA DENÚNCIA OCORREU AO QUE TUDO
INDICA EM 2006, O QUE NOS LEVA A CONCLUIR QUE A “INTELIGÊNCIA
FINANCEIRA DO EX-PRESIDENTE” JÁ DEVE TER MAIS QUE DOBRADO ESSE
VALOR, NA FALTA DE UMA CONTESTAÇÃO FORMAL E LEGAL DO EX-PRESIDENTE
CONTRA A REVISTA.
ESTAMOS DIANTE DE UM SUPOSTO CASO EM QUE O SILÊNCIO PODE SER A MELHOR
DEFESA PARA NÃO MEXER NA PANELA APODRECIDA DOS PODRES PODERES DA
REPÚBLICA, EVITANDO AS CONSEQUÊNCIAS LEGAIS PERTINENTES E O
INEVITÁVEL DESGASTE PERANTE A OPINIÃO PÚBLICA.
NESTA SEMANA A DIVULGAÇÃO PELO WIKILEAKS DE SUSPEITAS - TAMBÉM JÁ
FEITAS ANTERIORMENTE - DE SUBORNOS ENVOLVENDO O EX-PRESIDENTE NAS
RELAÇÕES DE COMPRAS FEITAS PELO DESGOVERNO BRASILEIRO EM RELAÇÃO A
PROCESSOS DE LICITAÇÕES PASSADOS, OU EM ANDAMENTO, NOS CONDUZ,
NOVAMENTE, E NECESSARIAMENTE, A UMA PERGUNTA NÃO RESPONDIDA: COMO SE
EXPLICA O VERTIGINOSO CRESCIMENTO DO PATRIMÔNIO PESSOAL E FAMILIAR DA
FAMÍLIA LULA?
O QUE DEVEM ESTAR PENSANDO OS MILHARES DE CONTRIBUINTES QUE TÊM SUAS
DECLARAÇÕES DE RENDA REJEITADAS E SÃO LEGALMENTE, TODOS OS ANOS,
OBRIGADOS A DAR AS DEVIDAS SATISFAÇÕES À RECEITA FEDERAL SOBRE
CRESCIMENTOS PATRIMONIAIS TECNICAMENTE INEXPLICÁVEIS, MAS DE VALOR
EXPRESSIVAMENTE MENOR DO QUE O ASSOCIADO AO PATRIMÔNIO PESSOAL E
FAMILIAR DO EX-PRESIDENTE?
A RESPOSTA É SIMPLES E DIRETA: TUDO ISSO NOS PARECE SER UMA GRANDE E
REDUNDANTE SACANAGEM COM TODOS AQUELES QUE TRABALHAM FORA DO SETOR
PÚBLICO - DURANTE MAIS DE CINCO MESES POR ANO - PARA AJUDAR A
SUSTENTAR AQUILO QUE A SOCIEDADE JÁ ESTÁ SE ACOSTUMANDO A CHAMAR DE
COVIL DE BANDIDOS.
A PERGUNTA QUE FICA NO AR É SOBRE QUE ATITUDES DEVERIAM E DEVEM TOMAR
O MINISTÉRIO PÚBLICO, A RECEITA FEDERAL, O TRIBUNAL DE CONTAS E A
POLÍCIA FEDERAL DIANTE DE SUPOSTAS E ESCANDALOSAS EVIDÊNCIAS DE
ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DE ALGUÉM QUE FICOU DURANTE DOIS MANDATOS
CONSECUTIVOS NO CARGO DE PRESIDENTE DA REPÚBLICA?
NA FALTA DE ATITUDES INVESTIGATIVAS OU CONSEQUÊNCIAS LEGAIS, COMO
SEMPRE, A MENSAGEM QUE O PODER PÚBLICO PASSA PARA A SOCIEDADE É DE
UMA GROTESCA E SISTEMÁTICA IMPUNIDADE PROTETORA DE TODOS, OU QUASE
TODOS, QUE PACTUAM COM A TRANSFORMAÇÃO DO PAÍS EM UM PARAÍSO DE
PATIFES.
NO BRASIL, CADA VEZ MAIS, A CORRUPÇÃO COMPENSA E AS EVENTUAIS
PUNIÇÕES JÁ VIRARAM BRINCADEIRA QUE NOSSA SOCIEDADE, NO CERNE DOS
SEUS NÚCLEOS DE PODER PÚBLICOS E PRIVADOS APRENDEU: A IMPUNIDADE A
LEVA A SE NIVELAR POR BAIXO ACEITANDO QUE ROUBAR O CONTRIBUINTE JÁ SE
TORNOU UM ATO POLITICAMENTE CORRETO PARA QUE A O PROJETO DE PODER DO
PT – UM REGIME CIVIL FASCISTA FUNDAMENTADO NO SUBORNO E EM UM
ASSISTENCIALISMO COMPRADOR DE VOTOS – SIGA INEXORAVELMENTE AVANTE.
A OMISSÃO DO PODER PÚBLICO DIANTE DA ABSURDA DEGENERAÇÃO MORAL DAS
RELAÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS SOMENTE NOS DEIXA UMA ALTERNATIVA DE
QUALIFICAÇÃO: ESTAMOS DIANTE DO PODER PÚBLICO MAIS SAFADO E SEM
VERGONHA DE NOSSA HISTÓRIA.
A PROPÓSITO QUEM ROUBOU O CRUCIFIXO DO GABINETE PRESIDENCIAL NO FINAL
DO DESGOVERNO LULA?

(Fonte: GERALDO ALMENDRA) 
(*) ECONOMISTA E PROFESSOR DE MATEMÁTICA, PETRÓPOLIS.