quarta-feira, 31 de outubro de 2012

MAIS 1 ERRO MÉDICO

LIPO CEIFA MAIS UMA VIDA.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
A banalização da vida humana continua em todos os setores. Erros médicos e gravíssimos são cometidos a toda hora. São os resultados das péssimas qualidades e responsabilidades das faculdades existentes no Brasil. O que importa, são os ganhos auferidos, em detrimento da qualidade dos cursos oferecidos, aliados a não fiscalização do Estado.
A modelo Pamela Baris Nascimento, 27, que já trabalhou como assistente de palco em programas de televisão, morreu durante uma lipoaspiração em uma clínica no Ipiranga (na zona sul de São Paulo). O caso ocorreu no último dia 19, mas a polícia só foi informada ontem pela manhã. De acordo com a investigação, o fígado de Pamela acabou perfurado durante a cirurgia. Ela perdeu muito sangue, sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. O corpo já havia sido removido para São Francisco do Sul, em Santa Catarina, onde foi enterrado, quando a polícia soube do ocorrido. Segundo Nelson Junior, advogado do hospital Green Hill, onde o procedimento foi feito, foi opção da família enviar o corpo para a cidade natal e não comunicar primeiro as autoridades. Foi a tia da vítima, Enedida Nascimento, 61, quem decidiu procurar a polícia. A mãe biológica da modelo morreu quando ela tinha apenas seis anos.      
"Ela chegou andando e saiu morta da clínica. Quando recebemos a notícia, ficamos revoltados. Eu nem fiquei sabendo que ela faria essa cirurgia, ela não me disse, pois eu não gostava dessas coisas", contou Enedina. Agora, o caso é investigado como homicídio culposo (quando não há a intenção de matar). A polícia aguarda a exumação do corpo e o resultado de exames do IML (Instituto Médico Legal). O delegado-titular do 17º Distrito Policial (Ipiranga), Evandro Luís de Melo Lemos, disse que vai pedir uma ordem judicial para ouvir o médico responsável pela cirurgia, Júlio César Yoshimura. A polícia também investiga se houve crime de fraude processual, já que não foi avisada sobre a remoção do corpo. Os responsáveis pelo hospital Green Hill se reuniram com os familiares da jovem na noite do próprio dia 19 para informar o ocorrido e oferecer o apoio necessário. Pamela, atualmente, não atuava mais na televisão e cursava biomedicina na FMU. Já era a terceira lipoaspiração a que ela se submetia. OUTROS CASOS Ao menos outras duas brasileiras morreram neste ano após se submeterem a cirurgias estéticas. Em fevereiro, a paraense Graciane Carvalho Sampaio, 28, morreu após fazer lipoaspiração e implante de silicone em uma clínica nos EUA. Em janeiro, a defensora pública Maria Luiza Coelho, 48, morreu após passar por uma cirurgia de lipoaspiração e sustentação dos seios no Hospital Unimed, em Boa Vista (RR).



terça-feira, 30 de outubro de 2012

ADEUS LULA


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário): 










A presença constante de Luís Inácio Lula da Silva no noticiário impõe a discussão sobre o papel que deveriam desempenhar os ex-presidentes. A democracia brasileira é muito jovem. Ainda não sabemos o que fazer institucionalmente com um ex-presidente. Dos quatros que estão vivos, somente um não tem participação política mais ativa. O ideal seria que após o mandato cada um fosse cuidar do seu legado. Também poderia fazer parte do Conselho da República, que foi criado pela Constituição de 1988, mas que foi abandonado pelos governos — e, por estranho que pareça, sem que ninguém reclamasse.
Exercer tão alto cargo é o ápice da carreira de qualquer brasileiro. Continuar na arena política diminui a sua importância histórica — mesmo sabendo que alguns têm estatura bem diminuta, como José Ribamar da Costa, vulgo José Sarney, ou Fernando Collor. No caso de Lula, o que chama a atenção é que ele não deseja simplesmente estar participando da política, o que já seria ruim. Não. Ele quer ser o dirigente máximo, uma espécie de guia genial dos povos do século XXI. É um misto de Moisés e Stalin, sem que tenhamos nenhum Mar Vermelho para atravessar e muito menos vivamos sob um regime totalitário.
As reuniões nestes quase dois anos com a presidente Dilma Rousseff são, no mínimo,constrangedoras. Lula fez questão de publicizar ao máximo todos os encontros. É um claro sinal deinterferência. E Dilma? Aceita passivamente o jugo do seu criador. Os últimos acontecimentos envolvendo as eleições municipais e o julgamento do mensalão reforçam a tese de que o PT criou a presidência dupla: um, fica no Palácio do Planalto para despachar o expediente e cuidar da máquina administrativa, funções que Dilma já desempenhava quando era responsável pela Casa Civil; outro, permanece em São Bernardo do Campo, onde passa os dias dedicado ao que gosta, às articulações políticas, e agindo como se ainda estivesse no pleno gozo do cargo de presidente da República.
Lula ainda não percebeu que a presença constante no cotidiano político está, rapidamente, desgastando o seu capital político. Até seus aliados já estão cansados. Deve ser duro ter de achar graça das mesmas metáforas, das piadas chulas, dos exemplos grotescos, da fala desconexa. A cada dia o seu auditório é menor. Os comícios de São Paulo, Salvador, São Bernardo e Santo André, somados, não reuniram mais que 6 mil pessoas. Foram demonstrações inequívocas de que ele não mais arrebata multidões. E, em especial, o comício de Salvador é bem ilustrativo. Foram arrebanhadas — como gado — algumas centenas de espectadores para demonstrar apoio. Ninguém estava interessado em ouvi-lo. A indiferença era evidente. Os “militantes” estavam com fome, queriam comer o lanche que ganharam e receber os 25 reais de remuneração para assistir o ato — uma espécie de bolsa-comício, mais uma criação do PT. Foi patético.
O ex-presidente deveria parar de usar a coação para impor a sua vontade. É feio. Não faça isso. Veja que não pegou bem coagir:
1. Cinco partidos, para assinar uma nota defendendo-o das acusações de Marcos Valério;
2. A presidente, para que fizesse uma nota oficial somente para defendê-lo de um simples artigo de jornal;
3. Ministros do STF, antes do início do julgamento do mensalão. Só porque os nomeou? O senhor não sabe que quem os nomeou não foi o senhor, mas o presidente da República? O senhor já leu a Constituição?
O ex-presidente não quer admitir que seu tempo já passou. Não reconhece que, como tudo na vida, o encanto acabou. O cansaço é geral. O que ele fala, não mais se realiza. Perdeu os poderes que acreditava serem mágicos e não produto de uma sociedade despolitizada, invertebrada e de um fugaz crescimento econômico. Claro que, para uma pessoa como Lula, com um ego inflado durante décadas por pretensos intelectuais, que o transformaram no primeiro em tudo (primeiro autêntico líder operário, líder do primeiro partido de trabalhadores, etc. etc.), não deve ser nada fácil cair na real. Mas, como diria um velho locutor esportivo, “não adianta chorar”. Agora suas palavras são recebidas com desdém e um sorriso irônico.
Lula foi, recentemente, chamado de deus pela então senadora Marta Suplicy. Nem na ditadura do Estado Novo alguém teve a ousadia de dizer que Getúlio Vargas era um deus. É desta forma que agem osaduladores do ex-presidente. E ele deve adorar, não? Reforça o desprezo que sempre nutriu pela política. Pois, se é deus, para que fazer política? Neste caso, com o perdão da ousadia, se ele é deus não poderia saber das frequentes reuniões, no quarto andar do Palácio do Planalto, entre José Dirceu e Marcos Valério?
Mas, falando sério, o tempo urge, ex-presidente. Note: “ex-presidente”. Dê um tempo. Volte para São Bernardo e cumpra o que tinha prometido fazer e não fez. Lembra? O senhor disse que não via a hora de voltar para casa, descansar e organizar no domingo um churrasco, reunindo os amigos. Faça isso. Deixe de se meter em questões que não são afeitas a um ex-presidente. Dê um bom exemplo. Pense em cuidar do seu legado, que, infelizmente para o senhor, deverá ficar maculado para sempre pelo mensalão. E lá, do alto do seu apartamento de cobertura, na Avenida Prestes Maia, poderá observar a sede do Sindicato dos Metalúrgicos, onde sua história teve início. E, se o senhor me permitir um conselho, comece a fazer um balanço sincero da sua vida política. Esqueça os bajuladores. Coloque de lado a empáfia, a soberba. Pense em um encontro com a verdade. Fará bem ao senhor e ao Brasil.
 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A TÁBUA DO DESESPERO








Lula ganha a capital de Sampa.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A vitória do candidato imposto por Lula na capital paulistana, apenas serve para maquiar a grande derrota do PT no país. Os escândalos mensais nos 18 meses do governo Dilma, somado as condenações dos "companheiros' no julgamento do mensalão, impuseram fragorosa derrota. È hilárica a afirmação do José Dirceu de que, o partido saiu-se vitorioso nessas eleições. O resultado das urnas de norte a sul do Brasil, comprovam justamente o contrário. O eleitor verde-amarelo, está começando a entender e descobrir que foi duramente enganado. A siga "PT" deixou de ser o partido dos trabalhadores, para tornar-se sinônimo de : "P iorou T udo. Por outro lado, a derrota do tucano José Serra, praticamente o aniquila politicamente. Compete agora aos coronéis do PSDB, guindar o senador Aécio Neves à presidencia nacional do partido, se, quiserem almejar algo nas próximas eleições majoritárias em 2014. Caso contrário, o PDS do kassab e o PSD do  Eduardo Campos (este é a pedrinha no sapato do Planalto), ganharão definitivamente o espaço que tanto desejam.




domingo, 28 de outubro de 2012

RELAX DOMINICAL


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):






M.J. esse cara, SOU EU!

http://youtu.be/sMyDXgUCdYs





sábado, 27 de outubro de 2012

APARÊNCIAS


Não te percas na contemplação excessiva do plano exterior, aniquilando a gloriosa oportunidade de tua própria ascensão à Luz Divina.
Aquele que passa na estrada, exibindo pesada bagagem de ouro, provavelmente transporta um coração atormentado e infeliz.
Muitas vezes, quem estende os braços, implorando a esmola fácil, traz consigo a revolta e a dureza íntima, sob o farrapo humilhante.
Não raro, o jovem que provoca a inveja de muitos se dirige para destino doloroso, fazendo-se credor de nossa simpatia em preces de intercessão.
Freqüentemente, aquele que te parece feliz, no círculo da prosperidade transitória, é um irmão desventurado, entre aflições morais que lhe constringem o Espírito.
Não julgues o rico por impiedoso, nem o pobre por humilde.
Não suponhas a Felicidade na beleza efêmera do corpo, nem admitas a virtude incorruptível onde se encontre a felicidade passageira.
Às vezes, a santificação permanece com aquele que se afigura pecador e a maldade se resguarda no imo de quem se oculta na máscara da pobreza e da angústia, no jogo das aparências.
Lembra-te de que a Força Divina sabe ver nas profundezas e, com o arado do tempo, tudo corrige, reajusta e eleva, sem necessidade de nossa apreciação individual.
Aproveitemos o campo da boa luta para a sementeira do bem, porque não responderemos pelos outros e sim por nós mesmos, quando a ordem superior da vida nos conduzir a exame necessário.
Não te prendas à sombra e, consciente de que receberemos, segundo as nossas próprias obras, procuremos, cada dia, a glória de servir, a fim de encontrarmos na imortalidade, fora das ilusões da carne, a Felicidade verdadeira e maior.
(Pelo Espírito Emmanuel - Do livro: Instrumentos do Tempo, Médium: Francisco Cândido Xavier).
 MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
O Ir. Emmanuel, como sempre nos oferecendo grandes ensinamentos.



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

LEWNADOWSKI X BARBOSA


Vossa excelência advoga para ele?
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
As diversas divergências ocorridas entre os dois magistrados durante as sessões do julgamento do mensalão, culminou ontem com a pergunta indgnada do ministro relator ao colega revisor, referindo às penas brandas que Lewandowski queria imputar ao condenado Marcos Valério. O clima ficou tão 'quente' que, diversos magistrados interferiram no diálogo. È evidente que são homens que estão trabalhando sob pressão altíssima, ao longo do julgamento. Porém, também é público e notório a vontade do ministro Ricardo Lewamdowski em absolver muitos dos réus e, principalmente a aplicação de penas brandas aos condenados pelos demais magistrados.




quarta-feira, 24 de outubro de 2012

STF: INDEFINIÇÃO TOTAL














Marcos Valério ficará em regime fechado.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Numa sessão confusa, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) passaram a sessão debatendo métodos para a aplicação de penas aos réus e fecharam o dia sem conseguir concluir sequer o período de prisão que o operador do mensalão, Marcos Valério de Souza, o primeiro réu na lista dos 25 condenados pela corte, cumprirá atrás das grades. Os ministros deixaram de acertar previamente a metodologia para fixação das penas, a chamada fase da “dosimetria”, o que fez da sessão um desastre total do ponto de vista organizacional. Os primeiros deslizes, inclusive, partiram do relator da ação penal, Joaquim Barbosa, quando aplicou dias multas ao anunciar seu primeiro “capítulo”, sobre formação de quadrilha, envolvendo Marcos Valério. O crime de formação de quadrilha, não prevê esse tipo de multa.  Quanto aos dois anos e onze meses de reclusão, tudo bem. Os ministros decidiram que os casos que permaneciam empatados, com placar em 5 votos a 5, deveriam concluir pela absolvição dos réus. Também deliberaram que os ministros que votaram pela absolvição dos réus não votarão sobre o tamanho das penasMarcos Valério, condenado por todos os crimes pelos quais foi denunciado pelo Ministério Público, por ora, já tem pena parcial de 11 anos e oito meses de reclusão, o que exige o cumprimento inicial da sanção em regime fechado, além do pagamento de multa de 978 000 reais. Um dos advogados do chamado núcleo publicitário do esquema estima que a pena chegará a 50 anos de reclusão. Ele responde a pelo menos outros 11 processos fora a ação penal do mensalão(ainda em julgamentos), portanto oficialmente não há a agravante da reincidência. “Como a quadrilha alcançou o objetivo que era a compra de apoio político de parlamentares federais, esse fato colocou em risco o regime democrático, a independência dos poderes e o próprio sistema republicano, tudo isso em flagrante violação da Constituição Federal”,  Barbosa. utilizou como agravantes de pena e circunstâncias desfavoráveis contra Valério, por exemplo, a posição de liderança que ocupou em um dos núcleos do esquema do mensalão, o objetivo de enriquecer ilicitamente e as consequências lesivas do desvio de recursos públicos. Espera-se hoje, as penas a serem aplicadas sejam definidas  tambem pelos crimes corrupção ativa, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. 






terça-feira, 23 de outubro de 2012

AÇÕES PRESIDENCIAIS


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Se depois da matéria abaixo o brasileiro ainda tiver dúvidas, é mesmo um bando de cordeirinhos.










SAIBA O QUE LULA FEZ DE 2002 A 2010 COM A “DIVIDAINTERNA/EXTERNA” DO BRASIL 
Você ouve falar em
DÍVIDA EXTERNA e DÍVIDA INTERNA
Em jornais e TV e não entende direito vamos explicar a seguir:


DIVIDA EXTERNA:

É uma dívida com os Bancos, Mundial, o FMI e outras Instituições,
No exterior em moeda externa.

DIVIDA INTERNA:

É uma dívida com Bancos em R$ (moeda nacional) no país.
Então, quando LULA assumiu o Brasil,
Em 2002, devíamos:
ü Dívida externa = 212 Bilhões
ü Dívida interna = 640 Bilhões
ü Total DA Dívida = 851 Bilhões
Em 2007 Lula disse que tinha pago a dívida externa.
E é verdade, só que ele não explicou que, Para pagar a dívida externa, Ele aumentou a dívida interna:
Em 2007 no governo Lula:
ü Dívida Externa = 0 Bilhões
ü Dívida Interna = 1.400 Trilhão
ü Total DA Dívida = 1.400 Trilhão
Ou seja, a Dívida Externa foi paga, mas a dívida interna quase dobrou.
Agora, em 2010, você pode perceber que não se vê mais na TV e em jornais algo dito que seja convincente sobre a Dívida Externa quitada.
Sabe por que?
É que ela voltou…
Em 2010 no governo Lula:
ü Dívida Externa = 240 Bilhões
ü Dívida Interna = 1.650 Trilhão
ü Total DA Dívida = 1.890 Trilhão
Ou seja, no governo LULA,
A dívida do Brasil aumentou em 1 Trilhão!!!
Daí é que vem o dinheiro que o Lula está gastando no PAC,
Bolsa família, bolsa educação, bolsa faculdade, bolsa cultura,
Bolsa para presos, dentre outras mais bolsas…
E de onde tirou 30 milhões de brasileiros DA pobreza !!!
E não é com dinheiro do crescimento,
Mas sim, com dinheiro de 
ENDIVIDAMENTO. Compreenderam?
Ou ainda acham que Lula é mágico?
Ou que FHC deixou um caminhão de dólares
Para Lula gastar?
Quer mais detalhes,
Sobre dívida interna e externa do Brasil?
Os brasileiros, vão pagar muito caro pela atitude perdulária do governo Lulla,
Que não está conseguindo pagar OS juros dessa
“Dívida trilhardária”
Tendo que engolir um “spread”(txa. Juros)
Muito caro para refinanciar OS “papagaios”,
Sem deixar nenhum benefício para o povo,
Mas apenas
DIVIDAS A PAGAR
Por todos OS brasileiros,
Que pagam seus impostos…!!!
A pergunta que não quer calar é:
Dilma
Vai continuar esta gastança?





segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A NOVA BANDEIRA NACIONAL










MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
O autor deveria ter assinado. È genial!






Senhor, tende piedade de nós!
Pelo Marcos Valério e o Banco Rural
Pela casa de praia do Sérgio Cabral
Pelo dia em que Lula usará o plural 

Senhor, tende piedade de nós!
Pela jogada milionária do Lulinha com a Telemar
Pelo dia em que finalmente Dona Marisa vai falar

Senhor, tende piedade de nós!
Pela "queima de arquivo" do Toninho(de Campinas) e Celso Daniel
Pela compra do dossiê no quarto de hotel
Pelos "hermanos compañeros" Evo, Chaves e Fidel
Senhor, tende piedade de nós! Pela volta triunfal do "caçador de marajás"
Pelo Duda Mendonça e os paraísos fiscais
Pelo Galvão Bueno que ninguém aguenta mais 

Senhor, tende piedade de nós!Pela família Maluf e suas contas secretas 
Pelo dólar na cueca e pela máfia da Loteca
Senhor, tende piedade de nós!
Pela invejável "cultura" da Adriane Galisteu
Pelo "picolé de chuchu" (Alkmim) que esquentou e derreteu
Pela infinita bondade do comandante Zé Dirceu
 Senhor, tende piedade de nós!
Pela eterna desculpa da "herança maldita"
Pelo "chefe" Lula abusar da birita
Pelo  penteado da companheira Benedita 

Senhor, tende piedade de nós!
Pelo Ali Babá e sua quadrilha
Pelo Zé Sarney e sua filha 

Senhor, tende piedade de nós! 
Para que possamos ter muita paciência
Para que o povo perca a inocência
E proteste contra essa indecência 

Senhor, dai-nos a paz!

domingo, 21 de outubro de 2012

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Ah! que bom seria se todos eles nunca mais fossem eleitos.





sábado, 20 de outubro de 2012

VIRUS DESTRUÍDOR




A intriga é semelhante a um vírus destruidor que se multiplica rapidamente, aniquilando a organização de que se nutre.

Imiscui-se sutilmente e prolifera com volúpia, irradiando a sua morbidez devastadora.

Com facilidade transfere-se de uma para outra vítima, conseguindo gerar o ambiente pestífero que lhe é próprio.

O intrigante, por sua vez, é enfermo da alma, portando graves distúrbios emocionais e morais.

É invejoso, e transfere-se da conduta deplorável que lhe é característica para a das acusações perniciosas; é portador de complexo de inferioridade, mantendo sentimentos competitivos com os demais, e porque não possui os requisitos hábeis para vencer, oculta-se na intriga, mediante a qual denigre aquele de quem se faz opositor; é perverso, porque respira mágoas a respeito do seu próximo, que procura anular através das covardes assacadilhas...

Urde planos nefastos e mascara-se com sorrisos pérfidos com que engana as suas vítimas, enquanto as combate com ferocidade.

Sempre armados, a sua imaginação corrompe tudo quanto ouve e vê, adaptando à vérmina que traz no pensamento. Ninguém se livra da intriga insidiosa e cruel.

São célebres na História da Humanidade as intrigas palacianas...

Nas cortes, onde a frivolidade e o ócio predominavam, as intrigas no passado, assim como no presente, têm sido o alimento mantenedor dos parasitas morais que as constituem.

Quase todas as criaturas têm sido abaladas pela insídia da sua maldade, derrubando potentados e afastando pessoas nobres da execução dos seus elevados ideais.

Tronos são derruídos pela insídia da intriga; reis e potestades tombam nas malhas que as asfixiam.

A intrig é irmão gêmea da traição que se homizia no âmago dos Espíritos infelizes.

Todo grupamento social, político, acadêmico, popular, religioso, cultural ou de trabalho e de lazer, é vítima dos profissionais da intriga, neles integrados com os nefandos objetivos de os desagregar.

...E a intritga campeia a soldo da insegurança, da imaturidade psicológica das criaturas humanas.

O intrigante é instrumento dócil das Trevas que pretendem manter a sociedade na ignorância, no atraso moral, a fim de nutrir-se das emanações humanas que vampirizam.

Movimenta-se com facilidade porque é pusilânime, tornando-se hoje amigo daquele que no passado feriu, e assim, sucessivamente, em relação às pessoas que, no futuro, serão suas vítimas.

Alegra-se ao ver os distúrbios que provoca sem deixar-se trair, sorrindo de prazer ante as injunções penosas que a sua conduta reprochável dá lugar.

Encontra-se em toda parte, por constituir larga fatia da sociedade inditosa que se compraz na maledicência, nas observações distorcidas...

São necessários antídotos vigorosos para sanar essa epidemia ou muita água em forma de paciência e compaixão para apagar os incêndios morais que provoca.

A intriga é semelhante a cupim que destrói a fonte de onde retira o alimento, sem deixar vestígios externos, até o momento em que se desorganizam as estruturas nas quais se refugia.

Fecha os ouvidos à persuasiva palavra simulada do intrigante, que te escolhe para a catarse da própria desdita.

Não passes adiante a informação infeliz que ele te transmite com o objetivo de envenenar-te o que, invariavelmente, consegue.

Abafa a intriga que te chega ao conhecimento no poderoso algodão do silêncio e da dignidade.

Desarma-te, em relação ao teu irmão, adquire autoconfiança e autoconsciência, que te instrumentalizam para não aceitares a morbidez da intriga destruidora.

Mesmo no colégio galileu, a intriga e o ciúme campeavam, culminando na traição de Judas e em negação de Pedro em referência a Jesus, que sempre os amou.

Sê fiel ao teu ideal, mantendo lealdade com relação àqueles que constituem a tua família biológica, quanto a espiritual.

Não agasalhes informações nefastas, deixando-te contaminar pelo morbo sempre ativo da intriga.

Respeita a concha dos teus ouvidos, preservando-a da intriga e dignifica a tua voz não a propagando, dessa maneira deixando-a diluir-se no oceano da tua conduta moral.

Aqueles que se permitem criar embaraços ao seu próximo, acusando-os, indevidamente, tecendo as redes das informações malsãs, vigiando-os de forma implacável, empurrando-os na direção do abismo do desânimo e do sofrimento, tornam-se responsáveis pelo mal que lhes venha acontecer.

São as mãos invisíveis que os asfixiam e as forças infelizes que os comprimem, derrubando-os pelo caminho da evolução.

Se alguém, por acaso, não corresponde à tua confiança, nem retribui o teu comportamento sadio, não te aflijas, porque o infeliz é ele que, ingrato, não é capaz de compreender a beleza nem o significado da amizade legítima.

Em qualquer circunstância, sê aquele que vive com elevação e honradez, a fim de que longos e saudáveis sejam os teus dias na viagem abençoada pela Terra.

Divulga o bem e canta a glória da afeição pura, entronizando na mente e na emoção, os valores da alegria defluente dos deveres retamente cumpridos.

Embora aceito pelos frívolos, o intrigante é detestado e temido por todos, que lhe conhecem o caráter e percebem que, de um para outro momento, poderão ser-lhes vítimas também.

O que fazem com os outros, certamente farão contigo, sem compaixão.

Jesus recomendou a vigilância e a oração como terapia preventiva e curadora, para uma existência digna e feliz.

Vigia as nascentes do coração para que nelas brote a água lustral do amor que se expande, enquanto orarás, arando com os tratores da caridade, os solos humanos que a vida te oferece.

Intriga, jamais!
(Pelo Espírito Joana de Ângelis - Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na sessão mediúnica da noite de 10 de setembro de 2012, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia. 
















sexta-feira, 19 de outubro de 2012


COMO LEWANDOWSKI JULGARIA HITLER (ÓTIMA)
 “Senhores, não existem filmes, fotos, nem testemunhas de Hitler
abrindo registro de gás em campos de concentração, nem apertando o
botão de uma Bomba V2 apontada para Londres, pilotando um caça
Stuka, dirigindo um tanque Panzer, disparando um torpedo de um
submarino classe U-Boat sobre seu comando a navegar no Atlântico ou
mesmo demonstrando habilidades no manuseio de um canhão antiaéreo
Krupp, manipulando uma metralhadora MP40, uma pistola Walther P-38 ou
simplesmente dirigindo um jipe Mercedes Benz acompanhado do general
Von Rommel pelos desertos do norte da África.
Por isto, parece claro que não existe nada a incriminá-lo. Com
certeza, ele não sabia de nada. Não via nada. A oposição diz que
foram queimados documentos incriminatórios importantes, mas nada,
absolutamente nada foi comprovado, apenas evidenciou-se a existência
de cinzas e destroços por todos lados que somente foram trazidos com
a chegada dos americanos e russos que não fazem parte da peça de
acusação do proceso entregue pelo “Parquet”; o Sr. Procurador.
Afinal, ele seria apenas um Chanceler e presidente do Partido
Nazista; ou seja. ele não passava de um mequetreque. Jamais foi pego,
ou mesmo visto transportando armamentos debaixo dos braços (tipo pão
francês) ou carregando pacotes de dinheiro nas cuecas.
Alguns relatos que citavam seu nome eram meros registros de co-réus,
como alguns membros da Gestapo, os quais, por conseguinte, carentes de
confiabilidade.
Outros relatos são de inimigos figadais – os denominados
“Países Aliados” e assim longe de merecerem qualquer relevância
para serem tomadas com fundamentos de acusação.
 Alguns o acusam de ter invadido Paris e desfilado sob o Arco do
Triunfo. Esta é mais uma acusação inventiva dos opositores. Ele
apenas foi visitar seu cordial amigo o General De Gaule que
infelizmente havia viajado para o sul da França. Ele então, teria
apenas aproveitado a sua viagem para passear e fazer compras na Avenue
de Champs Elisé com seus amigos. Qualquer outra conclusão é mera
ilação ou meras conjecturas que atentam a qualquer inteligência
mediana. Por aí, vemos que nada, contribui para a veracidade
das acusações.


        Não afasto a possibilidade dele ser o suposto mentor intelectual,
mas nada, repito, nada consubstancia esta hipótese nos autos. E olha
que procurei em mais de 1 milhão e 700 mil páginas em 10.879 pastas
do processo.



        E não podemos esquecer que ele foi vítima de diversos atentados que
desejavam sua morte, articulados pela mídia e pelas potentes e
inconformadas forças conservadoras. Seus ministros como Goebels,
Himmiler, Rudolf Hess e outros também nada sabiam. Eram coadjuvantes
do NADA; sem nenhuma responsabilidade de “facto”.



        O holocausto talvez tenha sido um suicídio coletivo ao estilo do
provocado há anos nos EUA pelo Pastor Jim Jones. É, ainda hoje, um
tema controverso. Assim trago aos pares, como contraponto, a tese
defendida pelo filósofo muçulmano Almanidejah que garante a
inexistência de tal desgraça da humanidade



        Assim – já estou me dirigindo para encerrar meu voto Sr.
Presidente – afirmando acreditar que todos eles foram usados,
trapaceados por algum aloprado tesoureiro de um banco alemão que
controlava financeiramente a tudo e a todos; especialmente os projetos
políticos e as doação corruptivas. E tudo em nome da realização
de um plano maquiavélico individual de domínio total que concebeu e
monitorava do porão da sua pequenina casa nos Alpes.



        “Enfim, depois de exaustivas e minuciosas vistas nos autos,
especialmente nos finais de semana, trago aos pares novos dados que
peço ao meu colaborador Adolfo para distribuir a todos. Depois desta
minha “assentada” declaro a improcedência da ação, inocentando
por completo o réu por falta de provas.



        É como voto Sr. Presidente.”


     MOMETOBRASIL.COM(Comentario):
Seria cômico se não fosse trágico.




JUSTA HOMENAGEM



Uma das principais vias de acesso na capital paulista terá o nome mudado.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A maioria dos chamados homens públicos, gostariam de ter o próprio nome nominando vias públicas e coisas que o valham.
A Prefeitura de Sampa está pleiteando junto a Câmara Municipal, uma homenagem ao ex-presidente Lula, com referencia a uma das mais importantes vias públicas da cidade que, passaria a chamar-se:
"Marginal Luis Inácio Lula da Silva".


                





                

.






quinta-feira, 18 de outubro de 2012

MÁSCARAS CAINDO




MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Cumprindo com o nosso dever de bem informar.





Deu no DM: STF será julgado por Corte internacional

Categoria: Diário de Goiás
Publicado em Domingo, 14 Outubro 2012 10:45
Escrito por Redação do Diário de Goiás


Especialista em Direito Penal afirma que alguns pontos do julgamento não foram respeitados pelos ministros do Supremo, colocando em perigo o Estado democrático de direito
Com texto de Helmiton Prateado, entrevista publicada no Diário de Manhã de hoje, 14/10, o advogado Pedro Paulo Guerra de Medeiros mostra um alerta sobre o julgamento da Ação Penal 470, no Supremo Tribunal Federal (STF).
 Veja a entrevista:


O advogado Pedro Paulo Guerra de Medeiros diz que o julgamento da Ação Penal 470, popularmente chamada de mensalão, está sendo uma sucessão de problemas causados pelos ministros e que deverá ser a origem de um constrangimento para o Brasil. “É praticamente certo que esse julgamento será levado a organismos internacionais, como a Corte Interamericana de Direitos Humanos, pela forma arbitrária como está se processando esse julgamento”, explicou.
Pedro Paulo é especialista em Direito Penal, conselheiro da OAB-GO e professor universitário. Em entrevista ao DM, ele detalha os principais pontos de discórdia sobre o julgamento e o que deverá ser objeto de questionamento em uma corte internacional para rever as possíveis condenações.
“Alguns pontos não respeitados pelos ministros do Supremo Tribunal Federal estão colocando em grave perigo o estado democrático de direito, situação que não podemos permitir, pois a democracia é um valor muito caro para a sociedade brasileira. O direito a uma revisão do julgamento e o princípio do juiz natural são alguns desses quesitos que estão sendo afrontados pelos eminentes componentes do STF”, frisa.
Para o advogado, a forma deste processamento está se assemelhando a um tribunal de exceção ou mesmo aos julgamentos da inquisição, o que tira o caráter democrático da mais alta Corte do País. “Precisamos impedir violações, sob pena de criarmos um monstro incontrolável que se voltará contra nós no futuro.”
Diário da Manhã – O julgamento do mensalão é passível de ser revisto?
Pedro Paulo Medeiros – Sim, por certo que deverá ser. Esse julgamento, assim como qualquer ato de poder público do Estado brasileiro, pode ser submetido à Corte Interamericana de Direitos Humanos se existir alguma nuance a caracterizar que esse ato afronta a Convenção Americana de Direitos Humanos. Essa convenção é um tratado internacional de direitos humanos, da qual o Brasil é signatário. De forma soberana, o Brasil aderiu a esse tratado e se comprometeu a cumpri-lo. Dessa forma, algumas premissas são de cumprimento obrigatório e estão sendo violadas nesse julgamento.
DM – De forma mais direta, quais são essas violações?
Pedro Paulo Medeiros – Neste caso concreto, o Supremo Tribunal Federal está julgando e condenando acusados. Nós, advogados, entendemos que está afrontando a Convenção Americana em alguns pontos bem claros. O primeiro é que está se dando um julgamento parcial, pois o mesmo juiz que colheu as provas na fase de inquérito, ministro Joaquim Barbosa, é o mesmo juiz que está agora julgando. Isso é muito próximo do que víamos na inquisição, até porque também não está estabelecido o contraditório. Outro ponto crucial nesse julgamento é a inexistência de um duplo grau de jurisdição. Esse princípio reza que o cidadão tenha sempre o direito de recorrer a uma instância acima quanto à sua eventual condenação. Como já estão sendo julgados pelo mais alto Tribunal do País, esses acusados não terão direito à revisão de seu caso, como se os ministros do STF fossem infalíveis e seus atos sejam de forma dogmática irrecorríveis.
DM – Esta convenção prevê possibilidade de recurso?
Pedro Paulo Medeiros – Justamente nesse ponto, está havendo a mais grave agressão. A Convenção Americana de Direitos Humanos estabelece que em casos de julgamentos criminais o indivíduo terá sempre direito de recorrer a alguma instância superior, o que não existe no Brasil. Em resumo, os acusados que forem condenados no STF têm o direito previsto na convenção de recurso de revisão para seus casos e não há previsão no ordenamento brasileiro para isso. Dois casos semelhantes já foram levados à Corte, e neles a Corte admitiu que houve violações e determinou que fossem corrigidas as distorções. No caso Las Palmeras, a Corte Interamericana mandou processar novamente um determinado réu (na Colômbia), porque o juiz do processo era o mesmo que o tinha investigado anteriormente. Uma mesma pessoa não pode ocupar esses dois polos, ou seja, não pode ser investigador e julgador no mesmo processo, sob pena de repetirmos a inquisição e o regime militar autoritário que há pouco nos cerceava os direitos mais simples. No caso Barreto Leiva contra Venezuela, se depreende precedente indicativo de que o julgamento da Ação Penal 470 no STF poderá ser revisado para se conferir o duplo grau de jurisdição para todos os réus, incluindo-se os que gozam de foro especial por prerrogativa de função. Além da violação ao princípio do juiz natural, que é um direito previsto na convenção americana de o cidadão não ser julgado por juiz que não tenha competência expressa para fazê-lo.
DM – Caso a Corte Americana julgue contra o STF, qual é o resultado prático?
Pedro Paulo Medeiros – A Corte prolata uma decisão para o Brasil para que o Supremo cumpra o que foi pactuado na convenção. O Brasil tem de cumprir de bom grado, corrigindo as distorções, ou sofrerá sanções internacionais, como embargos, e estará dando uma demonstração para a comunidade internacional de que não cumpre normas que ele mesmo prega: respeito e cumprimento. Não se pode conceber que o Brasil tenha esta postura, principalmente quando quer ser ator de primeira grandeza no cenário internacional, inclusive postulando um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.
DM – Há opiniões sobre a falta de contraditório no processo. Isso procede?
Pedro Paulo Medeiros – Sim, esse é um dos argumentos dos defensores. Basta prestar atenção nos votos dos ministros que condenam os envolvidos. Eles estão aceitando indícios como provas e elementos colhidos fora do processo, como dados da Comissão Parlamentar de Inquérito dos Correios ou mesmo durante o inquérito. Está patente que esses elementos não passaram pelo contraditório e pela ampla defesa. É regra no direito brasileiro que, remonta a toda a doutrina jurídica, que só se pode utilizar elementos colhidos em juízo, com a presença de advogados, de membros do Ministério Público e com a garantia do amplo direito de defesa e do magno contraditório, como está preconizado na Constituição Federal e que a democracia brasileira ainda mantém como soberana. São preceitos inabaláveis, que também estão contidos na Convenção Americana de Direitos Humanos e que, portanto, devem ser levados à apreciação da Corte Interamericana.
DM – O Supremo está fugindo à sua tradição e fazendo um julgamento mais político que jurídico?
Pedro Paulo Medeiros – Acredito que o Supremo está transpondo sua jurisprudência de décadas, que era absolutamente libertária, constitucional e garantista. Estão fazendo um julgamento diferente do que foi feito em décadas, muito mais duro, julgando por indícios, sem provas juntadas aos autos e atropelando preceitos constitucionais. Espero que seja o único e que isso não se repita, mas de que isso vai virar um precedente muito perigoso, não temos dúvida.
DM – Qual o efeito posterior a isso?
Pedro Paulo Medeiros – Qualquer juiz de primeira instância se sentirá avalizado para tomar decisões idênticas, desrespeitando garantias constitucionais e praticando inquisições à vontade. Nos rincões, com pessoas simples, advogados simples vão sofrer horrores nas mãos de inquisidores com o poder da caneta para sentenciar. Juízes vão se sentir muito à vontade para julgar na base do “ouvi dizer”. Imagine só que terror não será uma situação assim! O Supremo está criando um paradigma perigosíssimo ao julgar por indícios e condenar. As pessoas estão achando muito bom isso agora, porque o STF está julgando o rico, bonito e famoso distante, o bem situado. O dia em que isso começar a acontecer na casa delas, verão o monstro que criaram e que se tornou incontrolável. Na época do regime militar, da ditadura dos militares, eles prendiam as pessoas, torturavam e as deixavam incomunicáveis, e achavam que estavam agindo dentro da legalidade e da legitimidade, com toda a naturalidade possível, dentro da mais perfeita justiça. Tinham seus fundamentos para prender sem fundamento, para julgar por “ouvir dizer” e para condenar sem provas, tudo muito próximo do que está sendo feito nesse processo do mensalão. Terminantemente, as provas produzidas perante o Supremo Tribunal Federal sob o contraditório não comprovam as acusações.