sábado, 30 de junho de 2012

AOS ESPÍRITAS

“Caríssimos! Existe uma erva daninha que permeia vossas ações e se encontra incrustada dentro dos agrupamentos espíritas: chama-se orgulho. Esta pedra de tropeço é o que tem levado muitos dos bons médiuns a resvalar pelos caminhos do ócio e da desesperança, pois ao se entregar a este sentimento tão pernicioso, logo caem presos dos maus Espíritos e certamente o resultado é a obsessão tenaz, que se instala lentamente.
Observai a maneira pela qual vos comportais em vossas atividades medianímicas. Sabeis que, no serviço da mediunidade, estais desempenhando um papel de intermediário entre os dois mundos e embora emprestando também vossos sentimentos e saber intelectual, é trabalho do mundo espiritual trazer através de vós as palavras que instruem, consolam, alertam e educam as criaturas. Falo para os médiuns, pois é neles que se centra a maior parte das perturbações existentes nos núcleos espíritas. Por deterem o dom do intercâmbio, dado por Deus, sentem-se prontos para desempenhar a tarefa sem a salutar necessidade do estudo. Resistem à disciplina por inspiração de Espíritos atrasados que conduzem seus pensamentos. Na maioria das vezes, ditam as regras das casas espíritas, inspirados por esses mesmos irmãos infelizes, que se comprazem em manter a casa sob o manto do atraso, da fantasia, da hipocrisia e da desordem. Irmãos espíritas! Livrai-vos do melindre, praga venenosa que corrói grande parte dos núcleos. O melindre, como sabeis, é filho dileto do orgulho e se bem soubessem, esses que o cultivam, a grande nuvem de perturbação que os envolvem cada vez que sintonizam nessa faixa, bem depressa cuidariam de extirpar esse mal de dentro de si. É o melindre o principal entrave a que os núcleos se organizem de forma a produzir mais e melhor. É o melindre o impedimento para que os homens cresçam, pois ele obstrui o saber na medida que endereça o melindrado ao entendimento de que todos os esforços de organização das casas espíritas são falta de caridade. O filho do orgulho não permite que o homem anteveja sua condição de necessitado, sua condição de aprendiz. Jamais um melindrado pode ser um servo do Senhor, pois a condição fundamental para tal posição é a humildade e desta virtude ele é um grande carente. O orgulhoso que se diz servo de Jesus, o faz com o sentimento de falsa humildade, buscando para si o reconhecimento por ser “bom” e “sábio”,  colocando-se antes como mestre. Pode-se bem reconhecê-los pela extrema dificuldade que encontram em adaptar-se às normas que disciplinam a casa espírita. Geralmente estão sob o império da obsessão e não se apercebem disso. Se alguém identifica e tenta auxiliar, o resultado é catastrófico. Grande tristeza é constatar a imensa falta que faz o entendimento pleno da doutrina de Jesus dentro dos núcleos espíritas. O Espiritismo veio ao mundo para auxiliar o homem no entendimento das coisas de Deus, esclarecendo pontos obscuros da mensagem divina. Infelizmente, grande parte dos núcleos executam uma doutrina de superficialidade, inócua para o progresso do Espírito imortal e se acham presos de uma mentalidade que mais serve aos propósitos do mundo que aos desígnios de Deus. E vós, medianeiros espíritas, meditai acerca das responsabilidades assumidas diante do Alto. Deixai de lado a tola vaidade e o descabido orgulho que mancham vossas ações com atitudes de melindre, que interrompem vosso progresso. O amadurecimento espiritual terá que ser meta a perseguir na senda da vida. Sede, portanto, vigilantes na conduta, pensamento e acima de tudo, no testemunho diário na convivência entre os vossos pares. Saber servir é sabedoria. Que Deus vos abençoe” - Um Espírito Protetor.
 (Espírito: Um Espírito Protetor
Sociedade de Estudos Espíritas Allan Kardec
São Luís, MA)

sexta-feira, 29 de junho de 2012

BAIANO NÃO DESISTE NUNCA!


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Por tratar-se de assunto da máxima importância, transcrevemos abaixo a entrevista da Juíza Eliana Calmon(baiana) ao jornal O GLOBO, referindo-se a sua luta pela moralidade.
SÃO PAULO - Os altos salários de desembargadores brasileiros são culpa de legislações estaduais que criaram benefícios paralelos para os magistrados, denuncia a corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Eliana Calmon Alves. Em entrevista ao GLOBO, ela admite que o órgão nada faz com os dados sobre salários de juízes que recebe desde 2009, mas credita ao ex-presidente do CNJ Cezar Peluso (2010 - 2012), a decisão de não questionar a composição dos vencimentos informados ou a falta de envio de dados por parte dos tribunais. "Essa resolução ficou natimorta. Nós temos os dados, mas eles não foram devidamente questionados", afirma ao se referir à norma editada há três anos pelo CNJ. Calmon defende a criação de um cadastro único de informações sobre salários e penduricalhos pagos a magistrados. Ela considera o momento atual mais propício do que nunca para isto, em função da entrada em vigor da lei de acesso à informação pública.
O GLOBO: Nenhum dos 27 tribunais aceitou informar ao GLOBO os nomes e respectivos salários dos desembargadores brasileiros. Surpreende a senhora?
ELIANA CALMON ALVES: Não me surpreende porque nós queremos saber isto e eles fazem cera para nos dar essa informação, guardam como um segredo de sete chaves. Estamos querendo fazer um cadastro sobre tudo o que é pago, mas ainda não foi possível. Temos de dar satisfação de quanto nós estamos a ganhar.
O GLOBO: Por que os tribunais resistem a informar isso?
CALMON: É a cultura de não dizer quanto ganha, de achar que este é um ato de fraqueza, de achar que o Judiciário se fortalece com o poder que o juiz tem de não se igualar ao funcionário público. A grande grita do corporativismo é para que o magistrado permaneça em um patamar diferenciado dos demais.
O GLOBO: Desde 2009 a Resolução 102 do CNJ obriga os tribunais a enviar dados de subsídios e extras recebidos...
CALMON: Isso está completamente defasado.
O GLOBO: Por quê?
CALMON: Depois da resolução, foram surgindo outras vantagens, como por exemplo auxílio alimentação, auxílio moradia, essa parcela autônoma (PAE), que cada tribunal está calculando de um jeito. Nós queríamos estabelecer uma uniformidade, porque o CNJ veio exatamente para igualar os tribunais. Uma das formas que nós temos é a partir dos salários iguais.
O GLOBO: Ainda que esteja defasada, já é uma determinação do CNJ...
CALMON: Que está deixando de ser cumprida, não é isso? Eu tenho consciência disso, e como corregedora fui em cima. A informação é que o ministro Peluso queria relativizar. A partir daí eu não quis criar mais uma área de atrito.
O GLOBO: Como assim, relativizar?
CALMON: "Vamos trabalhar com o que já tem, não vamos exigir que venham outras informações, não vamos fazer o cadastro", é isso. A partir daí, não questionei mais, senão agora, onde eu tenho um motivo novo para pedir aos tribunais, no contexto da lei de acesso à informação. Aliás, alguns magistrados têm questionado que isso leva a uma insegurança, pode haver problemas de sequestro. Levei essa questão ao ministro Britto (atual presidente do CNJ), ele disse: a ordem do Supremo Tribunal Federal é de que nós devemos publicar os valores salariais.
O GLOBO: Com os dados já disponíveis apuramos, por exemplo, que há desembargador ganhando mais de R$ 100 mil no Rio. Ali já existe muita informação suspeita, porque o o CNJ não faz qualquer uso destes dados?
CALMON: Como eu disse, essa resolução terminou sendo relativizada e a ordem era: vamos deixar.
O GLOBO: Deixar o que?
CALMON: Nós estamos tomando prumo, vamos voltar a fazer efetivamente um outro controle.
O GLOBO: Mas porque o CNJ não faz algo com as informações que ele já detém?
CALMON: Porque a ordem que se tinha era de não haver essa divulgação, a não ser pelo portal da transparência.
O GLOBO: Mas não estamos falando sobre divulgação, e sim de controle da atividade judiciária.
CALMON: Vou dizer exatamente o que aconteceu. O Rio de Janeiro, por exemplo, tem uma lei estadual que estabelece os salários dos magistrados. Foi argüida a incostitucionalidade dela, o assunto foi para o STF. Todo mundo sabe que o Rio de Janeiro tem salários milionários, mas não foi possível (exercer) esse controle porque isso está sub júdice. O ministro Ayres Britto levou o voto declarando esta lei inconstitucional, o ministro Fux pediu vista deste processo. Eu própria fiquei aguardando uma solução no Rio de Janeiro porque não acho justo que nada possa ser feito com aqueles salários imensos, porque está judicializado, e (porque agir em relação) ao resto? Em razão deste mal exemplo, diversos estados começaram a criar penduricalhos.
O GLOBO: A senhora poderia citar exemplos?
CALMON: A constituição fala que nas férias do magistrado, ele ganha um terço de gratificação. E já são dois terços, porque são dois meses de férias. Paraná, Amapá e Mato Grosso estabeleceram por lei estadual mais dois salários. O magistrado não ganha 13, mas 15 salários. O que estamos vendo? Para fugir ao teto constitucional, está se criando em paralelo uma legislação estadual que começa a criar essa série de penduricalhos. Só poderemos barrar isso de forma definitiva quando tivermos a lei orgânica da magistratura, onde será dito o que pode e o que não pode.
O GLOBO: Qual é a perspectiva da lei orgânica sair?
CALMON: Vai demorar muito, existe por parte do Congresso Nacional um interesse, mas por parte da magistratura, não. Porque estabelecendo-se esta desordem, naturalmente existe uma vantagem. Como a lei orgânica da magistratura vai ensejar um quorum especial no parlamento, trabalhamos com outra opção: haver um questionamento em relação à inconstitucionalidade das leis estaduais e a partir daí ter um pronunciamento do STF.
O GLOBO: Por que não ir levando caso a caso ao Supremo?
CALMON: É o que temos feito. Temos agido dessa forma.
O GLOBO: Mas se o CNJ não se estrutura nem para analisar os dados que já recebe dos tribunais, como isso vai ocorrer?
CALMON: Através de um questionamento, ou seja, vamos fazer olhando as folhas de pagamento de cada tribunal. Aí vamos encontrar.
O GLOBO: Mas se vocês já recebem essas folhas e elas não são analisadas, como acreditar que isso vai ocorrer agora?
CALMON: Com o auxilio dos tribunais de contas e da Receita Federal, nós fazemos isso rapidamente. Já temos um levantamento de alguns estados, de alguns tribunais, em função das inspeções.
O GLOBO: O que vocês vão fazer com os dados enviados pelos estados, deixar eles para lá?
CALMON: Levei dois anos sem questionar isso, embora a corregedoria seja independente, ela tem uma certa hierarquia e obedece às políticas traçadas pela presidência, e isso era para eu não mexer. Agora recebi a sinalização de que é para fazer.
O GLOBO: Havia então uma determinação para que a senhora não mexesse com isso.
CALMON: Não havia uma determinação formal. Veja bem, eu tive vários questionamentos com a presidência, não ia abrir mais uma frente de combate. Aí eu deixei pra lá. Eu deixei pra lá porque eu estava certa de que um dia isso ia acontecer. Eu não tinha dúvida de que isso precisava acontecer. Quando resolvemos fazer o cadastro, a resposta foi positiva e nós vamos fazer.
O GLOBO: O que vai ser feito com os dados enviados até hoje da resolução 102?
CALMON: Vamos estabelecer um portal da transparência onde colocaremos tudo o que vier de informação.
O GLOBO: Mas a resolução já determina justamente isso, desde 2009, a divulgação desses dados.
CALMON: Isso não foi feito. Essa resolução ficou natimorta. Nós temos os dados, mas eles não foram devidamente questionados, porque na inspeção nós não fazíamos essa avaliação na folha de pagamento. No CNJ, é tudo muito novo. Havia a ideia de que inspeção era olhar os processos judiciais. Só no final de novembro, com um ano que eu estava no cargo, comecei a direcionar as inspeções para os aspectos administrativos, os problemas de pagamentos, vantagens, férias e demasias que pudessem haver no tribunal. E aí nós nos surpreeendemos com algumas coisas que nós não pensávamos que ia existir.
O GLOBO: Agora a intenção é outra.
CALMON: Sim, primeiro, nós temos a vontade política de que assim seja feito, de um novo e confiável cadastro. Em segundo lugar, nós temos a lei (de acesso à informação) que exige, não é mais uma resolução, que exige transparência dos tribunais e a realização deste trabalho.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

AUMENTANDO AS MORDÓS.

Presidente da Câmara diz: verba de gabinetes aumenta para R$78 mil.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
O deputado Marco Maia(PT/RS), presidente da Câmara Federal, deu a notícia em forma de gozação: "Deem a manchete com letras garrafais": a Câmara vai conceder aumento para servidores dos gabinetes". O cinismo da maioria da classe política, passa a ser rotina. Os deputados federais passam a abocanhar R$78 mil a partir de 1º de julho. Considerando-se os atuais R$60 mil, o aumento concedido é de 30%. Para os 'poderosos', tudo! mas para o trabalhador brasileiro, míseros aumentos. Qual classe trabalhadora do país, obteve percetual próximo, nos últimos anos? Quando o Planalto vai adotar o regime dos cortes? mas, nos cortes dos próprios gastos? Quem souber, ganha um doce.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

SENSACIONALISMO BARATO

O recuo do ministro relator.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Após fazer 'beicinho' ao receber um alerta do Presidente do STF  quanto a necessidade de envio do processo do mensalão para o inicio dos trabalhos julgadores, o ministro Lewandowsky afirmou que somente no final de semana teria condições de concluir o voto, o que acarretaria atraso e transtornos quanto ao prazo para a continuidade dos trabalhos. Todavia, tal declaração, teve  repercussão negativa  no país, o que o obrigou a recuar e ontem afim de não atrapalhar o cronograma já estalecido pela Suprema Côrte, deu seu trabalho por concluso. Há tambem a possibilidade do ministro Dias Tóffoli não poder votar(e o bom senso recomenda), dedclarando-se suspeito ou impedido, em virtude de ter sido assessor da Casa Civil na época do José Dirceu alem da esposa ter advogado para outro réu. Esperamos que não se façam presente "maracutaias" e 'jeitinhos brasileiros' no maior julgamento da história política brasileira, ocorra dentro da normalidade, respeitando-se a Constituição e, que a justiça prevaleça de ponta a ponta.

terça-feira, 26 de junho de 2012

CINISMO OU...CONTRADIZENDO-SE SEMPRE

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
E ainda há quem acredite que foi o melhor Presidente da era pós ditadura. Quanta ingenuidade!!!!!!! 
Alem do mais, a aliança do Lula com o Maluf(aquele mesmo que o ex-presidente chamava de 'encarnação do mal' e 'filhote da ditadura'), ultrapassou a linha das alianças promíscuas, trilhando na rota do cinismo, aliou-se o PT ao PP do corrupto procurado pela INTERPOL e classificado pelo Banco Mundial como expoente do assaltos aos cofres públicos. Segundo a ex-prefeita Erundina, "o atraso e a falta de ètica" são corporificados pelo político simbolo de todas as mazelas que o PT outrora foi contra.


video

segunda-feira, 25 de junho de 2012

AUMENTO DA GASOLINA: ASSALTO À MÃO ARMADA!

A equipe econômica prometeu à direção da Petrobras definir, até o próximo mês, o percentual de reajuste de combustíveis reivindicado pela estatal e quando ele entrará em vigor. 
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
A decisão de conceder o aumento já conta com o aval do Palácio do Planalto. Faltando definir o percentual, que deve ser de 10% para a gasolina na refinaria, A expectativa é que comece a vigorar imediatamente e que não seja repassado integralmente ao consumidor. A presidente Dilma, só não aprova a diminuição dos gastos do seu governo. Políticos do governo têm defendido um adiamento estratégico para depois das eleições municipais, diante do receio de impacto negativo para os candidatos da base aliada. em ano eleitoral, todos os governos colocam um freio estratégico na aprovação de medidas impopulares, pois, que tem... tem medo!
A promessa do reajuste foi repassada à presidente da Petrobras, Graça Foster, antes da aprovação do plano de investimentos da estatal, de US$ 236,5 bilhões até 2016 --5,2% mais do que o anterior, que previa investimentos de US$ 224,7 bilhões entre 2011 e 2015. Ou seja: passada a eleição, os valores são sempre acima do previsto, indo de encontro ao valor aprovado(?) pelo  Conselho de Administração  um   aumento nos investimentos  embutindo nos cálculos reajuste de 15% nos combustíveis. O brasileiro paga a gasolina mais cara do mundo e, sua Presidenta continua falando na erradicação da pobreza? Quanta politicagem! AInda bem que a Rio+20 não está tendo o sucesso esperado pela cúpula governista.

domingo, 24 de junho de 2012

RELAX DOMINICAL

MOMENTOBRASIL.COM(Será que dá para EMENDAR?):

sábado, 23 de junho de 2012

RENDENÇÃO


1-Quando redimiremos espiritualmente a nós mesmos?
- Redimiremos a nós mesmos, quando compreendermos, conscientemente, ao preço do próprio raciocínio, que todos os sofrimentos decorrem das leis de amor que governam a vida. Para isso, é indispensável entendamos que todos vivemos subordinados ao princípio inelutável da reencarnação e que nos reencarnaremos, na Terra ou em outros mundos, tantas vezes quantas se fizeram necessárias, para que se nos edifique o aperfeiçoamento espiritual, seja diante dos imperativos da evolução, que nos traçam inevitáveis labores educativos, ou à frente dos encargos expiatórios que nos apontam graves tarefas de recapitulação e corrigenda, para o expurgo da consciência culpada.
2-Bastará apenas sofrer para que resgatemos os compromissos adquiridos nas existências passadas?
- Se temos o coração aberto em feridas profundas, isso não basta; é preciso transubstanciar as próprias dores em esperanças e ensinamentos.
3-Basta apenas chorar para realizarmos o expurgo do coração?
- Às vezes, trazemos o semblante lavado de lágrimas, no entanto, o desespero e a inconformação desmancham-se igualmente em pranto amargo; para expurgar o mundo íntimo é mister valermo-nos da provação como recurso de trabalho, para converter a tribulação em alegria e a dificuldade em lição.
4-Basta apenas bendizer as mãos que nos ferem?
- Bendigamos as mãos que nos ferem. Imperioso, porém, nos dediquemos a fazer algo a fim de que se renovem para o entendimento e para a prática do bem, sob a inspiração dos bons exemplos que lhes pudermos ofertar.
5-Basta apenas acreditar na verdade, sofrendo o escárnio dos que a recusam?
- Dizemos a verdade e, não raro, riem de nós muitas vezes, só porque isso aconteça, julgam-nos dispensados de trabalhar pela expansão de novas luzes, quando a verdade reclama continuísmo de abnegação para que triunfe a benefício de todos.
6-Basta apenas recolher pedras de ingratidão?
- Recolher pedras de ingratidão por pétalas de carinho é heroísmo de muitos. Multidões respiram nesse câmbio, estranho de padecimentos morais, preferindo acomodar-se à hipnose da queixa. A ingratidão é sempre resultado da ignorância e para que a ingratidão alheia produza bênçãos redentoras em nós, é necessário prosseguir plantando entendimento e fraternidade na terra seca da incompreensão, de que muitos outros já desertaram.
7-Para que nos purifiquemos, será suficiente acomodar-nos à tristeza e a soledade, por que nos reclamem serviço demasiado à felicidade dos outros?
- Quase sempre exigimos o máximo dos outros na construção da nossa felicidade, sem lhes darmos de nós o máximo na preservação da própria segurança. Entretanto, em apoio de nosso burilamento, urge sustentar atividades e encargos de sacrifício.
8-Ainda para isso será suficiente que padeçamos o assédio da injúria?
- Caluniam-nos freqüentemente, no entanto, só pelo fato de sermos apontados pelo dedo da injúria, isso não adianta ao aperfeiçoamento espiritual. Impreterível usar compaixão e bondade, à frente daqueles que nos perseguem.
9-Para que obtenhamos quitação, ante o pretérito culposo, bastará experimentar agruras e provações no reduto doméstico, de ânimo sistematicamente recolhido à rixa e ao mau humor?
- Em muitas circunstâncias, o lar é o cárcere dos nossos sonhos, contudo, é útil recordar que vastas fileiras de criaturas se encontram na mesma situação, agravando padecimentos e lutas pelo abandono das responsabilidades que lhes competem. A regeneração pela qual ansiamos espera por nossa felicidade aos compromissos assumidos, com a nossa disposição de arquivar planos de ventura para quando a Divina Sabedoria nos proclame a libertação.
10-A fim de que nos aperfeiçoamos, chegará viver sempre sob inquietações aflitivas?
- Vergamo-nos sob o fardo de inquietações opressivas, mas, para que essas inquietações nos sirvam ao reajuste da alma, cabe-nos a obrigação de transformá-las em testemunhos de fé e serviço ao próximo.
11-Em favor do aprimoramento próprio, será suficiente arrepender-nos dos erros e faltas cometidas?
- Convém notar que o reconhecimento dos próprios erros, perpetrados nesse ou naquele setor da existência, é o primeiro passo da reabilitação, mas, esse começo é empreendimento nulo se não resolvemos corrigir-nos com humildade e paciência, na execução dos deveres que a vida nos recomenda.
12-É lícito contarmos com o auxílio dos Espíritos Superiores grandes missionários da evolução moral na Terra para que nos apóiem no trabalho da própria regeneração?
- Sim, vezes inúmeras, costumamos refletir nas grandes façanhas dos Espíritos valorosos que transformaram a Terra... Acolheram-se à filosofia e criaram novas formas de pensamento; Abraçaram a ciência e exaltaram o progresso; Elevaram-se na cultura e engrandeceram a arte; Agigantaram-se no trabalho e aperfeiçoaram a vida; entretanto, reencarnaram-se entre os homens, lavrando o solo, mecanizando atividades, burilando palavras, renovando costumes, aprimorando leis, desbravando caminhos... Todos eles, cada qual a seu modo, entregaram-nos as chaves da evolução, melhorando a vida por fora. No íntimo, porém, seja nas horas tranqüilas da existência ou nas crises de aflição que nos supliciem a alma, é forçoso lembrar que a redenção verdadeira nasce dentro de nós.
(Pelo Espírito Emmanuel - Do Livro: Leis Do Amor, Médiuns: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira.)

sexta-feira, 22 de junho de 2012

BRIGA DE FOICE NO ESCURO.

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Verdadeira briga de "cachorro grande" no escuro, entre a jornalista Mirian Leitão e os Militares. A verdade sufocada.
N.E. Sem intensão de darmos aula de história.
XXXXXX XXXXXX

 RESPOSTA DO GENERAL DE DIVISÃO REFORMADO DO EXÉRCITO FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO À MIRIAM LEITÃO.
À Senhora Jornalista Miriam Leitão.
Li o seu artigo "ENQUANTO ISSO", com todo cuidado possível. Senti, em suas linhas, que a senhora procura mostrar que os MILITARES BRASILEIROS de HOJE, são bem diferentes dos MILITARES BRASILEIROS de ONTEM. 
Penso que esse é o ponto central de sua tese. Para criar credibilidade nas suas afirmativas, a senhora escreveu: "houve um tempo em que a interpretação dos militares brasileiros sobre LEI E ORDEM era rasgar as leis e ferir a ordem. Hoje em dia, eles demonstram com convicção terem aprendido o que não podem fazer". 
Permita-me discordar dessa afirmativa de vez que vejo nela uma injustiça, pois fiz parte dos MILITARES DE ONTEM e nunca vi os meus camaradas militares rasgarem leis e ferir a ordem. Nem ontem nem hoje. Vou demonstrar a minha tese. 
No Império, as LEIS E A ORDEM foram rasgadas no Pará, Ceará, Minas, Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul pelas paixões políticas da época. AS LEIS E A ORDEM foram restabelecidas pelo Grande Pacificador do Império, um Militar de Ontem, o Duque de Caxias, que com sua ação manteve a Unidade Nacional. Não rasgamos as leis nem ferimos a ordem. Pelo contrário. 
Vem a queda do Império e a República. Pelo que sei, e a História registra, foram políticos que acabaram envolvendo os velhos Marechais Deodoro e Floriano nas lides políticas. A política dos governadores criando as oligarquias regionais, não foi obra dos Militares de Ontem, quando as leis e a ordem foram rasgadas e feridas pelos donos do Poder, razão maior das revoltas dos tenentes da década de 20, que sonhavam com um Brasil mais democrático e justo. 
Os Militares de Ontem ficaram ao lado da lei e da Ordem. Lembro à nobre jornalista que foram os civis políticos que fizeram a revolução de 30, apoiados, contudo, pelos tenentes revolucionários, menos Prestes, que abraçou o comunismo russo. 
Veio a época getuliana, que, aos poucos, foi afastando os tenentes das decisões políticas. A revolução Paulista não foi feita pelos Militares de Ontem e sim pelos políticos paulistas que não aceitavam a ditadura de Vargas. 
Não foram os Militares de Ontem que fizeram a revolução de 35 (senão alguns, levados por civis a se converterem para a ideologia vermelha, mas logo combatidos e derrotados pelos verdadeiros Militares de Ontem); nem fizeram a revolta de 38; nem deram o golpe de 37. 
Penso que a senhora, dentro de seu espírito de justiça, há de concordar comigo que foram as velhas raposas GETÚLIO - CHICO CAMPOS - OSWALDO ARANHA e os chefetes que estavam nos governos dos Estados, que aceitaram o golpe de 37. Não coloque a culpa nos Militares de Ontem. 
Veio a segunda guerra mundial. O Nazismo e o Fascismo tentam dominar o mundo. Assistimos ao primeiro choque da hipocrisia da esquerda. A senhora deve ter lido - pois àquela época não seria nascida -, sobre o acordo da Alemanha e a URSS para dividirem a pobre Polônia e os sindicatos comunistas do mundo ocidental fazendo greves contra os seus próprios países a favor da Alemanha por imposição da URSS e a mudança de posição quando a "Santa URSS" foi invadida por Hitler. 
O Brasil ficou em cima de muro até que nossos navios (35) foram afundados. Era a guerra, a FEB e seu término. Getúlio - o ditador - caiu e vieram as eleições. As Forças Armadas foram chamadas a intervir para evitar o pior. Foram os políticos que pressionaram os Militares de Ontem para manter a ordem. 
Não rasgamos as leis nem ferimos a ordem. Chamou-se o Presidente do Supremo Tribunal Federal para, como Presidente, governar a transição. Não se impôs MILITAR algum
O mundo dividiu-se em dois. O lado democrático, chamado pelos comunistas de imperialistas, e o lado comunista com as suas ditaduras cruéis e seus celebres julgamentos "democráticos". Prefiro o primeiro e tenho certeza de que a senhora, também. No lado ocidental não se tinham os GULAGs. 
período Dutra (ESCOLHIDO PELOS CIVIS E ELEITO PELO VOTO DIRETO DO POVO) teve seus erros - NUNCA CONTRA A LEI E A ORDEM - e virtudes como toda obra humana.
colocação do Partido Comunista na ilegalidade foi uma obra do Congresso Nacional por inabilidade do próprio Carlos Prestes, que declarou ficar ao lado da URSS e não do Brasil em caso de guerra entre os dois países. Dutra vivia com o "livrinho" (a Constituição) na mão, pois os políticos, nas suas ambições, queriam intervenções em alguns Estados, inclusive em São Paulo. A senhora deve ter lido isso, pois há vasta literatura sobre a História daqueles idos. 
Novo período de Getúlio Vargas. Ele já não tinha mais o vigor dos anos trinta. Quem leu CHATÔ, SAMUEL WEINER (a senhora leu?) sente que os falsos amigos de Getúlio o levaram à desgraça, eles eram políticos. Os Militares de Ontem não se envolveram no caso, senão para investigar os crimes que vinham sendo cometidos sem apuração pela Polícia; nem rasgaram leis nem feriram a ordem. 
Eram os políticos que se degladiavam e procuravam nos colocar como fiéis da balança. O seu suicídio foi uma tragédia nacional, mas não foram os Militares de Ontem os responsáveis pela grande desgraça, sabe bem disso! 
A senhora permita-me ir resumindo para não ficar longo. Veio Juscelino e as Forças Armadas garantiram a posse, mesmo com pequenas divergências. Mais uma vez eram os políticos que queriam rasgar as leis e ferir a ordem e não os Militares de Ontem.
Nessa época, há o segundo grande choque da esquerda. No XX Congresso do Partido Comunista da URSS (1956) Kruchov coloca a nu a desgraça do stalinismo na URSS. Os intelectuais esquerdistas ficam sem rumo. 
Juscelino chega ao fim e seu candidato perde para o senhor Jânio Quadros, a Esperança da vassoura, Desastre total. Não foram os Militares de Ontem que rasgaram a lei e feriram a ordem. Quem declarou vago o cargo de Presidente foi o Congresso Nacional. A Nação ficou ao Deus dará. Ameaça de guerra civil e os políticos tocando fogo no País e as Forças Armadas divididas pelas paixões políticas, disseminadas pelas "vivandeiras dos quartéis" como muito bem alcunhou Castello. 
Parlamentarismo, volta ao presidencialismo, aumento das paixões políticas, Prestes indo até Moscou afirmando que já estavam no governo, faltando-lhes apenas o Poder. Os militares calados e o chefe do Estado Maior do Exército (Castello) recomendando que a cadeia de comando deveria ser mantida de qualquer maneira.A indisciplina chegando e incentivada dentro dos Quartéis, não pelos Militares de Ontem e sim pelos políticos de esquerda; e as vivandeiras tentando colocar o Exército na luta política. 
Revoltas de Polícias Militares, revolta de sargentos em Brasília, indisciplina na Marinha, comícios da Central e do Automóvel Clube representavam a desordem e o caos contra a LEI e a ORDEM. Lacerda, Ademar de Barros, Magalhães Pinto e outros governadores e políticos (todos civis)incentivavam o povo à revolta. As marchas com Deus, pela Família e pela Liberdade (promovidas por mulheres) representavam a angústia do País. Todo esse clima não foi produzido pelos MILITARES DE ONTEM.Eles, contudo, sempre à escuta dos apelos do povo, pois ELES são o povo em armas, para garantir as Leis e a Ordem. 
Minas desce. Liderança primeira de civil; a era Magalhães Pinto. Era a contra-revolução que se impunha para evitar que o Brasil soçobrasse ao comunismo. O governador Miguel Arraes declarava em Recife, nas vésperas de 31 de março: haverá golpe, só não sabemos se deles ou nosso.
Não vamos ser hipócritas, a senhora, inteligente como é, deve ter lido muitos livros que reportam a luta política daquela época (exemplos: A Revolução Impossível de Luis Mir - Combates nas Trevas de Jacob Gorender - Camaradas de William Waack - etc) sabe que a esquerda desejava implantar uma ditadura de esquerda. Quem afirma é Jacob Gorender. Diz ele no seu livro: "a luta armada começou a ser tentada pela esquerda em 1965 e desfechada em definitiva a partir de 1968".
Não há, em nenhuma parte do mundo, luta armada em que se vão plantar rosas e é por essa razão que GORENDER afirma: "se quiser compreendê-la na perspectiva da sua história, A ESQUERDA deve assumir a violência que praticou". Violência gera violência e os políticos sempre jogam a responsabilidade em manter a ordem aos militares. Afinal eles levaram a desordem. 
Castello, Costa e Silva, Médici, Geisel e João Figueiredo com seus erros e virtudes desenvolveram o País.
Não vamos perder tempo com isso. A senhora é uma economista e sabe bem disso.
Veio a ANISTIA e João Figueiredo dando murro na mesa e clamando que era para todos, pois Ulisses Guimarães não desejando que Brizolla, Arraes e outros pudessem tomar parte no novo processo eleitoral, para não lhe disputarem as chances de Poder. João bateu o pé e todos tiveram direito, pois "lugar de Brasileiro é no Brasil", como dizia.
Não esquecer o terceiro choque sofrido pela a esquerda: Queda do Muro de Berlim, que até hoje a nossa esquerda não sabe desse fato histórico. 
DIRETAS JÁ! Sarney, Collor com seu desastre, Itamar, FHC, LULA e chegamos aos dias atuais.
Os Militares de Hoje, silentes, que não são responsáveis pelas desgraças que vivemos agora, mas sempre aguardando a voz do Povo.
Não houve no passado, nem há, nos dias de hoje, nenhum militar metido em roubo, compra de voto, CPI, dólar em cueca, mensalões ou mensalinhos. Não há nenhum Delúbio, Zé Dirceu, José Genoíno, e que tais. A corrupção e a desordem estão ficando acima da lei e da ordem!
O que já se ouve, passamos a escutar, é o povo dizendo: SÓ OS MILITARES PODERÃO SALVAR A NAÇÃO.
Pois àquela época da "ditadura" era que se era feliz e não se sabia... Certo, houveram excessos contra os civis. Então me diga: Como controlar o que o país vivia naquela época? Com vários grupos, uns querendo o comunismo, outro o socialismo, outro o presidencialismo e a maioria a democracia. Se chegaria a um concenso na conversa? Existia controle social para tal?
Mas os Militares de Hoje, como os de Ontem, não querem ditadura, pois são formados democratas. E irão garantir a Lei e a Ordem, sempre que preciso. 


Os militares não irão às ruas sem o povo ao seu lado. OS MILITARES DE HOJE SÃO OS MESMOS QUE OS MILITARES DE ONTEM. A nossa desgraça é que políticos de hoje (olhe os PICARETAS do Lula!) - as exceções justificando a regra - são ainda piores do que os de ontemEstamos sem ética e sem moral, estão esquecendo os bons princípios e mais, os políticos são despudorados.
O Brasil vem sofrendo, não por conta dos MILITARES, mas de ALGUNS POLÍTICOS - uma corja de canalhas, que rasgam as leis e criam as desordens, desrespeitam a todos e só pensam na sobrevivência política, independente do preço a ser pago pelo povo! 
Como sei que a senhora é uma democrata, espero que publique esta carta no local onde a senhora escreve os seus artigos, que os leio atenta e religiosamente, como se fossem uma Bíblia. Perfeitos no campo econômico, mas não muitos católicos ou evangélicos no campo político por uma razão muito simples: quando parece que a senhora tem o vírus de uma reacionária de esquerda. 


Atenciosa e respeitosamente,
GENERAL DE DIVISÃO REFORMADO DO EXÉRCITO FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO(12 de março de 2012).

quinta-feira, 21 de junho de 2012

CASAL ESPERTO.

Quem è o marido da Graça Foster(atual presidente da Petrobrás?
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário Informativo)

E como o PT quer ser o dono do país, vai montando seu esquema para eternizar-se.  As eleições não mudam em nada. E o povão cego, analfabeto e surdo faz fila para eleger outro similar. 
Saiba um pouco mais sobre a presidente da maior empresa brasileira, e chamada nos corredores de "Maria Caveirão", e o seu marido:
Ela, funcionária de carreira da empresa e bastante próxima de Dilma pois, trabalharam juntas na Secretaria de Energia(RS) e as duas cuidaram do gasoduto Bolivia/Brasil (GASBOL), envolvendo a Shell e BP. Casada com Colin Vaughan Foster, e que usa de todo o prestígio dentro da empresa, pois, a C. Foster Serviços e Equipamenttos, empresa de sua propriedade, assinou 42 contratos (20 sem licitação) para fornecer componentes eletronicos para a área de tecnologia, exploração e produção a dieferentes unidades do rentável nincho governamental, já tendo recebido cerca de R$ 614 milhões de reais. E agora tendo a esposa como pesidente da Petrobrás, os ganhos deverão ser ilimitados. Por tudo isso, conclui-se que, esse "Clã Mas Dilma é muito maior e abonado, que a nossa vâ filosofia pode imaginar. (Fonte: 48horasdenoticias)
Está explicado agora, porque o país do Pré-sal e auto-suficiente na produção de petróleo (e pagamos o combustível mais caro do mundo). ira fazer parte da OPEP.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

AMIGOS DESDE PEQUENINHOS


LULA e MALUF juntos pela prefeitura de Sampa.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):



Aos que se impressionam com a gritaria da Veja com o apoio do Maluf ao candidato do PT, vale lembrar o acordo do PSDB com o Maluf no ano passado, exatamente para apoiar o Serra nestas eleições, como comentava o Estadão em maio daquele ano. Naquela ocasião, O Maluf ganhou para um amigo a Presidência da CDHU, a empresa do governo paulista que constrói casas populares,e é um dos cargos mais desejados pelos picaretas, pois contrata muita$ obra$.


Aqui está:


Desde então, o Maluf foi aliado fiel dos tucanos, até a semana passada, quando resolveu trocar o apoio ao PT, que deve ter dado mais. É tudo um leilão. Mas, enquanto Maluf mamava nos tucanos, a Veja ficou quietinha. Nada de cobrar “honestidade” nos acordos do Serra!
 Quando passou a mamar nos petistas, começou a gritaria.
 SÃO TODOS FARINHA DO MESMO SACONão se iludam.

terça-feira, 19 de junho de 2012

CUIDADO COM A MEMÓRIA DE SUA CASA.


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Estamos despertando consciências, contribuindo assim, para a transformação planetária.
X X X X X X X X
O padrão vibratório de uma casa tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores. Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou ruins, são energias. O resultado reflete nos ambientes, pessoas e situaçõesO corpo é nossa primeira morada e nossa casa, sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e guarda nossa história. Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração de nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar. Mais que escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos - muitas vezes guiados apenas por modismos ou pura praticidade -, a elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade de seu dono, dando pistas sobre seus gostos, estilo de vida, história e sonhos. Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, instrumentos do feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa. Mas, é muito pouco, pois a personalidade de um ambiente vai além. Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita energia boa.
 Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições de criá-los no interior do próprio ambiente. O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora. Você, com certeza, já esteve em uma residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independe da beleza, luxo ou qualquer outro fator externo. Essa atmosfera gostosa, sem dúvida, era dada principalmente pelo estado de espírito positivo de seus moradores. Infelizmente, hoje em dia, é muito mais corriqueiro entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujeira, mesmo que a casa esteja limpa. A vontade é ir embora rapidamente, ainda que sejamos bem tratados. O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores. Por isso, quando pensar na saúde energética de sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé.
Evite brigas e discussões desnecessárias. Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão. Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho.
Não pense mal dos outros. Pragas, nem pensar! Selecione muito bem as pessoas que vão freqüentar sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindas porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos. 
Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem más energias. Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas energias densas de seu coração. Lembre-se que sua casa também pode estar contaminada. 
Aprenda a fazer escolhas e determine o que quer para sua vida e ambiente onde mora. Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo?
Reflita sobre como você vive em sua casa, no que pensa, como anda seu humor e reclamações do seu dia-a-dia. Tudo isto interfere no seu astral.
 

 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

LEVANDO BRONCA.

PT repreende relator.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
O deputado baiano Amauri Teixeira(PT) apresentou parecer favorável à apuração das ligações de Protógenes Queiroz(PCdo B/SP) com o araponga Dadá, e foi repreendido e constrangido publicamente pelo partido, que de olho nas eleições é contrário ao relatório, em virtude da fortalecida aliança entre os dois partidos com o apoio de Lula visando alavancar a candidatura do ex-ministro da educação a prefeitura de São Paulo. O desenrolar de acontecimentos prova o desencontro de opiniões dentro do próprio partido dos trabalhadores e deixando o seu patrono de cabeça inchada. O fogo amigo, continua.

domingo, 17 de junho de 2012

MOMENTOBRASIL(Matando saudades....):

sábado, 16 de junho de 2012

QUANDO O MUNDO DESPERTOU


Embora os fenômenos sempre fossem abundantes, havia um total desconhecimento das leis da natureza e as ações do plano divino eram tomadas por sobrenaturais. Tudo muito místico e apavorante. Com a chegada do Espiritismo, iniciado na obra que conhecemos como “O Livro dos Espíritos”, tudo passou a ser natural e analisado pela lógica do pensamento. Evidentemente, dentro das possibilidades de cada um, ainda restritos que somos pelas limitações humanas.
 O pouco que já sabemos, contudo, enaltece e explica a assertiva de Jesus que nos orientou dizendo que o conhecimento da verdade seria a libertação. Por isso cientistas do porte de Isaac Newton dizem que “o que sabemos é uma gota e o que ignoramos é um oceano”.
 Com a chegada do Espiritismo, apesar das limitações que nos impedem a sua total compreensão, sabemos, ao menos, que Deus não comete injustiças e que ninguém no solo do planeta está pagando dívidas que não contraiu. Cada um deve ressarcir a lei individualmente, para quitar suas contas passadas e incorporá-las como experiência de aprendizado, a verdadeira sabedoria que o homem conquista e que quase nunca pode ser obtida nos bancos acadêmicos. Esses dão a informação, o conhecimento, mas não a sapiência, porque ela é produto da experimentação pessoal e cada um deve buscá-la por si próprio. 
Com as revelações espíritas, o pânico da morte foi amenizado, embora ainda não estejamos em condições de compreendê-la por inteiro. Mas a morte, como perda do bem mais precioso – a vida – e a separação definitiva daqueles a quem amamos, já é crença do passado. A morte espírita é o prêmio que recebemos por cumprir a pena que nos competia no vale das aflições purificadoras neste purgatório da encarnação. É o final da pena da clausura que nos dá direito à liberdade. Numa expressão comum, é a volta para casa depois de perigosa viagem ao covil dos habitantes dos mundos atrasados.
 Com a chegada do Espiritismo, passamos a ser o primeiro herdeiro de nossa herança, o primeiro médico para a nossa doença e o primeiro doutrinador para as nossas perturbações espirituais. A função do Espiritismo, basicamente, é o combate ao materialismo, para que possamos produzir com os bens da Terra os tesouros do céu, aquele que o ladrão não rouba. O nosso real acervo e a nossa verdadeira propriedade, conforme consta do capítulo XVI, item 9 de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.
 Com a chegada do Espiritismo, riqueza e pobreza, inteligência e idiotia, beleza e fealdade passaram a ser simples consequências de encarnações que já vivemos, nas quais fomos descuidados quanto ao que nos competia no progresso individual e também no coletivo. Como herança do passado, vivemos o presente. Tomara tenhamos cuidado para fazer do presente um mais agradável futuro.
 Ao aprender que somos um espírito eterno que nada pode destruir, e que todo o conhecimento que acumulamos é patrimônio inalienável e jamais nos será tirado, seja qual for o regime de governo, a luta vale mais a pena e deve ir até o último dia de vida na matéria, independente dos obstáculos a serem vividos. Se conseguirmos adquirir uma virtude nesta encarnação, por exemplo, a paciência, seremos criaturas pacientes por toda a eternidade.
 A confirmação do que dizemos está na questão 894 de “O Livro dos Espíritos”. Quando indagaram dos superiores: “As pessoas que fazem o bem espontaneamente, sem que tenham de lutar contra nenhum sentimento contrário, têm o mesmo mérito que as que têm de lutar contra sua própria natureza e superá-la?, a resposta foi que “Só não precisam lutar os que já progrediram; lutaram anteriormente e triunfaram. Por isso os bons sentimentos não lhes custam nenhum esforço e suas ações parecem tão simples; para eles, o bem se tornou um hábito. Portanto, deve-se honrá-los como a velhos guerreiros que conquistaram suas graduações”.
 “Como vocês ainda estão longe da perfeição, esses exemplos os assustam pelo contraste e tanto mais admiram quanto mais raros são. No entanto, saibam que nos mundos mais adiantados que o seu o que entre vocês é exceção lá é regra. Nos mundos adiantados, o sentimento do bem se encontra por toda parte, de maneira espontânea, porque são mundos habitados apenas por Espíritos bons e uma única má intenção seria uma monstruosa exceção. Esta é a razão porque lá os homens são felizes. E assim será a Terra quando a humanidade for transformada e quando compreender e praticar a caridade em sua verdadeira acepção.”
 Aprendemos que nossos erros são nosso carrasco e nossos acertos o nosso advogado no dia do julgamento final, independente das alegrias ou problemas que nos causem já nesta mesma encarnação. Para quem não acredita na continuidade da vida e na necessidade da volta reparatória pelo verdadeiro perdão de Deus que é a reencarnação, o caminho é mais penoso, embora todos um dia compreenderão essas verdades porque têm no íntimo de sua alma a centelha que os identifica como filhos do Criador. Para nós, todavia, o caminho pode ser mais suave se além de crermos nos decidirmos a viver de acordo com o que já conhecemos.
 18 de abril de 1857, data da proclamação da independência da humanidade. Ninguém mais está preso a algo que não queira, a menos que insista em sofrer apesar de toda a liberdade que tem para ser feliz. O missionário francês que fez a ligação entre Deus e os homens, com a intermediação dos Espíritos Superiores, num gesto de humildade usou o pseudônimo Allan Kardec para assinar “O Livro dos Espíritos”, esta extraordinária obra que é a carta de alforria para todas as criaturas. Que Deus o abençoe e o recompense.
(Por Octávio Caúmo Serrano
Publicado em Abril de 2010
Revista RIE – Revista Internacional de Espiritismo)



sexta-feira, 15 de junho de 2012

FACA DE 2 GUMES.

Marconi Perillo & Agnelo Queiroz.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):


O razoavel desempenho nos depoimentos prestados na CPI do 'Cachoeira', dos governadores de Goiás e DF, num primeiro momento, não descarta a possibilidade de tornar-se uma faca de duas pontas, pois, o senador Demóstenes Torres, de inicio saiu-se bem quando obteve significativo apoio dos congressistas e atualmente vive o risco iminente da cassação. Assim, a sombra da icógnita continua sobre a cabeça dos dois governadores. Finda a primeira fase da CPI, os holofotes estão direcionados para o Fernando Cavendish sócio majoritário da Delta. e o ex-diretor do Dnit(Pagot), o qual promete colocar mais fogo na fogueira, fato que está deixando o Palacio do Planalto em polvorosa.  Por outro lado, a PEC do voto aberto , só será tema de pauta no Senado em agosto, o que significa que o futuro de Demóstenes será decido pelo voto secreto.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

VERGONHA TOTAL