quinta-feira, 1 de novembro de 2012

MAIS UMA VEZ, SALVADOR MOSTRA COMO FAZER.

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
ÓTIMO EDITORIAL...E NÃO SOMENTE PARA SALVADOR, MAS PARA TODO O BRASIL...









PARA PENSARMOS...


Salvador está de parabéns. Prevaleceu o bom senso. Mesmo com grande número de abstenções a vitória de ACM Neto aconteceu. E foi muito merecida e digna. Ele mostrou competência, contradisse o opositor com teoria oposta: "Salvador tem condições de andar com as próprias pernas", não precisa de "bolsa parceria" foi o que repetiu o coro pro-Neto com mais de 700 mil vozes. O vazio discurso do candidato do PT de que governaria com a parceiria (???) do governo estadual e do governo federal foi jogado por terra pelo eleitores cidadãos de Salvador.
As redes sociais foram fundamentais nesse processo, a internet foi o grande palanque pró-Neto, abaixo o PT !!!!!
Quem participou desse momento  fez história, merece comemorar seu feito, o feito da cidade de Salvador!

 "Pois bem, aí está. O martelo foi batido, e ACM Neto é o novo prefeito de Salvador.
Após uma campanha em que só faltou Deus dar as caras em Salvador, pois os semideuses Lula e Dilma aqui vieram, após uma campanha em que todos os candidatos derrotados para prefeito — Marinho, Kertész e Da Luz — apoiaram Pelegrino, o PT sai derrotado. Estranho, não? Seria Salvador um caso patológico? É uma derrota histórica. Se em São Paulo, a criação de Lula (Haddad) foi a superação de José Serra e uma velha política (?), o que foi então ACM Neto em relação a Pelegrino? A mesma coisa? Acho que não. Foi o desejo masoquista de Salvador em retroceder aos tempos de ACM avô, de ditadura e truculência? Improvável. Foi a ilusão de que o DEM é o partido da honestidade e da reputação imaculada? Óbvio que não também. 
Salvador rejeitou a prepotência do PT, a empáfia de um ex-presidente que se acha no direito de dizer em quem devemos votar, num populismo descarado. Salvador reprovou a falta de compostura de uma presidente que se mete em campanhas e esquece que governa para o Brasil e não para um partido.  Salvador disse não a um partido que se corrompeu e perdeu a sua ideologia. A cidade rejeitou a chantagem de que as verbas só virão se for feita uma parceria com o Governo Federal e o Estadual. E eu disse não a um partido que cria no país um clima de rivalidade entre brancos e negros, pobres e ricos, entre bairros nobres e bairros pobres. Ou como me disse uma militante na hora da votação: “A favela é 13, e o branquelo é 25”. 
Pois aí está. Quase 100 mil votos de diferença. Não foi muito, mas foi. Não adianta agora amaldiçoar a cidade nos próximos quatro anos. É hora de repensar. Que os militantes do PT reflitam sobre os métodos que usam para se manter no poder; que o PT reveja suas políticas populistas e a manipulação sobre as massas; que o PT não use o ódio social e racial como bandeira para angariar votos junto aos mais humildes. E que ACM consiga fazer um bom governo, não pelo bem de Salvador apenas, mas pelo bem do Brasil, porque um país sem oposição é uma país que caminha para uma ditadura.
(Fonte: AUTORIA DESCONHECIDA)



2 comentários:

Anônimo disse...

O texto acima foi escrito pelo professor de literatura e gramática da rede Gregor Mendel, Deco Duarte.

Anônimo disse...

O texto acima foi escrito pelo professor de literatura e gramática da rede de ensino Gregor Mendel, prof. Deco Duarte.