segunda-feira, 27 de agosto de 2012

EDITORIAL




Chega a ser patética a atuação do  ministro Lewandowski  tanto na função de revisor do processo do 'mensalão', quando retardou ao extremo a entrega do mesmo e só o fazendo aos 45 do 'segundo tempo', assim mesmo, pela grande pressão que sofreu da imprensa e opinião pública. Já na atuação de ministro votante, o pedido de absolvição do ex-deputado João Paulo Cunha e o ex-ministro Luis Gushiken, demonstram a clara intenção de agradar ao ex-presidente Lula(que o indicou para o STF) e tambem ao PT. Vê-se claramente, a disposição de dificultar o andamento do julgamento e o consequente retardo dos trabalhos. Tambem é notório, que as possíveis condenações que venha a votar a favor,  fará com solicitação de penas mínimas, cumprindo assim o papel do bom 'afilhado'. O Brasil espera que a Côrte Máxima do país, saiba impor-se na credibilidade já tão desgastada da nação, continuando a merecer confiança independente dos seus membros terem predileção por qualquer partido político.

Nenhum comentário: