quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A BAHIA ESTÁ SEM POLÍCIA MILITAR

EDITORIAL:
Um movimento grevista instalou-se na Bahia há tres dias, na PM. Um comando de greve da corporação, encontra-se há 72 h, ocupando um salão do Assembleia Legislativa do estado, tentando dialogar com seu presidente. O Comandante Geral da Polícia Militar, afirma que não passa de um pequeno movimento. Mas o que se vê nas ruas das grandes cidades é o sumiço dos policiais em patrulhamento nas ruas (as poucas viaturas que sairam dos quarteis, encontram-se paradas em via pública com pneus furados).E muitos dos quarteis com suas viaturas no pátio, comprovando a greve. È inadmissivel que o governador Jaques Wagner(PT), continue de braços cruzados, enquanto a população permanece a mercê dos vândalos e marginais, obrigando inclusive que o comercio da terceira maior capital, feche as portas apartir das 17h, amedrontado com os saques e arrastões que começam a ser praticados no centro da cidade e nas estaçoes de transbordo de Onibus. Os poderes constituidos, têm que dar um basta nessa situação, lembrando que hoje festeja-se em Salvador a festa de Yemanjá na praia do Rio Vermelho, onde encontram-se milhares de turistas tamvem expostos à violência. Segurança Pública è dever do Estado e não poder haver greve em serviços essencias, senhores governantes. E o governador briga para que a cidade sedie jogos do Copa. PODE?
(Roy Lacerda).

2 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amigo Roy, greve de polícia é complicado. População sem segurança é o caos.
Um abraço. Tenhas uma boa noite.

Maria José Rezende disse...

Roy. Isso é traumático para a população, principalmente numa cidade, onde a criminalidade já é grande, mesmo com policiais à rua. Beijos.