quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

ABORTO: GOVERNO È CONTRA ou NÂO?

Primeiro a nova ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, disse que já abortou duas vezes e defendeu a descriminalização do aborto. Em seguida deve ter sido enquadrada por alguma autoridade do governo e recuou. A matéria da descriminalização do aborto do aborto não diz respeito ao Executivo, diz respeito ao Legislativo. Ora, não diz respeito ao Executivo por que ele não quer. Quando quer, o Executivo pressiona o Congresso, presenteia parlamentares, distribui favores, faz ameaças e quase sempre leva. A inconfidência da ministra foi só para marcar posição. Para dizer que é favorável à descriminalização do aborto. Como o governo não quer bater de frente com a maioria que é contra, a ministra se calará. Pesquisa Ibope, de 2010, entrevistou pouco mais de 2 mil mulheres em todo o país e descobriu que uma em cada sete já sofreu um aborto - algo como 35 milhões de mulheres no total. Em mais da metade dos casos, as mulheres passaram a enfrentar complicações de saúde. Se o assunto não é grave e se o governo não deve se interessar por ele, não sei mais o que deve merecer sua atenção.

MOMENTOBRASILCOM(Comentário):
Pelo que sabemos, o aborto no Brasil só é permitido por lei em caso de estupro ou de risco de morte para a mãe. Afinal, o Governo Federal è contra ou a favor? Presidente e Ministra, precisam definir-se e entenderem-se entre sí.

Um comentário:

Maria José Rezende disse...

Roy. Quem é a favor do aborto, deveria ler as consequências disso, segundo a visão espírita. Beijos.