sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

ENGANA MAMÃE

O Ministério das Comunicações investigará se Globo infringiu lei ao veicular cena.
Em nota, o Ministério das Comunicações informou que investigará as imagens veiculadas no domingo, 15, pela Globo durante o programa ao vivo do BBB12. Caso se constate que foi mostrada uma cena de estupro, poderá punir a emissora até com a interrupção da concessão, além de multas e outras sanções. O órgão ainda solicitou à Anatel que investigue o que se veiculou na TV a cabo. Globo também pode ser responsabilizada por suposta cena de abuso Após a polêmica envolvendo Daniel e Monique, a Globo de início negou que tivesse havido abuso sexual, pois a própria moça afirmara no confessionário que a troca de carícias foi consentida. Com a entrada da polícia no caso, a cúpula da emissora decidiu excluir o participante do programa para que ele pudesse se esclarecer formalmente e por julgar que o comportamento dele fora gravemente inadequado. A Globo entrou em detalhes na polêmica no Jornal Nacional de terça, 17, e no BBB do mesmo dia, com uma matéria de dois minutos sobre as investigações da polícia e com a leitura de uma nota oficial pelo apresentador Pedro Bial."Inicialmente, o Ministério das Comunicações vai identificar se o possível estupro foi veiculado na TV Globo, emissora outorgada concessionária do serviço de radiodifusão de sons e imagens, fiscalizada pelo ministério, ou apenas nos canais de TV por assinatura, fiscalizados pela Anatel, nos termos da Lei Geral de Telecomunicações - LGT.Já foi solicitada à TV Globo a gravação da programação veiculada nos dias 14 e 15 de janeiro de 2012, para degravação. As imagens serão analisadas e, se estiverem em desacordo com as finalidades educativas e culturais da radiodifusão e com a manutenção de um elevado sentido moral e cívico, não permitindo a transmissão de espetáculos, trechos musicais cantados, quadros, anedotas ou palavras contrárias à moral familiar e aos bons costumes, expondo pessoas a situações que, de alguma forma, redundem em constrangimento, ainda que seu objetivo seja jornalístico (art. 38, alínea "d" do Código Brasileiro de Telecomunicações - Lei n˚ 4.117/62 - c/c art. 28, item 12, alíneas "a" e "b" do Regulamento dos Serviços de Radiodifusão - Decreto n˚ 52.795/63), será instaurad o Processo de Apuração de Infração neste ministério, cujas sanções cabíveis incluem a interrupção dos serviços (Parágrafo único do art. 63 e multa nos termos do art. 62 do mesmo Código)."O JN ABAFA O CASO:Chama o Molina! O Jornal Nacional finalmente cedeu à repercussão da suspeita de estupro no BBB 12. O escândalo ficou sério o bastante para, mesmo com um dia de atraso, ganhar destaque na escalada do telejornal e matéria de quase três minutos: imagens do casal sob o edredon (praticamente uma entidade no programa), polícia baixando no Projac e nota oficial da Rede Globo. Mas sobram dúvidas. Não só continua sem explicação a omissão do telejornal no dia anterior, como a emissora reitera postura que busca ser incontestável, sem brecha para esclarecimentos. Com outras palavras, Bonner repetiu o recado de Bial: “A TV Globo avalia que o comportamento de Daniel foi inadequado, o que impede o retorno dele na casa.”O abafa do JN não aguenta um traque. Qual foi o comportamento “inadequado” do sujeito? Na segunda, ao anunciar a saída de Daniel, Pedro Bial disse que ele era “suspeito de ter infringido as regras do programa”. Quais regras? Foi só dar B.O. e melindrar patrocinadores num programa que estimula a bebedeira e a “pegação”? Não está claro ainda se houve ou não estupro no BBB. Talvez a dúvida persista. À polícia a moça negou ter feito sexo com o rapaz, disse estar consciente e o que rolou foi consensual. Resta saber se fatídico edredon, a cueca e a calcinha recolhidos para perícia apontarão algo. Por enquanto, fica a constatação óbvia de que o BBB é um triturador de reputações. Bial que o diga. Bonner fechou a trinca com Boninho e Bial, e a notícia como entretenimento ganha espaço no jornalismo da Globo. Bem que poderiam chamar o Ricardo Molina, o perito da Unicamp sempre disposto a “elucidar” mistérios em áudio e vídeo que agitam a pauta do dia. Pelo menos animaria um público assanhado em bancar detetive. Mas o JN não estava aí para discussão. O lance é tirar da reta, em tom oficial e solene, e partir pro paredão.
MOMENTOBRASILCOM(Comentário):
Este editor paga para ver o Ministério das Comunicações, tirar o BBB do 'ar', cassar a concessão ou quaquer outro tipo de punição à Rede globo de Televisão. Tem um diato popular que : "Quem tem, TEM MEDO! O Governo Federal tem 'telhado de vidro, rabo preso e coisa que o valha. E o Planalto não vai correr tamanho risco. Algum tipo de investigação, até pode ocorrer sob o prisma de uma 'satisafação' à sociedade. Nada mais alem disso.
(Roy Lacerda).

Um comentário:

Maria José Rezende disse...

Roy, concordo plenamente com você, amor. Também pago para ver. Beijos.