segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

2011 : ANO de ESCÂNDALOS

EDITORIAL:

Estamos chegando ao final de 2011, e nada de bom em termos políticos a creditar. A faxina presidencial, não passou do inicio e logo abortada em nome da governabilidade. As reformas políticas continuam na conta das promessas e, há quem afirme que não sairá antes do prazo legal para as desimcompatibilizações dos cargos ministeriais por aqueles que concorrerão as eleições municipais. Ou seja: no 2º trimestre do ano vindouro. Com pequenissimas exceções, os comportamentos dos homens públicos continuam a buscar os próprios interesses, levando a sociedade a não confiar na classe política, pairando no futuro do país a sombra da incerteza, pois, petistas ou não, a rotatividade no poder continua sendo um jogo de cartas marcadas, tendo por norte a generalização dos 'malfeitos' pessoais , vide a queda de 7 ministros em apenas 10 meses de governo, tornando-se um marco na historia do Brasil, e, se até 31 de dezembro 'cair' mais algum, certamente essas quedas entrarão pra o Guiness Book(sendo que o Jobim pediu demissão por criticar colegas). Há comprovadamente a vontade do PT em permanecer o maior tempo possível no Palacio do Planalto. Dos 39 ministerios que atualmente compõem a administração federal, a maiaoria já deveria ter sido extinta e, consequentemente o enxugamento da máquina realizado. Mas não! è interessante o número elevado, para que se tenha a moeda da troca e continuação do poder, ´pois, os partidos são meras legendas do toma-lá-dá-cá.

Nenhum comentário: