quarta-feira, 30 de novembro de 2011

E A TENTATIVA CONTINUA

O PT anda um pouquinho, recua um pouquinho, disfarça e volta a um assunto que lhe é especialmente caro: o poder do Estado de estabelecer algum tipo de controle sobre a imprensa. Sexta-feira passada aconteceu mais uma reunião para o partido discutir a questão que tenta introduzir na agenda do País desde o início do primeiro mandato de Lula. De lá para cá a abordagem do tema foi sendo adaptada, a fim de driblar resistências. Hoje esse debate acontece sob a justificativa de que é necessário estabelecer "um novo marco regulatório para a mídia", mas em 2004 a mesma proposta foi apresentada ao País com sinceridade e nitidez. Era preciso, na visão do partido que chegava ao poder, criar um órgão - o Conselho Federal de Jornalismo - para "orientar, disciplinar e fiscalizar" o trabalho dos meios de comunicação. Na época, o PT ainda era estreante nas lides governamentais, não havia se iniciado com afinco na produção de escândalos em série e estava acostumado a ser paparicado por quase toda a grande imprensa da qual reclama, mas que até o caso Waldomiro Diniz dava ao partido e ao presidente Lula uma cobertura extremamente favorável. Ao "presidente operário" tudo era permitido. Inclusive renegar o próprio discurso sem ser confrontado com rigor diante da contradição-mãe de chamar de herança maldita o legado do antecessor e, ao mesmo tempo, tirar dela o melhor proveito. A partir dos tropeços do governo é que o cenário mudou. Mas não mudou no partido a ideia de exercer domínio sobre a grande imprensa, o único setor que lhe foge completamente ao controle. E é isso o que incomoda. Por mais disfarçados que sejam os argumentos. Em artigo no jornal O Globo de ontem, o presidente do PT, Rui Falcão, lista alguns pontos que seriam alcançados pelo "marco regulatório". (Leia a íntegra Em pedra dura ) (Dora Kramer/O Estado de S. Paulo):
MOMENTOBRASILCOM(Comentário):
Publicamos acima na íntegra a matéria da Dora, para que os amigos entendessem melhor nosso comentário e o porque de termos dito que o ex-assessor de comunicação do Lula, o Franklin Mastins ser UM TREMENDO BRINCALHÃO na materia" O Grilo Falante', pois, o mesmo afirmou que o governo passado sempre defendeu a imprensa. È dessa forma que os meios de comunicaçao são defendidos? Há 9 anos(8 de Lula e 1 da Dilma), o PT tenta de todas as maneiras encontrar um meio de colocar mordaça na imprensa. A vontade do partido e o governo federal, é tão latente, que chega a ser patética. Publicamente a Presidente defende a libre espresão do pensamento e uma imprensa tambem livre. Mas nos porões do Planalto, a coisa é totalmente diferente. As punhaladas traiçoeiras continuam na vã tentativa de 'calar' os veículos de comuinicação e seus profissionais. Mas não logrtarão èxito: OS CÃES LADRAM, E A CARAVANA CONTINUA SEU CAMINHO.

Um comentário:

Maria José Rezende disse...

Roy. Eu nunca poderia imaginar, alguns anos atrás, que o PT fosse tão coercitivo. Beijos.