quinta-feira, 10 de novembro de 2011

CAPITAL DA BAHIA É CIDADE DE VERÃO.

A Prefeitura de Salvador decretou situação de emergência na noite de quarta-feira (9), por causa das chuvas que atingem a cidade desde a manhã de terça-feira (8). Segundo a prefeitura, a medida valerá por 90 dias. Em dois dias, choveu em Salvador 62% a mais do que toda a média prevista para o mês de novembro. As chuvas provocaram 11 desabamentos de imóveis na cidade ontem. Um deles foi o de um prédio residencial de três andares no Massaranduba, bairro popular da Cidade Baixa. Uma mulher foi soterrada pelos escombros. Outras duas pessoas que estavam próximas ao imóvel ficaram feridas. Todos foram levados para hospitais da cidade e liberados nesta quinta-feira. Segundo a Defesa Civil, o imóvel era irregular. Hoje, de acordo com relatório do órgão, ocorreu apenas um desabamento, mas outros 43 imóveis ameaçam ruir. A cidade também registrou 48 deslizamentos na madrugada e na manhã de hoje. Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o tempo deve continuar instável na capital baiana até domingo (13).
MOMENTOBRASILCOM(Comentário):
A segunda cidade fundada no Brasil e a terceira capital no ranking turístico, hoje está entregue à própria sorte. O descaso do prefeito João Henrique(PPS) e ex-PMDB, é evidente em todos os sentidos. A administração municpal acumula débitos e mais débitos. Hospitais e clínicas conveniadas já paralizaram suas atividades por diversas vezes. Crateras são abertas nos lougradouros, em virtude do asfalto, ou melhor, melhor capa de asafalto, pois a qualidade é péssima por tratar-se de borra de asfalto, o transito virou um verdadeiro cáos. O transporte é piada, pois os empresários do setor é quem dão as cartas. Limpeza urbana é superficial, etc. A Prefeitura, finge que paga, e os empreiteiros fingem que trabalham. Com uma topografia bvastante acidentada, gestor municipal não toma as providencias cabíveis para a prevenção e quando ocorrem as chuvas, Salvador vira uma 'zona' na acepção da palavra.

Um comentário:

Maria José Rezende disse...

Isso é lamentável, amor. O pior é que quando tomam providencias, são sempre superficiais e tudo volta a acontecer na próxima chuva. Beijos.