sábado, 8 de outubro de 2011

MENSAGEM DE BEZERRA de MENEZES

Estamos agora em um novo período. Estes dias assinalam uma data muito especial. A data da mudança do mundo de provas e expiações, para mundo de regeneração. A grande noite que se abatia sobre a terra, lentamente, cede lugar ao amanhecer de bênçãos. Retroceder não mais é possível. Firmastes, filhas e filhos da alma, um compromisso com Jesus, antes de mergulhardes na indumentária carnal, a servi-lo com abnegação e devotamento. Prometestes que Lhe seríeis fiel, mesmo que lhes fosse exigido o sacrifício, alargando-se os horizontes deste amanhecer que viaja para a plenitude do dia. Exultemos juntos, os espíritos desencarnados e vós outros, que transitais pelo mundo de sombras. Mas além do júbilo que a todos nos domina, tenhamos em mente as graves responsabilidades que nos exornam a existência. No corpo ou fora dele deveremos reviver os dias inolvidáveis da época do martirológico. Seremos convidados não somente ao aplauso, ao entusiasmo, ao júbilo, mas também ao testemunho. O testemunho silencioso nas paisagens internas da alma.O testemunho por amor àqueles que não nos amam. O testemunho de abnegação no sentido de ajudar aqueles que ainda se comprazem em gerar dificuldades, tentando inutilmente obstaculizar a marcha do progresso. Iniciada a grande transição, chegaremos ao clímax, e na razão direta em que o planeta experimenta as suas mudanças físicas e geológicas, as mudanças morais são inadiáveis. Que sejamos nós aqueles espíritos-espíritas que demonstremos a grandeza do amor de Jesus em nossas vidas. Que outros reclamem, que outros se queixem, que outros debatem. Que nós outros guardemos nos refolhos da alma o compromisso de amar, e amar sempre trazendo Jesus de volta com toda a pujança daqueles dias que vão longe e que estão muito perto. Jesus, filhas e filhos queridos, espera por nós. Que seja o nosso escudo: o amor. As nossas ferramentas: o amor. E a nossa vida o hino de amor. São os votos que formulamos os espíritos-espíritas aqui presentes e que me sugeriram representá-los diante de vós, com muito carinho, o servidor humílimo e paternal de sempre,
Bezerra,
Muita paz, filhas e filhos do coração.
(Mensagem psicofonica, recebida por Divaldo Franco em 20/04/2010, no terceiro congresso espírita em Brasília.

Um comentário:

Maria José Rezende disse...

Que possamos fazer dessa vida, a melhor que pudermos, para vislumbrarmos futuros mais felizes. Beijos, amor.