domingo, 16 de janeiro de 2011

O DESCASO DOS GOVERNANTES (Parte 1.000).

E-D-I-T-O-R-I-A-L:
È absurdamente doloroso e infinitamente inconcebível que a nação assista prostada as tragédias ocasionadas por tanto descaso. As grandes cidades têm servido de palco e cenarios para mostrarem o que não se deve fazer na administração pública. São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte e Vitória, são alguns exemplos; políticos não gostam de realizar obras obras subterrâneas e similares, por não ficarrem à vista do eleitor. Some-se ao fato, a criminosa permissividade da ocupação de locais de alto risco. De que adianta, presidenta, governador e demais secretários, sobrevoarem os locais onde centenas de vidas continuam sendo ceifadas? È 'chorar sobre o leite derramado. Outro descalabro, é a declaração do ministro da Educação, Fernando Haddad, de que 1% das faculdades do país tem alto conceito e, que a USP e UNICAMP não participam da avaliação por terem autonomia universitária. Fatos dessa natureza continuam acontecendo, devido a total incapacidade de muitos ministros e seria de bom tom que o governo federal extinguisse os ministérios que não executam as funções para as quais foram criados e que são autenticos 'cabides de empregos'. A Câmara dos Deputados, por sua vez, tambem não fica atrás. Há os chamados campeões de faltas: Nice Lobão(DEM/MA), faltou a 56,7% dos dias com sessões plenárias onde são votados os projetos e coisas que o valham, seguida dos figurões Jader Barbalho e Ciro Gomes alem de, Alexandre Silveira(PPS/MG), Silas Câmara(PSC/AM), Vadão Gomes(PP/SP), Marina Magessi(PPS/RJ) Marcos Antonio(PRB/PE). Como acreditar em políticos desse naipe? Até quando vamos ficar à mercê de tamanha opressão? Até quando? !!!!!!

Um comentário:

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Olá Roy.

Faço das suas palavras, as minhas...
É tudo uma vergonha!!!

Luz amigo.