quinta-feira, 30 de setembro de 2010

UMA 'SENHORA' PORRADA!

Domingo, Setembro 26, 2010 Estadão apóia Serra em editorial.
Do Estadão, em editorial:
A acusação do presidente da República de que a Imprensa “se comporta como um partido político” é obviamente extensiva a este jornal. Lula, que tem o mau hábito de perder a compostura quando é contrariado, tem também todo o direito de não estar gostando da cobertura que o Estado, como quase todos os órgãos de imprensa, tem dado à escandalosa deterioração moral do governo que preside. E muito menos lhe serão agradáveis as opiniões sobre esse assunto diariamente manifestadas nesta página editorial. Mas ele está enganado. Há uma enorme diferença entre “se comportar como um partido político” e tomar partido numa disputa eleitoral em que estão em jogo valores essenciais ao aprimoramento se não à própria sobrevivência da democracia neste país. Com todo o peso da responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 135 anos de lutas, o Estado apoia a candidatura de José Serra à Presidência da República, e não apenas pelos méritos do candidato, por seu currículo exemplar de homem público e pelo que ele pode representar para a recondução do País ao desenvolvimento econômico e social pautado por valores éticos. O apoio deve-se também à convicção de que o candidato Serra é o que tem melhor possibilidade de evitar um grande mal para o País. Efetivamente, não bastasse o embuste do “nunca antes”, agora o dono do PT passou a investir pesado na empulhação de que a Imprensa denuncia a corrupção que degrada seu governo por motivos partidários. O presidente Lula tem, como se vê, outro mau hábito: julgar os outros por si. Quem age em função de interesse partidário é quem se transformou de presidente de todos os brasileiros em chefe de uma facção que tanto mais sectária se torna quanto mais se apaixona pelo poder. É quem é o responsável pela invenção de uma candidata para representá-lo no pleito presidencial e, se eleita, segurar o lugar do chefão e garantir o bem-estar da companheirada. É sobre essa perspectiva tão grave e ameaçadora que os eleitores precisam refletir. O que estará em jogo, no dia 3 de outubro, não é apenas a continuidade de um projeto de crescimento econômico com a distribuição de dividendos sociais. Isso todos os candidatos prometem e têm condições de fazer. O que o eleitor decidirá de mais importante é se deixará a máquina do Estado nas mãos de quem trata o governo e o seu partido como se fossem uma coisa só, submetendo o interesse coletivo aos interesses de sua facção. Não precisava ser assim. Luiz Inácio Lula da Silva está chegando ao final de seus dois mandatos com níveis de popularidade sem precedentes, alavancados por realizações das quais ele e todos os brasileiros podem se orgulhar, tanto no prosseguimento e aceleração da ingente tarefa – iniciada nos governos de Itamar Franco e Fernando Henrique – de promover o desenvolvimento econômico quanto na ampliação dos programas que têm permitido a incorporação de milhões de brasileiros a condições materiais de vida minimamente compatíveis com as exigências da dignidade humana. Sob esses aspectos o Brasil evoluiu e é hoje, sem sombra de dúvida, um país melhor. Mas essa é uma obra incompleta. Pior, uma construção que se desenvolveu paralelamente a tentativas quase sempre bem-sucedidas de desconstrução de um edifício institucional democrático historicamente frágil no Brasil, mas indispensável para a consolidação, em qualquer parte, de qualquer processo de desenvolvimento de que o homem seja sujeito e não mero objeto.Se a política é a arte de aliar meios a fins, Lula e seu entorno primam pela escolha dos piores meios para atingir seu fim precípuo: manter-se no poder. Para isso vale tudo: alianças espúrias, corrupção dos agentes políticos, tráfico de influência, mistificação e, inclusive, o solapamento das instituições sobre as quais repousa a democracia – a começar pelo Congresso.E o que dizer da postura nada edificante de um chefe de Estado que despreza a liturgia que sua investidura exige e se entrega descontroladamente ao desmando e à autoglorificação? Este é o “cara”. Esta é a mentalidade que hipnotiza os brasileiros. Este é o grande mau exemplo que permite a qualquer um se perguntar: “Se ele pode ignorar as instituições e atropelar as leis, por que não eu?”Este é o mal a evitar.Mesmo na noite mais triste em tempo de servidão há sempre alguém que resiste há sempre alguém que diz não.( Manuel Alegre )_,_.___
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Eis dois dos ditados que nos acompanha pela vida: "quem diz o que quer, ouve o que não quer! e 'quem com muitas pedras mexe, uma lhe cai na cabeça'. E são plenamente aplicáveis ao presidente Lula. Até que este 'Editorial' do Estadão, chega com certo atraso. Mas, antes tarde do que nunca(outro dito popular). Concordamos em gênero, número e grau, ao tempo em que damos nossos parabéns, à todos que fazem o citado orgão de comunicação. A matéria expressa indubitavelmente o pensamentos de muitos brasileiros. È o caso de perguntar-se: "E AGORA, LULA?". O que dirá ao eleitorado?
N.R.: os grifos em negrito e azul são nossos.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

ONTEM SEVERINO. AMANHÃ, TIRIRICA.

Desde Jader Barbalho e ACM, dois ex-presidentes que renuncuaram para não serem cassados, passando pelo caso Renan e ultimamente o escandalo do clero Sarney, o Congresso Nacional tornou-se um 'sepulcro caiado". Novo por fora, e por dentro um mar de lama. A corrupção lá existente, continua desenfreada. As apurações dos fatos, mas parecem a linha do Equador. Todos sabem que existe, mas ninguem vê. Estamos às portas de mais um pleito, e o futuro que se prever, continua tenebroso. Um comediante lança-se candidato à Câmara Federal e vislumbra-se cerca de 1 milhão de possíveis votos e assanha a fome e sede de "N" oportunistas que vislumbram a possibilidade de tambem serem eleitos levados por esta maré de votos da legenda partidária. Tudo como d'antes no quartel de Abrantes. Resumo da Òpera: No Brasil, política significa uma lucrativo BALCÃO de NEGÓCIOS.

UM GOVERNO 'LARANJA': DF.

MP pede arquivamento de recurso de Roriz:
Um parecer do Ministério Público dá respaldo à parcela do Supremo Tribunal Federal (STF) que defende o arquivamento do processo do ex-candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC). O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminhou o parecer sobre a questão ao STF nesta terça-feira. Ele avaliou que a Lei da Ficha Limpa deve ser analisada com o julgamento de recurso de outros candidatos barrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou por Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Há juristas, contudo, que avaliam que, como o caso tem repercussão geral, deveria ser analisado mesmo com a perda de objeto. A decisão será tomada nesta quarta-feira, no plenário do Supremo. Na última quinta-feira, após mais de 15 horas de julgamento – que se estendeu por dois dias – o tribunal, rachado, não conseguiu solucionar o impasse. Dos 10 ministros que participaram da discussão, cinco defenderam que a Lei da Ficha Limpa é válida e deve ser aplicada nestas eleições. Outros cinco tiveram avaliação oposta.(Fonte: VEJA).
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Até quando as decisões em qualquer segmento e instancia acabarão em pizzas? A 'maracutaia' de renunciar, desistir ou o diabo que o parta, para livrar-se da cassação e consequente impedimento de continuar na carreira política por algum tempo, tem que ser erradicada do território brasileiro. As instituiçoes teem que cumprir aquilo que estabelece as frias letras das leis, ao tempo em que se fazerem respeitar, independentemente das possíveis influencias ou dos 'pedidos', venham de onde vierem. Não podemos mais tolerar, as válvulas de escapes aliados ao 'jeitinho brasileiro'. A certeza da impunidade é tão escabrosa, que, tem continuação de maneira gozadora. Desiste-se do cargo mas, lança a própria esposa. O Distrito Federal corre sério risco de ser governado pela mulher-laranja. Mas um fato para ser motivo de gozação internacional. E o Dom Liula(51) I e único ainda fala em moral e ética.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

ONDE ESTÃO OS PROGRAMAS?

Faltando 7 dias para as eleições, os dois candidatos à frente na corrida para o planalto, segundo os Institutos de Pesquisas, não apresentaram os respectivos programas de governo oficialmente, tanto no radio/tv, quanto ao TRE. O candidato 'tucano', apresentou itens consantes de dois discursos realizados. A candidata da situação, segundo tomamos conhecimento, o responsável pela divulgação, alega divergencias internas na elaboração do mesmo. Apenas a candidata do 'verde' apresentou propostas e que se assemelham a um programa, mesmo assim bastante superficial. Com isso, o eleitor sente-se frustrado pois ainda não encontrou solidez para decidir-se verdadeiramente em quem votar. Nota-se a preocupação nos ataques contra os adversários. Parece-nos que, a candidata do PV, começa a fazer água', quando ontem no Rio de Janeiro, saiu em defesa do ex-partido, declarando que a 'parte boa' do PT nada tem a ver com o 'mensalão' ou o recente escândalo da casa Civil. Pelo visto, grande partge da população votante, vai chegar às urnas sem conhecer as propostas reais do novo presidente do país. E salve-se quem puder!

E QUE TIREM AS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

Opinião:
O inferno brasileiro. Calou-se, na alma de cada cidadão, a voz da consciência que, na escura solidão da sua alma, lhe trazia a lembrança amarga de seus delitos e de seus vícios. Olavo de Carvalho - 8/9/2010 - A toda hora aparecem pastores, padres e, sobretudo, jornalistas e políticos – sim, jornalistas e políticos, essas personificações supremas da moralidade – clamando contra "a degradação dos costumes". O próprio termo, completamente deslocado, que empregam para nomear o mal, prova que são parte dele. "Degradação dos costumes" é uma expressão quantitativa, escalar: supõe a vigência permanente de uma escala contra a qual se mede o decréscimo da obediência rotineira aos valores que ela quantifica. O que se passa no Brasil não é uma "degradação dos costumes": é, sim, a destruição premeditada de todas as escalas, a inversão sistemática de todos os valores.Os costumes degradam-se quando a população já não consegue imitar, nem de longe, os modelos melhores de conduta que a História consagrou e que, ante o olhar de cada geração, se reencarnam de novo e de novo nas figuras das personalidades admiráveis, dos sábios, dos heróis e dos santos.Quando, ao contrário, todas as personalidades admiráveis desapareceram ou foram postas para escanteio, e em seu lugar se colocam simulacros grotescos ou inversões caricaturais, o problema já não é a desobediência, mesmo generalizada, a valores que todos continuam reconhecendo da boca para fora; é, ao contrário, a obediência a modelos de malícia, perversidade e covardia que se impuseram, pela força da propaganda e da mentira, como as únicas encarnações possíveis do meritório e do admirável.Quanto mais alto esses personagens sobem na hierarquia social, mais esfumada e distante vai ficando, até desaparecer por completo, a escala de valores que permitiria julgá-los e condená-los; e mais e mais eles próprios se consagram como unidades de medida de uma nova escala, monstruosamente invertida, que em breve passa a ser a única. Daí por diante, quem quer que não a siga e cultue dificilmente poderá evitar a sensação de marginalidade e isolamento que é, nesse quadro, o sucedâneo perfeito do sentimento de culpa.Calou-se, na alma de cada cidadão, a voz da consciência que, na escura solidão da sua alma, lhe trazia a lembrança amarga de seus delitos e de seus vícios. Em lugar dela, desenvolve-se uma hipersensibilidade epidérmica à opinião dos outros, ao julgamento do grupo, ao senso das conveniências aparentes.Preso na trama virtual dos olhares de suspeita, cada um vive agora em estado de sobressalto permanente, obsediado, ao mesmo tempo, pela compulsão de exibir equilíbrio, tranqüilidade e polidez para não se tornar o próximo alvo de desprezo. A essa altura, cada um se dispõe a renegar ideais, amizades, lealdades, admirações, promessas, ao primeiro sinal de que podem condená-lo a um ostracismo psíquico – que se anuncia tanto mais insuportável quanto mais tácito, implícito e não reconhecido como tal.Há uma diferença enorme entre um "estado de medo" e uma "atmosfera de medo". O primeiro é patente, é público, todos falam dele e, não raro, encontram um meio de enfrentá-lo. A segunda é difusa, nebulosa, esquiva, e alimenta-se da sua própria negação, na medida em que acusar sua presença é, já, candidatar-se à rejeição, à perda dos laços sociais, ao isolamento enlouquecedor.Nessa atmosfera, a única maneira de evitar o castigo ante cuja iminência se treme de pavor é negar que ele exista, e, com um sorriso postiço de serenidade olímpica, ajudar a comunidade a aplicá-lo a imprudentes terceiros que tenham ousado notar, em voz alta, a presença do mal.Não digo que todos os brasileiros tenham se deixado submergir nessa atmosfera. Mas pelo menos as "classes falantes", se é possível diagnosticá-las pelo que publicam na mídia, já têm sua consciência moral tão deformada que até mesmo suas ocasionais e debilíssimas efusões de revolta contra o mal vêm contaminadas do mesmo mal.Por exemplo, o fato de que clamem contra desvios de dinheiro público com muito mais veemência do que contra o massacre anual de 50 mil brasileiros (quando chegam a dar-lhe alguma atenção) prova, acima de qualquer possibilidade de dúvida, que por trás do seu ódio a políticos corruptos não há uma só gota de sentimento moral genuíno, apenas a macaqueação de estereótipos moralistas que ficam bem na fita. E que ainda continuem discutindo "se" o partido governante tem parceria com as Farc, depois de tantas provas documentais jamais contestadas, mostra que estão infinitamente menos interessadas em averiguar os fatos do que em apagar as pistas da sua longa e obstinada recusa de averiguá-los. Recusa que as tornou tão culpadas quanto aqueles a quem, agora, relutam em acusar, porque sentem que acusá-los seria acusar-se a si próprias.Quando, por indolência seguida de covardia, os inocentes se tornam cúmplices ex post facto, já não sobra ninguém para julgar o crime: todos, agora, estão unidos na busca comum de um subterfúgio anestésico que o suprima da memória geral.Não, não se trata de "degradação dos costumes", como nos Estados Unidos, na França, na Espanha ou em tantos outros países: trata-se, isto sim, da perda completa do senso moral, o que faz deste País uma bela imagem do inferno. No inferno não existe degradação, porque não há a presença do bem para graduá-la. Olavo de Carvalho é ensaísta, jornalista e professor de Filosofia.
Publucado no Diário do Comécio em - 8/9/2010 -

sábado, 25 de setembro de 2010

"O AMOR NUNCA MORRE"!

Em 27 de setembro de 2009, casaram-se um dentista e uma professora de música e espírita praticante do Centro Espírita Mensageiros da Luz, nesta capital. À primeira vista, pode parecer que o matrimônio transcorreu de acôrdo com a rotinapor demais conhecida, isto é, logo após um período de nomoro e noivado. Com o citado casal, porém, há uma interessante história, pelo que nossa confreira Flávia, diretora do menscionado centro, pediu para que fizessemos o registro. O matrimônio aconteceu entre duas pessoas já aposentadas e que se conheceram há cerca de 50 anos, quando viviam no bairro da Mouraria, em Salvador. Iniciado o romance, obtiveram a aprovação das respectivas famílias e tudo ía bem até que uma viagem do marido provocou a ruptura do namoro. Com o decorrer dos anos, ele concluiu o curso universitário e montou uma clínica dentária, casou-se com outra muilher e foi viver em Alagoinhas, cidade próxima da capital. Ela, a professora, formou-se em Música e começou a ensinarna Escola de Música da Ucsal e no Instituto de Música da Bahia, alem de realizar recitais de canto, tendo gravado dois CDs. Ambos não se viam desde a separação até que, após 49 anos, ele ficou viúvo e resolveun retornar a Salvador, onde procurou notícias sôbre a sua amada, que permaneceu solteira, dedicando-se aos seus familiares e à música. Após o reencontro, voltaram ao antigo namoro, culminando com a união formalizada em cerimônia assistiada familiares e amigos de ambas as familias, em um congraçamento emocionante e respeitoso. O padrinho dos noivos foi o Monsenhor Gaspar Sadoc, que disse ser, em seus 50 anos de sacerdócio, a primeira vez que apadrinhava um casamento. O coral, sob a regência do maestro Elcio Carvalho, completou o belo evento. No momento em que Flávia nos prestou estas informações e solicitou o registro desse acfontecimento, recordamos uma frase que o insesquecível confrade Juventino, que enaltecemos em tres artigos nesta coluna em tres artigos- nos disse, pouco antes de morrer, durante visita que lhe fizemos no hospital:"O amor nunca morre! Muitas vezes, os problemas da vida obrigam duas pessoas a se separarem, mas a força do amor, quando puro e sincero, impulsiona esses espíritos afins para que se reencontrem. Caso idêntico ao acima aludido só conhecemos o de Pedro, um amigo de infância que, ao chegar à adolescência, começou a fumar e beber demasiadamente, pelo que sua namorada resolveu abandoná-lo e casar com outro rapaqz, apesar de eu amor pelo jovem. Cerca de 35 anos se passaram, mas ele nunca esqueceu sua primeira namorada e única namorada. O longo tempo não lhe apagou da memória aquela criatura por quem nutria um grande amor e mantinha respeitosa amizade. Parou de fumar e de beber, mas nunca procurou outra mulher, visto que somente aquela lhe interessava. \na última década do século que passou, ocorreu um fato que iria modificara vida de ambos. Ela já viúva e. como Pedro já estivesse livre dois vícios, sua ex-namorada o recebeu de volta e ele encontrou a felicidade que tanto almejava. Recvomeçaram o nomoro interrompido por mais de tres décadas e casaram-se, embora ambos já estivessem em torno da faixa dos 50 anos. Era a confirmação da frase do velho:"o amor nunca morre!".(Gilberto Santos/Jornalista e espírita).
MOMENTOBRASILCOM.LCOM*(Comentário):
Nos casos narrados acima, há duas semelhanças: foram namoros reatados e a situação da viuvez. Mas existem tambem os casos, onde espíritos afins só se reencontram na mesma reencarnação, após muitos anos e casados com pessoas diferentes e, que se divorciam. Fatos esses, fazem parte da programação reencarnatória dos quatro envolvidos, onde esta momentanea separação tambem atua como quitação de débitos anteriores do quateto.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

LUA-DE-MEL.

Profissionais da Imprensa conversavam sôbre o futuro de um eventual governo de Dilma, enquanto esperavam a chegada da candidata no Farol da Barra, em Salvador para uma gravação do programa eleitoral, na última terça-feira. Num dado momento, especulou-se quanto tempo duraria a lua-de-mel dela com seu mentor, o presidente Lula. Uns não davam 2 anos para o rompimento; outros, ponderavam que ela seria fiel ao presidente e que seria impensável alguem trair o principal responsável por sua eleição. Cerca de dez minutos depois, em entrevista coletiva, Dilma anunciava a puxada do tapete de Geddel, alegando a 3ª posição nas pesquisas locais, ou seja: derrubando o duplo palanque na 'boa terra'. Os comentários sôbre a candidata, foram revistos IN LOCO.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Já dizia a minha avó: "cesteiro que faz um cesto, tendo cipó e tempo, FAZ UM CENTO". Quem já foi, e tem experiencia em guerrilhas, espera-se tudo. Salutar seria a colocação das 'barbas de môlho'. Quem avisa, amigo é!, outro ditado.
A seguir o comentário de um leitor residente em Portugal:
José Sousa disse...
Meus amigos, me desculpem! Vivo em portugal e tenho acompanhado por perto a politica Brasileira. Gosto muito do Brasil e, o que desejo para o Brasil é prosperidade, mas na mão de Lula e se vier a ser eleita Dilma, o Brasil caminha para uma Cuba. Os brasileiros tem de acordar e no dia do voto deverão votar contra o PT. Todos nós sabemos que a destruição das Empresas é devido aos Sindicatos que colocam os empregados contra os patrões! Como é que um Sindicalista poderá governar um país? O Brasil com o PT vai ser um dia um país como CUBA. Abram os olhos e não deixem que isso aconteça. Votem em pessoas com crediblidade.Vesitem os meus blog'swww.queriaserselvagem.blogspot.comwww.congulolundo.blogspot.comwww.minhaalmaempoemas.blogspot.comVIVA O BRASIL.
Um bem aja
Sexta-feira, Setembro 24, 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

QUEM NASCEU PARA SINDICALISTA NUNCA CHEGA A ESTADISTA.

O desfile triunfante do governador Pedro Paulo Dias pelas ruas de Macapá ao deixar a cadeia e o discurso do presidente Luis Inacio da Silva acusando a imprensa de destilar 'ódio e mentiras' enquanto os fatos montram violação do sigilo fiscal, corrupção e nepotismo no governo são partes de um todo. E qual é esse todo? È a transposição da verdade em mentira e vice-versa, da vergonha em orgulho, da acusação em defesa, da razão para comemorar em motivação para a fúria, do presidente da República em cabo eleitoral, da volta de Lula ao patamar de origem. Deixa a Presidencia menor do que quando chegou, dando margem a que se conclua que quem nasceu para sindicalista nunca chega a estadista. E isso em nome de que? Pelo que se vê dos atos do presidente, pela desconstrução que faz do próprio símbolo do lutador, do vencendor, do democrata, do fundador do partido renovador, do exterminador de corruptos, o mais importante par ele é a disputa da hora. Por isso não se leva em conta o passado nem se preocupa com os efeitos futuros: interessa o aqui e o agora. E agora só o que importa é eleger Dilma rousseff no primeiro turno. Se o país retrocede institucionalmente, se o presidente perde prestígio e restabilidade, se a democracia é ferida, nada disso é visto. Só se enxerga a construção de uma vit´ria grandiosa. A possibilidade de que as coisas não saiam exatamente como o sonhado e o empenho para que saiam a contento parecem para Lula valer o risco de pôr a perder a parte mais sólida de seu patrimônio: a imagem construída ao longo dos últimos 30 anos. Quandodemosntra desapreço pela dempocracia na política externa, o presidente sempre pode recorrer à desculpa de se imisccuí na política dos países. Ainda que ditaduras. Mas quando faz o mesmo no país que governa, mas cuja Constituição desrespeita no tocante à liberdade de imprensa e na obrigação de ser impessoal no cargo, não há não há disfarce possível e acaba por contrariar os próprios interesses. Lula quer manipular a realidade jogando ao mesmo tempo para dois públicos: o infiormado, que exige punições; e o não informado que acredita quando diz que a imprensa mente e o persegue. Nã0o aceita jogar na regra, parte pra cima, como no sindicalismo, mas o problema é que ao fazer isso acaba se revelando manipulador e truculento à vista de todos. Não que Lula seja diferente do que sempre foi: ao contrário,, está mais igual do que nunca. Quando na oposição nunca carregou com as derrotas nem conviveu bem com críticas. De jornalista para político, conversas com ele que não fossem de concordância ou admiração eram conversas difíceis. Dos tempos de sindicato às candidaturas presidenciais. Não obstante as evidencias, Lula sempree foi muito festgejado, principalmente na imprfensa, jamais se apontou nele qualquer traço autoritário. Mesmo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que o coinhece muito bem, em 2002 acreditou que a biograqfia enriquecuda com o fato de o sucessor ser 'um lider operário que chegou a presidente', sendo recebido pelo antecessor derrotado com tgodas as fidalguias de uma transição civilizada. Fato que independentemente da realidade, uma imagem de Lula aqui e no exterior para a maioria sempre foi das melhores. E não falamos de maioria de triste destino que de tão carente não precisa de muito para adotar um salvador. Lula semprte privou da maior restabilidade entre bem estudados, bem nascidos, bem alimentados e bem vestidos. Notadamente aqueles com acesso ou com assentos nos meios de comunicação. Foi aí que se originou o mito. E é por aí tambem que se desmistificam as imposturas.(Dora Kramer/A TARDE).
MOMENTOBRASILCOM.COM(comentário):
Será que a Dora Kramer, tambem andou acessando e lendo as matérias publicadas por nós, para ter opinião tão semelhante à nossa?

terça-feira, 21 de setembro de 2010

E QUE VERDADE!!

O candidato à presidencia José Serra, indagado sobre os ultimos escandalos na Casa Civil, disse: "Num país sério e honesto, a ex-ministra Erenice Guerra estaria presa e a candidatura de Dilma, automaticamente cassada".
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Esta declaração, é a mais pura expressão da verdade. Fosse o Brasil realmente um país sério, ético e de políticos de elevada moral, como o presidente Lula se declara, as punições de envolvidos começaria desta forma. Lembramos quando do escândlo do mensalão, o presidente "arrotou" em bom tom: "Se necessário for, cortarei a própria carne". E a nação acreditou! Passaram-se os anos, escândalos, falcatruas, mutretas, prevaricações etc, continuam fazendo parte da corrupção vigente no Brasil. A inversão de valores é o que vale. A honestidade, por aqui é sinônimo de burrice. De retardo mental. A mal fadada 'Lei Gerson', aquela do levar vantagem em tudo, nunca foi tão usada pelos políticos. "Nunca antes, na história desse país, o povo foi tão ludibriado. O Ali-Babá, tinha apenas 40 ladrões. Mas, no país verde e amarelo tem milhares.

OPINIÃO!!!!!!!!!!!!

O inferno brasileiro! Calou-se, na alma de cada cidadão, a voz da consciência que, na escura solidão da sua alma, lhe trazia a lembrança amarga de seus delitos e de seus vício. Olavo de Carvalho - 8/9/2010 - 20h23. Ilustração de Gustave Doré/ Inferno de Dante/1832/Reproduçao. A toda hora aparecem pastores, padres e, sobretudo, jornalistas e políticos – sim, jornalistas e políticos, essas personificações supremas da moralidade – clamando contra "a degradação dos costumes". O próprio termo, completamente deslocado, que empregam para nomear o mal, prova que são parte dele. "Degradação dos costumes" é uma expressão quantitativa, escalar: supõe a vigência permanente de uma escala contra a qual se mede o decréscimo da obediência rotineira aos valores que ela quantifica. O que se passa no Brasil não é uma "degradação dos costumes": é, sim, a destruição premeditada de todas as escalas, a inversão sistemática de todos os valores.Os costumes degradam-se quando a população já não consegue imitar, nem de longe, os modelos melhores de conduta que a História consagrou e que, ante o olhar de cada geração, se reencarnam de novo e de novo nas figuras das personalidades admiráveis, dos sábios, dos heróis e dos santos. Quando, ao contrário, todas as personalidades admiráveis desapareceram ou foram postas para escanteio, e em seu lugar se colocam simulacros grotescos ou inversões caricaturais, o problema já não é a desobediência, mesmo generalizada, a valores que todos continuam reconhecendo da boca para fora; é, ao contrário, a obediência a modelos de malícia, perversidade e covardia que se impuseram, pela força da propaganda e da mentira, como as únicas encarnações possíveis do meritório e do admirável.Quanto mais alto esses personagens sobem na hierarquia social, mais esfumada e distante vai ficando, até desaparecer por completo, a escala de valores que permitiria julgá-los e condená-los; e mais e mais eles próprios se consagram como unidades de medida de uma nova escala, monstruosamente invertida, que em breve passa a ser a única. Daí por diante, quem quer que não a siga e cultue dificilmente poderá evitar a sensação de marginalidade e isolamento que é, nesse quadro, o sucedâneo perfeito do sentimento de culpa.Calou-se, na alma de cada cidadão, a voz da consciência que, na escura solidão da sua alma, lhe trazia a lembrança amarga de seus delitos e de seus vícios. Em lugar dela, desenvolve-se uma hipersensibilidade epidérmica à opinião dos outros, ao julgamento do grupo, ao senso das conveniências aparentes.Preso na trama virtual dos olhares de suspeita, cada um vive agora em estado de sobressalto permanente, obsediado, ao mesmo tempo, pela compulsão de exibir equilíbrio, tranqüilidade e polidez para não se tornar o próximo alvo de desprezo. A essa altura, cada um se dispõe a renegar ideais, amizades, lealdades, admirações, promessas, ao primeiro sinal de que podem condená-lo a um ostracismo psíquico – que se anuncia tanto mais insuportável quanto mais tácito, implícito e não reconhecido como tal.Há uma diferença enorme entre um "estado de medo" e uma "atmosfera de medo". O primeiro é patente, é público, todos falam dele e, não raro, encontram um meio de enfrentá-lo. A segunda é difusa, nebulosa, esquiva, e alimenta-se da sua própria negação, na medida em que acusar sua presença é, já, candidatar-se à rejeição, à perda dos laços sociais, ao isolamento enlouquecedor.Nessa atmosfera, a única maneira de evitar o castigo ante cuja iminência se treme de pavor é negar que ele exista, e, com um sorriso postiço de serenidade olímpica, ajudar a comunidade a aplicá-lo a imprudentes terceiros que tenham ousado notar, em voz alta, a presença do mal.Não digo que todos os brasileiros tenham se deixado submergir nessa atmosfera. Mas pelo menos as "classes falantes", se é possível diagnosticá-las pelo que publicam na mídia, já têm sua consciência moral tão deformada que até mesmo suas ocasionais e debilíssimas efusões de revolta contra o mal vêm contaminadas do mesmo mal.Por exemplo, o fato de que clamem contra desvios de dinheiro público com muito mais veemência do que contra o massacre anual de 50 mil brasileiros (quando chegam a dar-lhe alguma atenção) prova, acima de qualquer possibilidade de dúvida, que por trás do seu ódio a políticos corruptos não há uma só gota de sentimento moral genuíno, apenas a macaqueação de estereótipos moralistas que ficam bem na fita. E que ainda continuem discutindo "se" o partido governante tem parceria com as Farc, depois de tantas provas documentais jamais contestadas, mostra que estão infinitamente menos interessadas em averiguar os fatos do que em apagar as pistas da sua longa e obstinada recusa de averiguá-los. Recusa que as tornou tão culpadas quanto aqueles a quem, agora, relutam em acusar, porque sentem que acusá-los seria acusar-se a si próprias.Quando, por indolência seguida de covardia, os inocentes se tornam cúmplices ex post facto, já não sobra ninguém para julgar o crime: todos, agora, estão unidos na busca comum de um subterfúgio anestésico que o suprima da memória geral.Não, não se trata de "degradação dos costumes", como nos Estados Unidos, na França, na Espanha ou em tantos outros países: trata-se, isto sim, da perda completa do senso moral, o que faz deste País uma bela imagem do inferno. No inferno não existe degradação, porque não há a presença do bem para graduá-la. Olavo de Carvalho é ensaísta, jornalista e professor de Filosofia. Publicado no Diário do Comécio em - 8/9/2010 - http://www.dcomercio.com.br/materia.aspx?id=51706&canal=14

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

QUE COINCIDÊNCIA!

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu críticas de entidades e políticos após os ataques à imprensa, no sábado . A Associação Nacional dos Jornais (ANJ) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), esta por meio de seu presidente, Ophir Cavalcante, lamentaram os comentários de Lula. O deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ) também criticou a postura do presidente. E a candidata à Presidência pelo PV, Marina Silva, apesar de não citar Lula, defendeu a liberdade de expressão.
Em nota, a ANJ reagiu dizendo ser "lamentável e preocupante" que o presidente manifeste desconhecimento em relação ao papel da imprensa em sociedades democráticas.
" Ele jamais criticou o trabalho jornalístico quando as informações tinham implicações negativas para seus opositores "
"O papel da imprensa, convém recordar, é o de levar à sociedade toda informação, opinião e crítica que contribua para as opções informadas dos cidadãos, mesmo aquelas que desagradem os governantes. Convém lembrar, também, que ele jamais criticou o trabalho jornalístico quando as informações tinham implicações negativas para seus opositores", diz um trecho da nota.
Ophir Cavalcante também criticou os ataques feitos pelo presidente:
- É lamentável que o líder maior da nação tenha esse tipo de postura em relação à imprensa. Triste é o país que não tem liberdade de imprensa, que não pode expressar suas opiniões.
De acordo com o presidente da OAB, só o cenário eleitoral pode explicar as declarações de Lula. Na última semana, denúncias de corrupção na Casa Civil derrubaram a ministra, dois assessores e um diretor dos Correios.
- A imprensa deve ser livre para fazer seu papel de denunciar. Ninguém gosta de receber críticas, mas deve saber ouvi-las e compreender que erros existem e devem ser corrigidos - disse Cavalcante, acrescentando: - Acima da Constituição, só Deus.(Fonte: OGLOBO.COM). MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Será que O Globo e todos os que comentaram nesta matéria leram nossa matéria abaixo?

LULA X IMPRENSA: DE NOVO?

Em um discurso repleto de críticas à imprensa e ao PSDB, durante comício em Campinas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste sábado, sem citar o nome do veículo, que a revista "Veja" "destila ódio e mentira" contra o seu governo. A publicação trouxe na edição deste final de semana novas denúncias envolvendo a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra , braço-direito e sucessora da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff.
- Estive vendo algumas revistas que vão sair neste final de semana, sobretudo uma que não lembro o nome dela, parece "Olha". Nordestino falaria "Oia". Ela destila ódio e mentira - disse Lula. De forma genérica e sem citar nomes, o presidente também atacou outros veículos de comunicação. " Nós não vamos derrotar apenas os nosso adversários tucanos, nós vamos derrotar alguns jornais e revistas que se comportam como se fossem um partido político
" Tem dia que determinados setores da imprensa brasileira chegam a ser uma vergonha. Se o dono do jornal ler o seu jornal ou o dono da revista ler a sua revista, eles ficariam com vergonha do que eles estão escrevendo exatamente neste momento.
No comício, Lula enumerou feitos de sua gestão para explicar por que, na sua avaliação, a imprensa faz críticas ao governo. - A democracia que eles não suportam é ver que a economia vai crescer mais de 7% neste ano - afirmou. Nas palavras do presidente, o povo mais pobre não precisa "mais de formador de opinião". - Nós somos a opinião pública. O presidente acrescentou que a vitória de Dilma Rousseff na eleição significará também a derrota da imprensa.(Fonte O GLOBO.com).
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Grifamos trechos da matéria, onde o presidente Lula, demonstra toda sua moral e ética, Evidencia a interminável luta para eleger a sucessora e amordaçar os meios de comunicação, denegrindo sempre que pode a Imprensa.Todas as vezes em que, sente a possibilidade de ver ameaçada a eleição da afilhada, é público e notório seu descontrole. Um país que se diz democrata(?) e em desenvolvimento, a livre expressão e uma imprensa independente, fazem parte do Direito de Estado, o qual tem que ser respeitado.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

ANTES QUE A VACA VÁ PRO BREJO!

A QUEDA:
O presidente Lula age de acordo com as pesquisas eleitorais, nada importa mais do que eleger Dilma sua sucessora, e no primeiro turno. E a demissão da ministra Erenice Guerra pode ser um sinal de que a crise começa a afetar, mesmo que minimamente, as intenções de voto em Dilma. Toda a estratégia montada por Lula há muito tempo previa uma eleição polarizada para ser resolvida a 3 de outubro. Por isso, sempre que alguém aventa a possibilidade de haver um segundo turno, é acusado de "golpismo". Como se, como diz Marina Silva, dar mais tempo ao eleitor para se decidir fosse um ato de lesa-pátria, uma traição aos ideais democráticos. Estranha democracia essa, que teme a confrontação direta entre os candidatos, que tem pressa em definir a eleição na primeira rodada. Na verdade, o que os defensores da candidatura Dilma Rousseff temem, especialmente seu mentor, o presidente Lula, é que ela tenha que se expor mais ao debate durante o segundo turno, em condições de igualdade com Serra ou, mais remotamente, com Marina. Na eleição de 2002, o presidente do Ibope dizia que, se o deputado Ciro Gomes tivesse viajado para a Austrália com sua mulher, Patrícia Pillar, e lá ficasse até o fim da eleição, estaria eleito. Ao contrário, ficou por aqui fazendo campanha e acabou pagando pela língua. Dilma não chega a estar tão escondida quanto se tivesse viajado para a Austrália, mas tem sido protegida por um esquema palaciano o mais que é possível. Até mesmo um púlpito montaram para suas entrevistas coletivas, de forma a afastá-la dos repórteres. Por que teria Dilma que falar sobre o caso da ministra Erenice Guerra?, pergunta o líder do governo Cândido Vaccarezza. Ora, simplesmente porque ela foi demitida da Casa Civil depois de sucessivos escândalos envolvendo sua família, e quem a colocou lá foi a própria Dilma. E porque vários dos casos denunciados ocorreram quando Dilma ainda era ministra-chefe do Gabinete Civil, e Erenice, seu braço-direito. O que eu tenho a ver com isso?, pergunta a própria Dilma. Tudo, já que Erenice não tem existência própria sem Dilma, assim como Dilma não existe sem Lula. Erenice não chegaria ao Ministério sem o apoio de Dilma, nem Dilma seria candidata a presidente da República sem Lula querer. Fora isso, a demissão da ministra e as medidas anunciadas pelo ministro da Fazenda para tentar conter o vazamento de dados do Imposto de Renda de políticos e seus parentes mostram que as denúncias tinham fundamento e não são meras ações eleitoreiras, como o próprio presidente alegou inicialmente. Na reta final da campanha eleitoral, eis que mais uma vez, a exemplo do que aconteceu em 2006, os "aloprados" petistas surgem para tumultuar o ambiente político que se anunciava risonho para a candidatura oficial de Dilma Rousseff. Hoje, os "aloprados" surgiram em diversos lugares, e, embora nenhuma ação criminosa denunciada tenha o impacto daquela de 2006, pelo menos visual — a montanha de dinheiro vivo mostrada nos jornais e na televisão era a expressão material do mal feito —, a variedade e a gravidade de crimes cometidos no entorno do PT e do Palácio do Planalto podem ter impacto semelhante. As denúncias sobre quebras de sigilos de parentes do candidato oposicionista José Serra, e de pessoas ligadas ao PSDB, deixam claro que, em meio às tantas irregularidades que surgiram na Receita Federal, houve, sim, um aspecto político relevante, ainda mais quando se sabe que as informações sigilosas apareceram em dossiês feitos dentro da campanha petista e em blogs ligados à campanha de Dilma Rousseff. Mas o tema é de difícil entendimento para a média do eleitorado brasileiro, e sua repercussão ficaria restrita a um eleitor mais bem informado se não surgisse essa série de denúncias de lobby com objetivos financeiros dentro do Gabinete Civil da Presidência da República. As pesquisas, que continuam dando a vitória de Dilma no primeiro turno, mostram que, entre os eleitores que se dizem bem informados sobre as denúncias, e entre os mais escolarizados e com renda mais alta, já há uma mudança de atitude em relação à candidatura oficial. Entre esses, a queda de Dilma e a subida de Serra e Marina já indicam que haveria um segundo turno.(Col. do Noblat):
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Esta matéria do Noblat, vem ratificar nosso ponto de vista em relação a estratégia traçada pelo presidente da república de eleger sua candidata à qualquer custo. Todos os acontecimentos nos subterraneos do planalto e, todos os escandalos veiculados na imprensa, logo aparece algum 'testa de ferro' do governo para tentar minimizar, mas com a flagrante intenção de escudar e esconder a candidata do Lula. Os fatos hora noticiados envolvendo a ministra Erenice Guerra, tiveram inicio muito antes de asumir a Chefia da Casa Civil. O governo federal é responsasavel direto e está envolvido sim. A ex- ministra Dilma, tanto quanto, pois foi sua a indicação da sucessora. CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS!!!!!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

CORRUPÇÃO, ESCÂNDALOS & CRIMES.

Auditoria acusa irmão de ministra de desvio:
José Euricélio de Carvalho, irmão da ministra Erenice Guerra, foi apontado por uma auditoria do governo como responsável pelo desvio de R$ 5,8 milhões da editora da UnB em contratos fantasmas com 529 pessoas, informa reportagem de Filipe Coutinho e Andreza Matais.
Pagamentos suspeitos incluem ao menos R$ 134 mil para o próprio Euricélio e para Israel Guerra, filho de Erenice que atua como lobista, quando ela era subordinada à então ministra Dilma Rousseff. Na prática, a Controladoria e o Ministério Público descobriram um esquema de terceirização dos serviços na universidade sem a comprovação de que eles foram efetivamente realizados. José Euricélio não foi encontrado ontem para comentar os contratos da UnB. A Folha procurou ainda Israel Guerra e seu advogado, que disse à reportagem que não comentaria enquanto não falasse sobre o caso com o seu cliente.(Fonte:Folhaonline).
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
O ministro Chefe da Casa Civil, na hierarquia do governo federal, é o segundo em importancia na administração. Portanto totalmente ligado ao presidente. O escândalo envolvendo a atual ministra. é sim da responsabilidade presidencial, assim como da ex-ministra Dilma, quem a indicou fazendo sua sucessora. Semana passada, tentou exirmir-se da responsabilidade dizendo que era problema do governo. Ora, se a indicação foi sua e até levou algum tempo convencendo seu padrinho presidente, não há como isentar-se da responsabilidade. A própria declaração pública da minstra Erenice Guerra, confirmando o tráfico de influencia praticado pelo filho, o qual recebeu pelos lindos olhos que possui(?) a quantia de 100 mil reais, de uma empresa que não tem endereços fixos e teve seu contrato com a ANAC renovado por mais dez anos ,e o irmão envolvido em desvios, toda essa responsabilidade é do Bispo? Ah! sacanagem tem hora. Outro fato que tambem requer apuração profunda e rápida, diz respeito aos dados e invasão de privacidade, constantes dos arquivos da Receita Federal, onde inúmeros contribuintes foram criminosamente afetados e dentre eles justamente familiares do candidato tucano, portanto seu concorrente direto na corrida ao palacio do planalto. Muita coincidencia, não? Realmente o governo agui rápido. Mas, em defesa da sua candidata, quando transfere as investigações para a esfera federal, tirando-a da polícia civil, e com o safado intuito de obter o decurso de prazo, pois somente após as eleições, possiveis investigações serão mantidas. Como confiar nas Instituições que deveriam zelar e defender os interesses dos cidadãos brasileiros? E AGORA SENHOR PRESIDENTE? AONDE ESTÁ A ÉTICA E A MORAL?

ETA, FERRO!!!!

Marina chama de 'retrocesso político' campanha com base em denúncias:
A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse neste domingo que as discussões ao longo da campanha eleitoral estão girando em torno de escândalos, em vez de propostas para melhorar o país. Para ela, isso é um "retrocesso político".
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Concordamos plenamente com a candidata. O que que se vê ultimamente no horario eleitoral do radio/tv, são baixarias da pior espécie. E este ano, os escândalos sucedem-se a cada minuto. Os 'cabeças-de-bagre' dos candidatos ainda não atinaram que o mais importante parta o eleitor é ver e ouvir projetos e programas sociais com abrangencia popular 'in totum'. E não tomaremos por surpresa se o segundo turno for composto de maneira completamente diferente da que tentam embutir na cabeça da nação, pelas pesquisas(?) divulgadas.











terça-feira, 14 de setembro de 2010

MOMENTO MANGUAÇA CULTURAL!

Você sabia?
Momento Manguaça Cultural :
Antigamente, no Brasil, para se ter melado, os escravos colocavam o caldo da cana-de-açúcar em um tacho e levavam ao fogo.Não podiam parar de mexer até que uma consistência cremosa surgisse.Porém um dia, cansados de tanto mexer e com serviços ainda por terminar, os escravos simplesmente pararam e o melado desandou.
O que fazer agora?
A saída que encontraram foi guardar o melado longe das vistas do feitor.
No dia seguinte, encontraram o melado azedo fermentado.Não pensaram duas vezes e misturaram o tal melado azedo com o novo e levaram os dois ao fogo.
Resultado: o 'azedo' do melado antigo era álcool que aos poucos foi evaporando e formou no teto do engenho umas goteiras que pingavam constantemente.
Era a cachaça já formada que pingava. Daí o nome 'PINGA'.
Quando a pinga batia nas suas costas marcadas com as chibatadas dos feitores ardia muito, por isso deram o nome de 'ÁGUA-ARDENTE'
Caindo em seus rostos escorrendo até a boca, os escravos perceberam que, com a tal goteira, ficavam alegres e com vontade de dançar.
E sempre que queriam ficar alegres repetiam o processo.
(História contada no Museu do Homem do Nordeste).
Não basta beber, tem que conhecer!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

CRIMES & DESRESPEITOS.

Estado e Receita Federal :A cada dia, novos contribuintes teem o sigilo 'quebrado':
MOMENTOBRASILCOM.COM(comentário):
È assombroso o descaso da Receita e governo federal e, no tocante aos inúmeros contribuintes que teem seus sigilos fiscais e dados pessoais invadidos pelo 'leão' que, só é feroz ao morder a renda do trabalhador, aumentando as alíquotas dos impostos, os quais, jamais teriam de existir, pois salario mensal nunca foi renda. Entende-se por renda, os resultados financeiros de aplicações e propriedades que produzam lucros. Quando se trata de proteger dados, não passa de um gatinho e muito corrupto. È inaceitável a postura do presidente Lula de completa passividade, chegando ao displante de comentar o fato, como 'futrica' da oposição, o principal alvo da ação criminosa. Continua o senhor Presidente tentando tapar o sol com peneiras, como o fez no caso do governador Arruda, onde declarou cinicamente que as imagens mostradas pela televisão dos recebimentos de milhõss em propina, não passavam de ilusão ótica. A nação não pode continuar impassiva quanto aos danosos atos praticados pelas instituições do país. chega de escândalos! Chega de cinismos!Chega de corrupção! Chega de braços cruzados!

domingo, 12 de setembro de 2010

AOS FICHAS 'SUJAS'



MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

A nossa homenagem à todos os políticos que não fizeram as respectivas inscrições no "FICHA LIMPA"

sábado, 11 de setembro de 2010

RESPOSTA PROCEDENTE.

*Richard Simonetti Lamenta em Carta à Revista VejaTom de Deboche na Reportagem Sobre o Filme Nosso Lar*
*Carta para a revista VEJA 1 de setembro de 2010*
*Senhor redator.*
*Como espírita, assinante dessa revista há muitos anos, lamento o tom de deboche que caracterizou sua reportagem sobre o filme Nosso Lar, o que, diga-se de passagem, também está presente em matérias sobre outras religiões. Nesse aspecto, VEJA é uma revista coerentemente debochada. Nãorespeita a crença de nenhum leitor.*
*Pior são os erros de apreciação sobre a Doutrina Espírita, reveland oignorância do repórter, uma falha perigosa, porquanto coloca em dúvida outras matérias e informações. Como saber se os responsáveis estavam preparados para escrevê-las, evitando fantasias e especulações?*
*Para sua apreciação, senhor redator, algumas “escorregadelas” do repórter:*
*a) Grafa entre aspas o verbo desencarnar. Só teria sentido se ainda não houvesse sido dicionarizado. Por outro lado, noventa por cento dos brasileiros são espiritualistas, isto é, acreditam na existência e sobrevivência do Espírito. Este ser imortal desencarna, jamais morre. A minoria materialista, que acredita que tudo termina no túmulo, certamente terá surpresas quando “morrer”.*
*b) Fala em cordilheira de ectoplasma onde se situaria Nosso Lar. De ondetirou isso? Ectoplasma é um fluido exteriorizado pelos médiuns para trabalhos de materialização. Os físicos, esses visionários cujas “fantasias”acabam confirmadas pela Ciência, falam hoje que há universos paralelos, que se interpenetram, semelhantes ao nosso. A partir daí, não é difícil imaginar o mundo espiritual descrito por André Luiz como parte de um universo paralelo com seres e coisas semelhantes à Terra, feitos de matéria num outro estado de vibração, não um mundo “ectoplasmático”, mas de quintaessência material. Nada de se admirar, portanto, que em cidades desse mundo existamvpessoas com “uma rotina parecida com a dos vivos: comem, bebem, trabalham emoram em casas modestas ou melhorzinhas”. Espirituoso esse “melhorzinhas”. Imagina o repórter que o Espírito é uma fumaça sem forma, sem consistência, habitando um nada?*
*c) Situa o aeróbus, um transporte coletivo que voa, como algo improvável. Menos mal que não tenha escrito impossível. De qualquer forma, ignora,certamente, que pesquisadores estão aperfeiçoando veículos dessa natureza ,em alguns países, como solução para os problemas de trânsito e que no universo paralelo, o mundo espiritual, de matéria quintaessenciada, é muito mais fácil resolver problemas relacionados com a gravidade. Ou, imagina que tudo flutua por lá?*
*d) Diz jocosamente que “o visual da colônia dos espíritos de luz comprova: o brasileiro pode até se livrar do inferno, mas não escapa nem morto da arquitetura de Oscar Niemeyer. A cidade fantasmática de Nosso Lar é a cara de Brasília…” Não se deu ao trabalho de comparar datas e não percebeu que, mais apropriadamente, Brasília copiou Nosso Lar, visto que a cidade espiritual foi descrita por André Luiz em 1943, enquanto a construção de Brasília foi planejada e ocorreu no governo de Juscelino Kubistchek, de 1956a 1961, inaugurada em 1960.*
*Quanto ao mais, seria recomendável aos repórteres da VEJA o benefício de um estudo acurado e sem prejulgamento do livro que deu origem ao filme, psicografado por esse atestado vivo de integridade e amor à verdade, que foi o médium Chico Xavier, para compreenderem qual é o objetivo dessa magistral obra, como resume o Espírito Emmanuel, no prefácio:*
*André Luiz vem contar a você, leitor amigo, que a maior surpresa da morte carnal é a de nos colocar face a face com a própria consciência, onde edificamos o céu, estacionamos no purgatório ou nos precipitamos no abismo infernal; vem lembrar que a Terra é oficina sagrada, e que ninguém a menosprezará, sem conhecer o preço do terrível engano a que submeteu o próprio coração.*
*Richard Simonetti*.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Fazemos nossas todas as palavras do irmão Simonetti e convocamos a todos os espíritas ao apoio incondicional á carta e autor.
N.R.: Os grifos no texto são do editor.

FLUIDO VITAL: ATENDENDO A PEDIDO.

Maria José disse...
Já existe uma programação para cada um de nós antes de reencarnamos. Mas se mudarmos nossas atitudes e formas de pensamento, podemos ganhar um pouco mais de fluido vital. Grande abraço.
Domingo, Setembro 05, 2010
Maria José disse...
Roy. Seria possível uma explicação mais detalhada sobre esse assunto, abordando especificamente sobre fluido vital? Abraços.
Domingo, Setembro 05, 2010
..//
(www.arcadoconhecimento.blogspot.com)
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Atendendo ao pedido da especialíssima e cativa amiga, tentaremos explicar o 'fluido vital'.
Dentre os benefícios que recebemos apartir da reencarnação, este fluido, é o que determina a duração da mesma. Como o nome já diz, "fluido da vida". È a força/energia recebida pelo espírito para permanecer na matéria e movimentá-la. Ao reencarnarmos(nascimento), trazemos um mapa reencarnatório, constando de inúmeros itens, como por exemplo: quando(a idade) sofreremos algum(ns) acidentes, se ficarão marcas no corpo, o tipo, quais as doenças, em que fase da vida tomamos conhecimento, dentre outros. Baseado no conteúdo deste mapa, é determinada a quantidade do fluido, iniciando-se na concepção do feto( acoplamento perispiritual entre mãe e filho) até o chamado 'suspiro final', instante da desencarnação. Desta forma não temos o poder de prolongá-lo. Costumo falar popularmente que é a quantidade de oxigênio que recebemos ao longo da vida. Portanto, esgotada nossa cota de fluido vital, desencarnamos. Contudo, tenho conhecimento ao longo da caminhada espírita, de dois casos onde a 'MISERICÓRDIA DIVINA', sempre presente, permitiu a continuação da cota, em dois irmãos espiritas e com doses distintas de iluminação: Chico Xavier e José Peixoto, este, reencarnação de Gregório(livro Libertação/André Luis) e Barrabás, reveladas pelo próprio em palaestra e, em ambos os casos com a mesma finalidade: preparação de substitutos e períodos: cerca de 12 anos.
N.E.: José Peixoto preside o Posto de Socorro Espiritual Maria Angélica/Dias D'Ávila-Ba).
A foto mostra o momento do nosso desprendimento do corpo físico, durante o sono.










segunda-feira, 6 de setembro de 2010

DEMOCRACIA(??????).

MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Em 64,os militares tomaram o poder sob o pretexto de preservar a democracia ameaçada por um presidente manipulado pelo radicalismo das esquerdas. O ato, inicialmente transitório visava devolver o poder aos civis e transformou-se no pesadelo da ditadura. Muitas injustiças foram cometidas em nome da democracia, lideranças foram suprimidas e a imprensa, amordaçada. Duas tendencias opostas ocorreram : liberdade X autoritarismo. Ulisses Guimarães, Tancredo Neves, dentre muitos democratas, partiram para a luta contra a ditadura. Outros como Dilma Rousseff, José Dirceu e Franklin Martins(atual assessor de imprensa do planalto), partiram para a clandestinidade, mantendo o autoritarismo na alma. A hipótese de que caminhamos para uma aventura antidemocrática, está nos dicursos:
Ao lado do presidente Lula, o ministro Franflin Martins, criticou a imprensa, afirmando que os jornais e emissoras de TV vão perder o controle sobre as notícias levadas à opinião pública, ao participarem do lançamento da TVT(Sind. Metalúrgicos/ABC), pois o canal ajudará a internet a quebrar o poder dos "aquarios", jargão idenficador da chefia das redações dos jornais. O inimigo é claro e declarado: a imprensa independente. Ou seja: a mesma que combateu a ditadura e que se opõe e se oporá sempre, aos novos ímpetos autoritarios que se dislumbram no pós-eleitoral. O projeto de controle das comunicações e das liberdades públicas, está em clara implantação. O governo atual esvaziou e desqualificou as agencias, concentrando seus esforços no Plano Nacional de Banda Larga, criando a Empresa Brasileira de Telecomunicações(TV Brasil),passando tambem a cuidar da Telebrás. A estratégia do poder consiste na ocupação total do território estatal das comunicações, a exemplo do Chávez. Já há algum tempo, que o governo vem tentando de todas as maneiras 'calar' a imprensa, inclusive mudando a lei e dispensando uma série de requisitos. Em suma: o que se avizinha e vislumbra-se para o futuro é uma: DEMOCRADURA.







A IMPÁFIA e a MENTIRA.

Consumidor de luz pagou R$ 1 bilhão por falha de Dilma:
Falhas no cálculo da chamada tarifa social de energia, criada no governo FHC, provocaram gastos indevidos de um fundo de consumidores de todo o país, informa reportagem de Rubens Valente, publicada neste domingo pela Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL). Segundo o Tribunal de Contas da União, o desperdício foi de R$ 989 milhões no tempo em que Dilma Rousseff era ministra de Minas e Energia (2003-2005). O TCU alertou Dilma três vezes sobre o erro, mas ela não tomou providências. Um dos critérios para definir o benefício era o baixo consumo. O TCU concluiu que o domicílio que gastava pouco não era necessariamente pobre. Podia ser uma casa de praia, por exemplo. Em 2006, só depois de a ministra ir para a Casa Civil, houve providências. A lei mudou em 2010.
Outro lado:
A candidata Dilma Rousseff (PT) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que “desde 2003″ o MME (Ministério de Minas e Energia), a Aneel e o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social) realizaram estudo para propor mudanças no cálculo da tarifa social. Segundo a assessoria, tais estudos resultaram na lei sancionada pelo presidente Lula em janeiro deste ano, que alterou os cálculos. Indagada sobre quais estudos do ministério teriam sido esses, não encontrados nos levantamentos do TCU entre 2003 e 2005, a assessoria respondeu: “Lembramos apenas que a ex-ministra saiu do MME — onde foram iniciados estudos sobre o assunto — e foi para a Casa Civil, onde coordenou todas as ações de governo, incluindo as discussões com o Congresso que resultaram na aprovação das mudanças legais”.
(…) O MME alegou que “adotou as orientações e recomendações do TCU em abril de 2003″. “Ao longo desses anos, foram promovidas diversas ações pelo MME para construir propostas de alteração nos atuais critérios”.(Fonte: Reinaldo Azevedo).
MOMENTOBASILCOM.COM(Comentário):
Explícito está nesta matéria, a impáfia e a mentira, acompanhates inseparáveis da candidata à presidencia; a impáfia componente da sua personalidade, a faz não tomar conhecimento dos alertas e opiniões de terceiros. Vide a orientação do TCU; a mentira, sempre usada para favorecê-la em algo. Vide os tais 'estudos' que jamais foram encontrados. Ficamos àmatutar: Qunado ministra das Minas e Energia e presidenta do Conselhos Administrativo da Petrobrás, deitava e rolava, pois, as suas opiniões eram as que valiam. Quando ministra da Casa Civil, aí foi a 'sopa no mel'. Sendo o segundo cargo em importancia na administração do país, e, aproveitando que o Presidente nunca sabe de nada, montou seu 'império', dandos todas as cartas ao seu belprazer. Corremos o grande risco de termos uma administração federal nos moldes 'Bolivarianos' e simpatizantes. TRISTE BRASIL!!!!!!!

domingo, 5 de setembro de 2010

RELAX DOMINICAL.



MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

O Ray Conniff fez um merecido tributo.

sábado, 4 de setembro de 2010

NOSSO LAR!

MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

Eis quem somos(espíritos) de onde viemos e para onde retornamos pós desencarne(morte do corpo físico).

COMO E O PORQUE?

MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

Como ocorreu o desencarne do André Luis(Carlos Chagas).

CONHECENDO UM POUCO MAIS.







MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

A explicação mais detalhada.

A VIDA do OUTRO LADO.



MOMENTOBRASILCOM(Comentário);

Eis o que encontramos no retorno.

PREPARO PARA OS DESENCARNES.

Venho em nome da ordem e da paz neste ciclo mais evidente que desponta no planeta: o ciclo da varredura planetária, da separação do joio e do trigo e do encaminhamento das almas para seus respectivos andares evolutivos. Sem sombra de dúvida é importante que todos os seres humanos estejam atentos a uma insofismável realidade: os tempos são chegados e muito estão mudados os sintomas físicos e mentais de maioria dos seres. Canalizadores e "médiuns-colunas", ou os de sustentação energética, de várias correntes espiritualistas, do mundo todo, sentem sobre os ombros os fardos de energias deletérias que estão sendo dissolvidas pelas equipes de resgate de nossas naves. Participam ativamente, nas madrugadas, com seus veículos espirituais, de expedições de auxílio aos grupos que desencarnam diuturnamente em vosso planeta. Integram nossas hostes de serviço do Amor Incondicional aos nossos irmãos cósmicos em corpo físico no planeta Terra. No entanto, ainda mais sofridos encontram-se os vitimados pelas tragédias de cada dia, nestes tempos implacáveis da transição planetária. Os últimos acontecimentos ocorridos em várias cidades do Brasil e de outros países, com relação às mudanças climáticas e suas consequencias no movimento dos fenômenos da natureza , tem deixado, no plano astral, centenas de seres em condições lastimáves de sofrimento espiritual. Estes seres, em grande parte, principalmente aqueles que tem esta condição e merecimento, tem sido conduzidos até os postos de socorro espiritual na dimensão extrafísica, de divisões especiais do Comando Ashtar, hospitais especializados em restauração de corpos astrais, de centros espíritas, esotéricos e de qualquer agregação religiosa espiritualista, onde existam fatores reais de disposição para a ajuda espiritual às criaturas encarnadas e às almas já libertas do invólucro carnal. Nem porque existam nossas naves de resgate, sob o comando crístico, orbitando em torno do planeta, para o socorro à humanidade, na difícil fase de transição que a Terra está enfrentando, deixa de acontecer a lei de ação e reação para os seres que tiveram suas vidas ceifadas, no plano físico, de forma abrupta, tal qual as dos últimos acontecimentos trágicos mostrados a cada dia pelos vossos noticiários. Um dispositivo importante das equipes de socorro do plano espiritual é a utilização do ectoplasma de médiuns e criaturas que tenham a condição de doação aos seres que desencarnam em situações de grande desespero, tais quais os soterramentos, explosões, incêndios e afogamentos, além dos acidentes de toda ordem em estradas e nos âmbitos de serviços vários onde existam riscos permanentes . Houve nesta madrugada um ordenamento de falanges mais adestradas em desativação dos núcleos de força ( chackras ) dos seres humanos, para haver um correspondente de auxílio espiritual mais efetivo às criaturas em vias de desencarne, que doravante serão em número crescente, dadas as condições climáticas em alteração visível de seu ritmo planetário anterior, como resposta e demonstração da inviolabilidade da lei de retorno aos excessos de toda ordem cometidos pelo terráqueos durante os milênios planetários. As catástrofes coletivas demandam dos núcleos de socorro espiritual as mais recentes tecnologias desenvolvidas pelos especialistas em disecção de "nós" de milhares de fios energéticos que prendem o corpo fisico ao corpo espiritual. Muito já se estudou nos círculos espíritas acerca dos desenlaces de invólucro físico. No entanto, urge salientarmos neste novo ciclo da Terra, que há que se preparar mais as criaturas humanas para os seus momentos de desligamento da matéria. A falta de conhecimento sobre as leis espirituais atrasa, em muito, a eficiência das equipes de socorro, que necessitam ainda esclarecer as almas sobre sua nova condição e lidarem com circunstancias de desespero, medo, pavor , ignorancia e incredulidade. Não bastando a atuação insalubre do séquito de inimigos astrais em regime de simbiose espiritual agregados aos corpos astrais dos seres mais comprometidos com a lei divina, há ainda a lei do magnetismo imperando na religação de desencarnados ao parentes encarnados que ficaram, invocando as suas presenças, e atraindo-os para uma perpetuação dolorosa de sua condição interregna. Fazemos um apelo a todos os irmãos esclarecidos das lides espiritualistas que, antes de estarem cônscios apenas da intervenção de nossas frotas no novo ordenamento cíclico da Terra, façam a sua parte na conscientização de populações totalmente desavisadas sobre a imortalidade da alma, sobre a vida astral com sensações humanas após o desencarne e da preponderância do fator "conhecimento das leis espirituais" e "merecimento" na sintomática do pós- desenlace físico, para haver maior serenidade, autocontrole, paciência e fé nos momentos da grande travessia. Toda a população da Terra deveria estar preparada para os momentos difíceis que o planeta irá atravessar. Já está havendo provas de toda estas situações trágicas que centenas de criaturas irão enfrentar há muito tempo. Mortes coletivas já são cotidianas desde os albores do planeta e são vivenciadas em várias partes do orbe terreno, por inúmeros fatores e mecanismos naturais e de interferência humana. Mas este momento é singular na história da Terra, ainda que semelhante aos ocorridos da Atlantida. Temos um itinerário exaustivamene estudado pelas nossas equipes de resgate com relação à materialização astral de centenas de postos de socorro nas regiões que estarão sendo afetadas mais brevemente pelas intempéries. Caravanas de enfermeiros espirituais trabalham incansavelmente sob a égide de Kuan Yin e de Mestra Nada. Sob os auspícios de Maria de Nazaré e de Jesus, falanges de seres arcanjélicos diluem as torrentes escuras das impregnações energéticas na estratosfera do planeta, durante todo o tempo de esvaziamento dos recônditos terrenos onde ocorrem as catástrofes e mortes coletivas no planeta. Urge ampliar-se o acervo de informações e de instruções a serem dadas pelos educadores espiritistas e esotéricos, no que tange ao preparo substancial dos seres para a consciência dos sintomas enfrentados no pós desenlace do invólucro físico. Há que lembrá-los da correspondência entre as condições morais e espirituais que tenham adquirido em suas experiências carnais e o estado de seus corpos astrais e de suas sensações no pós desencarne. Muitos acontecimentos estarão sendo enfrentados daqui para a frente durante todo o período de adaptação do planeta ao seu novo eixo de rotação e à sua nova vibração galáctica. Toda a engrenagem de viabilização do ciclo de provações, expiações e dores deste orbe-escola, através da interferência dos submundos umbralinos , na vida dos terráqueos, tem sido destruída pelas equipes de desinfecção astral da Terra, um dos departamentos de atuação de nossas frotas. Neste setor laboram exaustivamente os trabalhadores especiais da umbanda, seres de luz intensa vindos de Aruanda, ou seja, reinos de luz de universos transdimensionais, a pedido de Sanat Kumara e de Saint Germain, além dos comandantes dos portões dos labirintos abissais da Terra, frequentemente confundidos com seres trevosos, sendo, no entanto , os guardiães mais capacitados para enfrentarem a vibração densa do interior astral do planeta. São estes preparados adredemente em estações intergalácticas ou departamentos cósmicos de "Recursos Supra-Ordinários", para o exercício de suas funções de confronto com o reino do AntiCristo. São estes especialíssimos seres os generais responsáveis pelo encaminhamento de almas para turbilhões de descida vibratória 666. São os Esséias, estes preparadíssimos seres, termo que se degenerou para Exus, que , de qualquer forma, representam os oficiais da justiça divina. No que tange ao nosso papel de comandante destas naves criadas através do amor de Sananda, para o resgate também dos seres em condições de estagiar em dimensões de frequencia superior, deixamos aqui registrado o nosso apelo aos canais de comunicação espiritual, que tracem um roteiro de explicações de alcance de massas, quanto às preparações que devem ter para atravessarem possíveis momentos de calamidades previstas para uma grande parte da população terráquea, não no afã de se salvarem ou sobreviverem, mas no sentido de conhecerem uma nova forma de se viver, no plano do espírito, em que suas condições de raciocício, lucidez e preparo moral e espiritual darão contornos mais tranquilos ao cenário de suas novas vidas nestes outros planos dimensionais. Não vamos aqui novamente expor princípios já consagrados e do conhecimento humano, tal qual o legado de Kardec, de Cristo e dos prepostos da era. Aquário já delineados por Saint Germain, além de tantos outros mensageiros mais que já vieram preparar os homens para as transformações necessárias à sua evolução. Mas, traduzir a nossa preocupação a respeito de uma necessária agilização do processo de despertamento espiritual, para evitarem-se momentos ou milênios de mais sofrimento por parte desta população terráquea, que já vem atravessando portais de migrações e esquemas planetários há éons, e que passam, a partir de agora, a poder optar pelos seus novos rumos cósmicos, por terem já obtido a condição de semearem flores ou ervas daninhas, nos trilhos de suas jornadas evolutivas. Com nosso augúrio por vislumbrarmos uma nova Terra surgindo e novos seres cristal apontando no horizonte do planeta, encaramos estes momentos de caos planetário como uma intervenção da lei divina a favor de sua criação, a alma imortal. E, com a nossa flâmula do Amor Incondicional voltada para o socorro a todos vós , amados da Terra, deixamos aqui o nosso convite a este preparo a que nos referimos, para que o " Desencarne " tenha o seu sentido real de "mudança frequencial" de moléculas e da inteligência, com a mesma identidade espiritual em sua expansão de consciencia cósmica, e que não represente, apenas, o momento de indizível "dor" em vossa situação de jungidos a um corpo físico planetário, que é o referencial que a grande maioria de vós tem nestes âmbitos tacanhos de interpretação das leis imutáveis da evolução. Estamos em auxílio à Terra !! Confiai na Suprema Perfeição dos desígnios de nosso Pai e mantende a paz interior nos momentos da "passagem", pois sempre haverá quem os esteja aguardando e os aquecendo na chama divina do Amor Universal !!
Com minhas saudações de imenso respeito aos meus irmãos da Terra, ASHTAR SHERAN

SABIAS PALAVRAS!



MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

Alerta da Ministra VENERANDA (espírito altamente iluminado).

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

QUANTA DIFERENÇA!

Dos sonhos do JK, o presidente 'bossa nova", que disse e cumpriu: "O Brasil vai avançar 50 anos em cinco". E construiu Brasília, a 'nova cap' , à vasoura do Jânio, outro que tambem cumpriu, dando as vassouradas necessarias logo que assumiu, há, uma diferença estrondosa para os políticos atuais(de qualidade infinitamente inferior). Enquanto o presidente JK, importava-se com o crescimento do país por inteiro e o presidente JQ, iniciou o mandato dando vassouradas dentro do próprio gabinete, hoje temos um presidente que não sabe de nada. Que cortaria a própria carne, fato que até o momento a nação aguarda e tenta empurrar goela abaixo dos brasileiros uma ex-guerrilheira, autoritária, sem carisma algum e portadora de uma impáfia ilimitavel. Ah! tempos que dão saudades. Êstes eram realmente anos dourados. Com êstes, realmente fomos felizes e sabíamos.