sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

DESCOBRINDO A PÓLVORA.

Em discurso reservado para deputados, senadores e governadores do PMDB, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu aquilo que PT e PMDB, em público, sempre tentam negar: a existência de problemas na relação entre os dois partidos."Eu não estou convencido de que esteja tudo resolvido entre nós. Dois partidos grandes como os nossos sempre terão problemas, pedras no sapato. Temos que tirar uma a uma", afirmou o presidente, na casa do senador eleito pelo Ceará, Eunício Oliveira, em Brasília. A declaração, nunca dada em público presidente, foi dada antes de jantar oferecido pelo PMDB em homenagem a Lula. O som do microfone que o presidente usou para o discurso, em estrutura montada nos fundos da casa de Eunício, acabou sendo alto o suficiente para ser parcialmente ouvido na frente da casa, onde a imprensa estava concentrada.Em seguida, num tom mais ameno, Lula afirmou que não há chance de a aliança formada entre PT e P MDB para dar sustentação ao governo Dilma fracassar."As chances de dar certo é de 99,999%. A chance de dar errado é nenhuma", disse. O presidente destacou ainda que o governo terá uma posição "confortável" no Congresso, mas lembrou que, ainda assim, "teremos adversários". Lula cobrou ainda do PMDB cuidado com o controle da inflação. Antes de Lula, o presidente do partido e vice-presidente eleito, Michel Temer, agradeceu o presidente."O tratamento de Lula ao PMDB foi compatível com a grandeza do partido", afirmou.(Fonte:UOL/Bol).
MOMENTOBRAILCOM.COM(Comentário):
Até cegos sabiam das desavenças. Eles não enxergam! mas ouvem. Qual o político que não tem o ego 'inflado? os melindres aflorados? Como em não sendo o maior partido do país, no pôr as 'manguinhas' de fora, e fazer exigencias? Ainda mais tendo na cúpula diretiva do PMDB, duas velhas raposas: O Temer e o Sarney. O Lula, durante os 8 anos de mandato é que tentou tapar o sol com peneirias, no intuito de encobrir vários equívos e coisas que o valham. O que achamos engraçado à bessa, é que nos tempo de sindicalista e de político de oposição(até então era sustentado pelo próprio partido), valia-se totalmente de imprensa. Após galgar a Presidência, torna-se verdadeiro verdugo dela. Perguntamos: E agora? tambem vai dizer que é golpe da imprensa, contra seu governo? Que tudo não passa de maledicências? Que é pura invenção da mídia? Que uma satisfação, senhor Presidente. Queremos o respeito a que temos direito de forma total, geral e irrestrita!

Um comentário:

Maria José disse...

Sabe o que mais me assusta em todas essas histórias e fatos políticos? A clara mudança das pessoas em termos de comportamento, valores, atitudes etc depois que assumem o poder. Isso é muito perigoso, não acha meu amor? Beijos.