quarta-feira, 3 de novembro de 2010

VIDA QUE DEVERÁ SEGUIR;

Apartir de agora, com sua candidata eleita, o presidente Lula terá de descer do palanque e reassumir o comando do país até 31 de dezembro. Na mesa do presidente há assuntos urgentes para serem decididos, mas ele já disse que vai continuar viajando pelo país e inaugurando obras até o último dia de mandato, além dos compromissos internacionais. Já no próximo domingo, Lula embarca para Maputo, onde deve inaugurar a fábrica de medicamentos contra a Aids construída em parceria com o governo de Moçambique. Até o fim do ano estará em outros nove países. O presidente já demonstrou em eventos públicos a dificuldade de conviver com os últimos dias de mandato. No Rio, ele anunciou que vai fazer uma grande inauguração no dia 31 de dezembro, na véspera de passar a faixa presidencial. A lista de sugestões de obras a serem inauguradas estão chegando ao gabinete do presidente, mas a tendência é que ele saia de cena, no último dia de governo, com um ato envolvendo um marco do governo, como a transposição do São Francisco ou o pré-sal. A lista de inaugurações nos próximos dois meses é extensa: escolas técnicas e universidades, trechos das ferrovias Norte-Sul e Transnordestina, as eclusas da hidrelétrica de Tucuruí, no Pará, e usinas no Sul do país - Candiota (RS) e Foz do Chapecó (SC). Lula já disse aos assessores que não abre mão de inaugurar a ponte dos quilombolas, sobre o Rio Ribeira do Iguape, em Ivaporunduva (SP). Ele defende a construção da ponte desde a década de 90 e chegou a negociar com o então governador de São Paulo Mário Covas. Quando assumiu a Presidência, a construção foi colocada como questão de honra. A inauguração ocorreria em agosto, mas foi cancelada por causa do mau tempo. Nesses dois meses, o presidente também deverá cumprir promessas: por exemplo, voltar à reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, onde esteve em abril. Em dezembro, participa da última reunião plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, órgão criado por ele e composto de representantes da sociedade. Pelo exposto não só o presidente, como tambem o Congresso tem que retomar os trabalhos paralisados desde julho motivado pelas campanhas. Outrossim, Tio Sam já convocou a nova presidenta para as orientações de praxe.

2 comentários:

Maria José disse...

O poder fascina, infla o ego, descontrola as emoções. Perdê-lo não deve ser fácil, mesmo para os mais preparados. Beijos.

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Olá.
Não se preocupem porque ele vai continuar nos bastidores.......
Muita Luz e Paz em seu coração!
Lú.