terça-feira, 26 de outubro de 2010

PAGANDO O PATO.

Justiça Militar condena controlador envolvido em acidente da Gol; 4 são absolvidos
A Justiça Militar condenou um e absolveu quatro controladores de tráfego aéreo acusados de contribuir com o acidente do Boeing da Gol, que se chocou em 29 de setembro de 2006 com um jato Legacy, no espaço aéreo da Amazônia. A decisão foi tomada nesta terça-feira. O militar inativo João Batista da Silva e os militares da FAB (Força Aérea Brasileira) Felipe Santos dos Reis, Lucivando Tibúrcio de Alencar e Leandro José Santos de Barros foram inocentados dos crimes de descumprimento de providências previstas em normas para segurança de voo. O militar Jomarcelo Fernandes dos Santos foi condenado a 1 ano e 2 meses de detenção pelo crime de homicídio culposo. Segundo o advogado Roberto Sobral, o acusado irá recorrer da decisão, em liberdade. Segundo Sobral, Jomarcelo não sabe inglês, e foi induzido a ocupar um cargo que exige um nível de proficiência elevado da língua. Essa será uma das linhas de defesa dele. A juíza Juíza Vera Lúcia da Silva Conceição foi a única em seu voto a absolver os cinco acusados, sob a argumentação de que para que haja condenação, deve haver a certeza de culpabilidade, o que "não ficou claro no processo". A promotora do caso, Ione de Souza Cruz, responsável por apresentar a denúncia ao Conselho Permanente de Justiça, disse não identificar crime na conduta dos acusados. "Não há como atribuir a esses homens a responsabilidade penal do que aconteceu", afirmou. O Conselho é formado por cinco membros, incluindo a juíza. Jomarcelo e Lucivando respondem também por um processo criminal na Justiça Federal por falhas de procedimento que ocasionaram o acidente.(Fonte:FOLHA).
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Lamentável esta decisão da Justiça Militar, em todos os sentidos. Vê-se no corpo da matéria que juiza e promotora não tiveram a certeza da culpabilidade dos 'réus', alem de que, durante os noticiários da época e exames técnicos preliminares efetuados pela Anac e Aeronautica, ficou confirmado que na aeronave Legacy, o chamado transponder, equipamento vital em voo e, que tem a finalidade de alerta contra outra aeronave na mesma rota(evitar-se a colisão) não estaria ligado. Fica a dúvida: será que por estar envolvidos no acidente pilotos da maior potencia do mundo, este fato pesou na decisão? Mais uma vez fica provado que a corda só arrebenta do lado mais fraco. TRISTE BRASIL!

Um comentário:

Maria José disse...

Roy. É lamentável mesmo e é certo dizer que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco. Beijos.