quarta-feira, 27 de outubro de 2010

DEFENDER e NÃO PRIVATIZAR A PETROBRÁS? ONDE? EM QUE GOVERNO?

Ex-diretor da Petrobras afirma: Dilma permitiu privatização :
Ex-diretor da Petrobras afirma que Dilma permitiu privatização da 'franja' do pré-sal; Alçada ao centro do debate eleitoral, a ameaça de "privatização" do petroléo já é uma realidade, na opinião de Ildo Sauer, ex-diretor da estatal (2003-2007). Segundo ele, o modelo de concessões criado no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi ampliado pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT). E mais grave: os leilões ocorreram mesmo depois da descoberta do pré-sal - o chamado "filé mignon" das reservas brasileiras - e abrangeram blocos conhecidamente promissores, como o arco do Cabo Frio. Sauer sustenta que a candidata Dilma Rousseff, ex-presidente do Conselho de Administração da Petrobras, tinha conhecimento do que ocorria e foi conivente com o favorecimento de pelo menos uma empresa privada, a OGX, do empresário Eike Batista, que recrutou executivos estratégicos da Petrobras meses antes do leilão de 2007 (9ª rodada).
Veja a seguir trechos da entrevista:
Por que o sr. afirma que foi feita uma privatização do petróleo, inclusive do pré-sal?
Em 2006, a ANP e o governo - o presidente da República e a chefe da Casa Civil e presidente do Conselho de Administração da Petrobras - foram avisados de que a Petrobras, depois de muitos anos de estudo, resolveu furar o sal. Tínhamos feito um poço em Tupi que não encontrou petróleo até o sal, um fracasso. Mas era o lugar ideal para fazer o teste e saber se o pré-sal existe ou não existe. Em julho, furaram e encontraram o petróleo. Portanto, em julho, a especulação de mais de duas décadas estava confirmada. O governo foi avisado. E a ANP foi avisada, conforme manda a lei. O que faltava era dimensionar a reserva. O conselho de todos os técnicos da Petrobras e dirigentes que tinham acesso ao governo, sindicalistas e o grupo de engenharia do Rio de Janeiro pediram para suspender todos os leilões. No entanto, em 2006 o leilão não só foi mantido como limitava, na oitava rodada, a quantidade de blocos que a Petrobras poderia comprar.
Dos 280 blocos que iam a leilão, a Petrobras poderia comprar menos de 60.
Por que limitar?
A ANP arbitrariamente resolveu fazer isso. com apoio do governo porque dizia que era contra o retorno do monopólio da Petrobras.
Como era discriminatório contra a Petrobras, houve ação judicial e teve ganho de causa, uma liminar de suspensão do leilão. O leilão já tinha vendido alguns blocos sobre o pré-sal, um deles para a empresa estatal italiana, quando foi bloqueado. Até hoje não terminou. Isso foi em 2006. O ministro Lobão volta e meia ameaçava retomar o leilão, mesmo sabendo que a maior parte dos blocos dessa oitava rodada estavam sobre o pré-sal.(Fonte/O GLOBO).

MOMENTOBRASILCOM.COM(comentário):
A candidata Dilma do Chefe no seu programa no horário gratuito, INSISTE em afirmar que irá defender a Petrobrás e as riquezas brasileiras. Como defender? Resta agora o quê para privatizar? Será quie a matéria acima e o entrevistado não passam de mentirosos? E agora, senhor Lula? o que dizer ao eleitorado?

Um comentário:

Maria José disse...

Roy. As privatizações voltam ao cenário. Os petistas, talvez baseando-se na privatização da Vale que efetuou grandes investimentos, graças à eliminação da necessidade de partilhar recursos com o Orçamento da União, acham um grande negócio vender o patrimônio do país, pensando unicamente na elevação da competitividade das nossas empresas no cenário internacional, o que nem sempre acontece. Será que vale a pena, ter um país sem memória???? Beijos.