sábado, 25 de setembro de 2010

"O AMOR NUNCA MORRE"!

Em 27 de setembro de 2009, casaram-se um dentista e uma professora de música e espírita praticante do Centro Espírita Mensageiros da Luz, nesta capital. À primeira vista, pode parecer que o matrimônio transcorreu de acôrdo com a rotinapor demais conhecida, isto é, logo após um período de nomoro e noivado. Com o citado casal, porém, há uma interessante história, pelo que nossa confreira Flávia, diretora do menscionado centro, pediu para que fizessemos o registro. O matrimônio aconteceu entre duas pessoas já aposentadas e que se conheceram há cerca de 50 anos, quando viviam no bairro da Mouraria, em Salvador. Iniciado o romance, obtiveram a aprovação das respectivas famílias e tudo ía bem até que uma viagem do marido provocou a ruptura do namoro. Com o decorrer dos anos, ele concluiu o curso universitário e montou uma clínica dentária, casou-se com outra muilher e foi viver em Alagoinhas, cidade próxima da capital. Ela, a professora, formou-se em Música e começou a ensinarna Escola de Música da Ucsal e no Instituto de Música da Bahia, alem de realizar recitais de canto, tendo gravado dois CDs. Ambos não se viam desde a separação até que, após 49 anos, ele ficou viúvo e resolveun retornar a Salvador, onde procurou notícias sôbre a sua amada, que permaneceu solteira, dedicando-se aos seus familiares e à música. Após o reencontro, voltaram ao antigo namoro, culminando com a união formalizada em cerimônia assistiada familiares e amigos de ambas as familias, em um congraçamento emocionante e respeitoso. O padrinho dos noivos foi o Monsenhor Gaspar Sadoc, que disse ser, em seus 50 anos de sacerdócio, a primeira vez que apadrinhava um casamento. O coral, sob a regência do maestro Elcio Carvalho, completou o belo evento. No momento em que Flávia nos prestou estas informações e solicitou o registro desse acfontecimento, recordamos uma frase que o insesquecível confrade Juventino, que enaltecemos em tres artigos nesta coluna em tres artigos- nos disse, pouco antes de morrer, durante visita que lhe fizemos no hospital:"O amor nunca morre! Muitas vezes, os problemas da vida obrigam duas pessoas a se separarem, mas a força do amor, quando puro e sincero, impulsiona esses espíritos afins para que se reencontrem. Caso idêntico ao acima aludido só conhecemos o de Pedro, um amigo de infância que, ao chegar à adolescência, começou a fumar e beber demasiadamente, pelo que sua namorada resolveu abandoná-lo e casar com outro rapaqz, apesar de eu amor pelo jovem. Cerca de 35 anos se passaram, mas ele nunca esqueceu sua primeira namorada e única namorada. O longo tempo não lhe apagou da memória aquela criatura por quem nutria um grande amor e mantinha respeitosa amizade. Parou de fumar e de beber, mas nunca procurou outra mulher, visto que somente aquela lhe interessava. \na última década do século que passou, ocorreu um fato que iria modificara vida de ambos. Ela já viúva e. como Pedro já estivesse livre dois vícios, sua ex-namorada o recebeu de volta e ele encontrou a felicidade que tanto almejava. Recvomeçaram o nomoro interrompido por mais de tres décadas e casaram-se, embora ambos já estivessem em torno da faixa dos 50 anos. Era a confirmação da frase do velho:"o amor nunca morre!".(Gilberto Santos/Jornalista e espírita).
MOMENTOBRASILCOM.LCOM*(Comentário):
Nos casos narrados acima, há duas semelhanças: foram namoros reatados e a situação da viuvez. Mas existem tambem os casos, onde espíritos afins só se reencontram na mesma reencarnação, após muitos anos e casados com pessoas diferentes e, que se divorciam. Fatos esses, fazem parte da programação reencarnatória dos quatro envolvidos, onde esta momentanea separação tambem atua como quitação de débitos anteriores do quateto.

3 comentários:

Maria José disse...

Roy. Que histórias lindas e emocionantes. Quando há um verdadeiro amor, a vida dá um jeito de aproximar os dois. Concordo inteiramente com o seu comentário ao final do post. Existem amores que foram escritos nas estrelas. Grande abraço.

ivvy disse...

Ninguém consegue domar o destino quando duas pessoas estão programadas
a se encontrar....é uma força maior
concerteza!

angela disse...

Coisas estranhas acontecem.
abraços