segunda-feira, 6 de setembro de 2010

DEMOCRACIA(??????).

MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Em 64,os militares tomaram o poder sob o pretexto de preservar a democracia ameaçada por um presidente manipulado pelo radicalismo das esquerdas. O ato, inicialmente transitório visava devolver o poder aos civis e transformou-se no pesadelo da ditadura. Muitas injustiças foram cometidas em nome da democracia, lideranças foram suprimidas e a imprensa, amordaçada. Duas tendencias opostas ocorreram : liberdade X autoritarismo. Ulisses Guimarães, Tancredo Neves, dentre muitos democratas, partiram para a luta contra a ditadura. Outros como Dilma Rousseff, José Dirceu e Franklin Martins(atual assessor de imprensa do planalto), partiram para a clandestinidade, mantendo o autoritarismo na alma. A hipótese de que caminhamos para uma aventura antidemocrática, está nos dicursos:
Ao lado do presidente Lula, o ministro Franflin Martins, criticou a imprensa, afirmando que os jornais e emissoras de TV vão perder o controle sobre as notícias levadas à opinião pública, ao participarem do lançamento da TVT(Sind. Metalúrgicos/ABC), pois o canal ajudará a internet a quebrar o poder dos "aquarios", jargão idenficador da chefia das redações dos jornais. O inimigo é claro e declarado: a imprensa independente. Ou seja: a mesma que combateu a ditadura e que se opõe e se oporá sempre, aos novos ímpetos autoritarios que se dislumbram no pós-eleitoral. O projeto de controle das comunicações e das liberdades públicas, está em clara implantação. O governo atual esvaziou e desqualificou as agencias, concentrando seus esforços no Plano Nacional de Banda Larga, criando a Empresa Brasileira de Telecomunicações(TV Brasil),passando tambem a cuidar da Telebrás. A estratégia do poder consiste na ocupação total do território estatal das comunicações, a exemplo do Chávez. Já há algum tempo, que o governo vem tentando de todas as maneiras 'calar' a imprensa, inclusive mudando a lei e dispensando uma série de requisitos. Em suma: o que se avizinha e vislumbra-se para o futuro é uma: DEMOCRADURA.







Nenhum comentário: