sábado, 17 de abril de 2010

CENTRO ESPÍRITA & AFETO.

"Fundando-se o egoísmo no sentimento do interesse pessoal, bem dificil parece extirpá-lo inteiramente do coração humano. Chegar-se-á a consegui-lo?
"A medida que os homens se instruem acerca das coisas espirituais, menos valor dão as coisa materiais. Depois, necessário é que se reformem as instituições humanas que o entretêm e excitam. Isso depende de educação"(Livro dos Espíritos- questão 914).
O afeto, entendido como nutrição espiritual insubstituível e essencial, sempre será preventivo e profilático em todas as fases da vida. Entretanto, para o amadurecimento interior do ser, inicia-se uma etapa de vivência em que a vida exigirá maior soma de doação em contraposiçãoa às contíniuas esxpectativas de ser amado. O centro espírita, nesse interim, pode oportunizar a valorosa e preenchedora experiência do Amor auxiliando o homem na reeducação de suas tendências, no conhecimento de si, no exercício da solidariedade material e relacional e na supressão do personalismo, que permitirá o potencial afetivo dirigido a realizações nobres e gratificantes.
Caridade! O melhor exercício para a sensibilidade.
Atividades cooperativasa e solidárias realizadas em ambientes de bem-estar moral e espiritual serão fortes estímulos à força 'pusionar' do coração, muitas vezes aprisionadas pelas traumáticas lições socio-afetivas da presente existência, nas quais o autoritarismo e o medo foram instrumentos pedagógicos limitantes, provocando relações artificiais sob a constrição das "tiranias do coração", em larga escala adquiridas na infância. (Laços de Afeto).
"Na casa espírita devemos encontar esse espaço para "ser", já que a sociedade, em funçaõ do "ter", vem bloqueando os valores pessoais e as potências da alma. Será que já imaginamos o centro espírita como uma 'praça' de convivencia ou um núcleo formador da familia espiritual pelos vinculos do coração?. Precisamos dar encanto ao ambiente despírita,reinventar sua proficiência. Reflitamos na fala do Espírito Verdade acima: "Preciso é reformar as instituições que entretêm o egoísmo". Grupos sadios não devem ser conduzidos como "todo uniforme", passivamente e regidos por diretrizes somente aprovadas pelos seus líderes, guardando semelhança com envelhecidas estruturas religiosas. A pedagogia do afeto é abertura para a riqueza dos sentidos individuais sem o personalismo dos desejos superiores, dos sonhos de cresciemnto moral, através dos quais o processo educativo será mais afetivo. A própria construção do saber espírita está fortemente vinculada às indiossincrasias, à diversidade interpretativa,com as quais enxergamos novosw ângulose exploramos com mais profundidade as temáticas de estudo. Precisamos assumir para nós as responsabilidades da hora, e declarar transparência e respeito quais são as emergências em nossas realizações espirituais. É incoerente a realidade atual que envolve a casa doutrinária!
Tanta profundidade filosófica em favor das carências humanas, verdadeiro celeiro de recursos para o "ser" integral e, no entanto, com uma estrutura deficiente no que tange a dar suportge e assessoria a seus componentes, quando o assunto é a vida interior e os esforços na luta auto-estima. Enquanto isso o trabalhador sofre dores psicológicas e emocionais sem revelar,ou ter essa chance de as revelar. Face a essa carêcia de respostas e horizontes, quando não se alcança o mínimo para prosseguir,penetra no desestímulo e o abandono dos ideias. Alem disso, frequentemente, busca-se enquadrar as dificuldades humanas nos domínios da obsessão e de anteriores existencias, alimentaaando imaginações férteis em mentes menos maduras, gerando um fanatismo sutil e incentivador de atavismos, negando o presente e deslocandoa realidade para o passado e a vida espiritual.(Ermance Dufraux).
Para agravar ainda mais, em núcleos diversos, instala-se um sistema de vigília da conduta alheia premiando as cobranças e atiçando os melindres em quase completo descaso com as limitaçõesw e fragilidades alheias. Impera o egoísmo. O resultado final de tudo isso é a perda dos frutos do Espiritismo no auto conhecimento, no fracasso dos relacionamentos nos grupos de atividade, a repressão da sombra interior e o quase estacionamento no crescimento pessoal. Não vivamos de lamentações e labutemos para mudar esse panorama existente em expressiva parcela de nossa seara. Como centro espírita pode ajudar no fortalecimento de laços de amor entre seus integrantes? Como pode auxiliar na dilatação de sensibilidade? Vejamos alguns pontos que desenvolveremos no transcorrer de Laços de afeto que constituem indicadores de qualidade das equipes doutrinárias:
-Motivar o espírito de equipe.
-Valorizar a capacidade cooperativa de qualquer pessoa.
-Promover através da delegação, criando o policentrismo sistêmico.
-Investir na capacitação do trabalhador como pessoa e ser social.
-Ensejar realizações específicas para a revitalização do afeto no grupo.
Valorosa será acontribuiçãoda casa doutrinária que facilitar a seus participantes a reflexão,a instução e os relacionamentos responsáveis, auxiliando o homem atordoado e infeliz da atualidade a assumir um compromisso consciente com a melhora de si mesmo através da reeducação dos sentimentos. A proposta da transformação íntima encontra nesse quesito do coração o seuponto essencial para as mudanças de rofundidade, já que o motivo causador da atual condição espiritual desse homem atordoado deve-se, acima de tudo, aos desvios afetivos de outrora,que sedimentaram reações emocionais destoantes com o sentimento de Amor autêntico, fonte de saúde e vitalidade para "ser".(Laços de Afeto).
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comenta):
È realidade que a maioria das Casas Espíritas quando tornam-se conhecidas do grande público e, possuem em suas fileiras tambem um determinado número de médiuns, o ego de dirigentes e trabalhadores ocupam maior espaço que o estudo, ensino e prática da Doutrina Espirita, constante do Evangelho e das informações prestadas pela Alta Espiritualidade, correndo assim o alto risco da descrença.



Um comentário:

Maria José disse...

Um centro espírita é um grupo coordenado por várias pessoas, que devem pautar sua conduta nos preceitos do Evangelho de Jesus. As pessoas que ali trabalham devem estar sempre orando e vigiando, para não serem instrumento da maldade de espíritos infelizes. Há pessoas que, por se sentirem mais fortes, decisivas e poderosas que as outras, e algumas, por apresentarem grande mediunidade, embriagam-se com a ilusão do poder, desrespeitando os direitos alheios. Onde há seres humanos, e mesmo que seja numa Casa Espírita, existe orgulho e vaidade. Mais importante que se preocupar com aqueles que ainda não aprenderam a lição socrática da humildade intelectual, é continuar a estudar a Doutrina, a praticar a caridade e a seguir os mandamentos de Jesus. Este post é fundamental para todos nós Espíritas. Parabéns pela publicação e pelo compartilhamento desse conhecimento. Grande abraço.