segunda-feira, 31 de agosto de 2009

ESPERANÇA em VERDE e VERDE & AMARELO.

Marina quer refundar PV e admite embate com Dilma:
Ao assinar neste domingo sua ficha de filiação ao PV, a senadora Marina Silva (AC) condicionou sua candidatura à Presidência ao que seus aliados chamam de refundação ética do partido e admitiu a possibilidade de confronto com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) numa eventual disputa eleitoral. Embora tenha chorado ao lembrar sua saída do PT, Marina reconheceu divergências com Dilma em matéria ambiental e rechaçou a ideia de trégua eleitoral.
"Não disse que não haveria um embate", reagiu ela, ao responder especificamente sobre o PT. "As diferenças serão explicitadas no processo. Obviamente já tem uma mais do que explícita, que é a questão da visão de mundo em relação à crise ambiental", reagiu.
Marina afirmou que o lançamento de sua candidatura dependerá da revisão programática e a reestruturação do PV.//(Fonte:BOL)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Não somos 'ptonisa" para advinhar-mos o futuro, muito menos donos de qualquer verdade. Êste desbafo em tom de alerta, prevê o surgimento de novo partido e por via de consequência, novas ideias. A ex-ministra do Meio-Ambiente, diz nas entrelinhas que: "aquele que for ético, honesto, bom caráter etc", terá espaço e guarida na nova 'visão" política e de enfrentamento d
as atuais condições e situações adversas em que puseram o Brasil. Parece-nos que neste caso, Marina Silva está sabendo aproveitar inteligentemente o espaço que tambem teve o PSOL da Heloísa Helena, que não soube montar no 'cavalo selado' que passou a sua frente. A lutadora Marina, está a repetir a célebre frase: "Quem for brasileiro, siga-me!"

sábado, 29 de agosto de 2009

CONVOCAÇÃO GERAL! CAMPANHA.

Em conjunto com o blog O MUNDO BY THAIS, que desenvolveu este 'logo', estamos convocando os blogueiros que querem e lutam por um Brasil mais justo, livre, democrático, ordeiro e progressista, para esta campanha:"BRAVA GENTE BRASILEIRA, LONGE VÁ TEMOR SERVIL!
Comemoramos o Dia da Independência do Brasil, resgatando nosso patriotismo adormecido e protestando contra os abusos, a corrupção e a impunidade de uma classe política que zomba e se lixa para nós. Repasse essa campanha adiante. Nosso país agradece".
4. Envie esta mensagem também para:

Senado Federal:Alô senado

http://www.senado.gov.br/sf/senado/centralderelacionamento/sepov/?page=alo sugestoes&area=alosenado

Câmara Federal:Fale com o deputado:

http://www.camara.gov.br/canalinteracao/faledeputado

Superior Tribunal Federal-Centro do cidadão:

http://www.stf.jus.br/portal/centralcidadao/enviarDadoPessoal.asp

Procuradoria Geralda União:

pfdc@pgr.mf.gov.br

Presidência da República-Fale com o presidente:

htp://sistemaplanalto.gov.lbr/fale2/index.php

INTELIGÊNCIA ou SAFADEZA?

Bolsa-ditadura a tesoureiro de Lula;
Amigo pessoal de Lula, Paulo Okamotto, 53, presidente do Sebrae, e ex-tesoureiro do presidente, vai receber uma grana preta (nossa) do Ministério da Justiça a título de indenização como “anistiado político”, diz o colunista Cláudio Humberto. Um alívio para quem pagou dívidas de Lula no PT e até R$ 26 mil da filha do presidente, Lurian, sem explicar até hoje exatamente como. Ele entrou com o pedido de anistia em 2003, cinco meses após a posse de Lula.
Militância precoce .Hoje aos 53 anos, o presidente do Sebrae nacional, Paulo Okamoto tinha apenas oito anos de idade quando se deu o golpe de 1964 e quinze anos quando o general Médici estava no governo. Ainda assim, conseguiu uma bolsa-ditadura” como “perseguido político.//.
MOMETOBRASILCOM.COM(Comentário)//.
O descalabro que exite neste país, não tem fronteiras. Todo mundo usa a "Lei Gerson":'levar vantagem em tudo que for possível. Anisiar alguem menor de idade? Só mesmo no Brasil. O país da corrupção desenfreada. êste é um dos motivos que levam as demais nações, terem a convicção que todo brasileiro é ladrão! E esta errônea imagem, torna-se uma nódoa. Levará bastante tempo para ser amenizada. Urge uma tomada enérgica de atitude por parte de todos nós. A resposta nas urnas poe ser o primeiro e decisivo passo.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

MAIS 8 MIL CONVIDADOS PARA "BANQUETES"!

Notícias :
Superavit primário cai e economia não é suficiente para pagar juros da dívida
As contas públicas ficaram abaixo da meta em julho e apresentaram os piores resultados desde 2001. De janeiro a julho, o governo economizou R$ 38,435 bilhões. O valor não é suficiente para pagar juros da dívida. Com isso, o endividamento saltou de R$ 1,25 trilhão, em junho deste ano, para R$ 1,28 trilhão em julho, o equivalente a 44,1% do PIB. O resultado do superavit primário nos sete primeiros meses do ano está em 2,25% do PIB e, no acumulado em doze meses até julho, está em 1,76%, abaixo da meta de 2,5% definida pelo governo.
Reportagem CBN
(Fonte:Cida Fraga http://cantinho_dos_sonhos.zip.net/)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Dizem que à noite, todos os gatos, são pardos! No caso do Brasil os políticos tambem. Ou melhor: os assaltantes da nação. As orgias políticas na calada da noite, que é mais tranquila, continuam . Foi aprovada nesta madrugada pela câmara dos deputados, o aumento de mais 8 mil vereadores em todo o país. PEC, que já havia sido aprovada no senado. Por esta razão, suplentes
e suplentes do suplentes, participaram dorante dos banquetes nas diversas câmaras municipais. O presidente Lula, continua batendo o pé, em não cortar os gastos públicos, como vimos na matéria acima. O ministro Mantega, sem a menor cerimônia vem à público dizer que está tudo sob controle e ocorre conforme o planejado. Mentira deslavada. Os fatos e dados o desmentem. Para aumentar o ridículo da sua atuação, acaba de levar segura 'atochada' do presidente, culpando-o da crise na Receita Federal. Enquanto a opinião pública focava atenções no senado, os deputados federais, agiam e, na velocidade cinco (a mais veloz) "c-r-é-u" no povo brasileiro.







E GANHEI MAIS UM PRÊMIO! ! !

E desta vez a bondosa honraria de terra cujo idioma é castellano: Venezuela. Gracias a Inês de Cuevas, uma gran lutadora en la batalha por la democracia y liberdad en toda Latino America.Com satisfação, divido e indico êste prêmio aos amigos: 1-Omundobythais.blogspot.com 2-(titudes Positivas)Paravivermelhoremaisfeliz.blogspot.com 3-Pinturaemtela.blogspot.com 4-Olhosdanatureza.blogspot.com 5-Falandoentreamigos.blogspot.com 6-Nilmaruas.blogspot.com 7-Osegredoflordeouro.blogspot.com 8-Cachorroluco.blogspot.com 9-(ontos, lendas e textos)Doroni.blogspot.com

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

DEBANDADA GERAL!

Mais 24 auditores da Receita Federal em São Paulo pedem exoneração.
Em São Paulo:
Vinte e quatro auditores fiscais da superintendência da Receita Federal em São Paulo que ocupavam cargos de confiança pediram exoneração nesta quarta-feira (26), segundo informações da Unafisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil). Entre eles está Clair Hickman, responsável pela fiscalização do setor bancário no Estado. Ontem, cerca de 30 auditores de São Paulo sinalizaram que pediriam o afastamento. As novas exonerações se somam à onda de demissões na Receita desde que a ex-secretária Lina Vieira foi demitida em julho deste ano. No começo desta semana, 12 integrantes da cúpula do fisco pediram exoneração, em resposta ao que eles classificam de ingerência política no órgão comandado pelo ministro Guido Mantega (Fazenda). O novo secretário da Receita, Otacílio Dantas Cartaxo, negou ingerência em entrevista coletiva ontem. Lina Vieira foi demitida por Mantega depois que a Receita divulgou comunicado classificando como irregular a transação feita pela Petrobras. Lina voltou a ocupar as manchetes depois de conceder entrevista ao jornal Folha de S.Paulo em que confirmava um encontro particular que tinha tido com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). Na reunião, a ministra teria pedido agilidade nas investigações de empresas ligadas à família Sarney. Dilma Rousseff nega que o encontro tenha ocorrido. Todos os 12 integrantes da cúpula que pediram exoneração foram indicados por Lina Vieira. Entre eles está Iraneth Weiler, que confirmou o relato de sua ex-chefe sobre um encontro reservado com Erenice Guerra, assessora de Dilma. Em efeito cascata, cerca de 60 pessoas em postos de chefia, distribuídas em 5 das 10 superintendências regionais, avisaram seus superiores que deixariam suas funções. Nesta quarta-feira, o ministro Guido Mantega disse que a fiscalização da Receita Federal funciona normalmente em todo o país. "É uma balela dizer que não estamos fiscalizando os grandes contribuintes. Há mais de dez anos existe um programa de fiscalização, que foi reforçado no meu comando", afirmou Mantega./(Fonte:OUL)//.
MOMENTOBRASILCOM,COM(Comentáio):
Verdadeira orgia de sonegações é imposta ao Brasil(sem trocadilhos), empresas de porte, grandes empresários, autarquias etc, vão continuar fraudando o 'fisco' com a conivência do ministro da fazenda e governo federal. Estes pedidos de exoneração em massa de funcionários da Receita Federal, atesta o absurdo da corrupção existente de um orgão de fiscalização, que deveria realmente punir infratores e coíbir a remessa de dinheiro para os paraísos fiscais.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

QUAL MELHOR RELIGIÃO?

Breve diálogo entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff e o Dalai Lama.
Leonardo Boff explica:
"No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos,
na qual ambos (eu e o Dalai Lama) participávamos,
eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico,
lhe perguntei em meu inglês capenga:
- "Santidade, qual é a melhor religião?" (Your holiness, what`s the best religion?)
Esperava que ele dissesse:
"É o budismo tibetano" ou "São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo."
O Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, me olhou bem nos olhos
- o que me desconcertou um pouco, por que eu sabia da malícia
contida na pergunta - e afirmou: "A melhor religião é a que mais
te aproxima de Deus, do Infinito".É aquela que te faz melhor."

Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta,
voltei a perguntar:
- "O que me faz melhor?"
Respondeu ele:
-"Aquilo que te faz mais compassivo" (e aí senti a ressonância tibetana, budista,
taoísta de sua resposta), aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado,
mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... Mais ético...
A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião..."

Calei, maravilhado, e até os dias de hoje
estou ruminando sua resposta sábia e irrefutável...
Não me interessa amigo, a tua religião ou mesmo se tem ou não tem religião.
O que realmente importa é a tua conduta perante o teu semelhante, tua família, teu trabalho, tua comunidade, perante o mundo...
Lembremos:
"O Universo é o eco de nossas ações e nossos pensamentos".
A Lei da Ação e Reação não é exclusiva da Física. Ela está também nas relações humanas. Se eu ajo com o bem, receberei o bem. Se ajo com o mal, receberei o mal.
Aquilo que nossos avós nos disseram é a mais pura verdade: "terás sempre em dobro aquilo que desejares aos outros".
Para muitos, ser feliz não é questão de destino. É de escolha.
(Pense nisso) .//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Para reflexão dos amigos leitores.



PRONTA PARA A LUTA.

Marina confirma filiação ao PV e se diz "mantenedora de utopias" RIO BRANCO (Reuters) - A senadora Marina Silva (AC) confirmou nesta segunda-feira que irá se filiar ao PV, naquilo que classificou como uma segundo passo da sua nova trajetória política, depois de deixar o PT, partido no qual militou por 30 anos. Se dizendo uma "mantenedora de utopias", a ex-ministra do Meio Ambiente diz que a filiação irá ocorrer em evento no próximo domingo, em São Paulo.
Sobre a possível candidatura à Presidência, Marina disse a jornalistas estar honrada pelo fato de o PV considerá-la "candidata prioritária", mas que qualquer anúncio oficial sobre isso só será feito, em 2010. "No momento, quero discutir um plano estratégico que contemple o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável para o Brasil que deve ser considerado a maior potência ambiental do planeta", argumentou. Mesmo não assumindo a candidatura, ressaltou que ela e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff --favorita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para sua sucessão-- têm visões muito diferentes sobre a estratégia de como realizar os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
"Os brasileiros é que têm que fazer o julgamento do que é melhor para o Brasil. Ela defende as ideias dela e eu defendo as minhas", disse, referindo-se a uma possível disputa eleitoral com Dilma.
MEIO AMBIENTE EM PAUTA .
Neste momento, disse Marina, o desafio é sensibilizar os partidos políticos e o Congresso Nacional para incluírem as diretrizes ambientais como prioritárias. "Não se pode pensar em desenvolvimento se essa questão não estiver permeando as ações internas programáticas dos partidos, nem fizer parte das ações essenciais de todos os ministérios de maneira integrada", argumentou. A ex-ministra elogiou os investimentos na política social feitos pelo governo Lula, mas ressaltou que "ninguém pode viver a vida inteira dependendo de Bolsa Família". E voltou a criticar a legislação artic
ulada pelo ex-ministro Mangabeira Unger, de regularização fundiária na Amazônia. "Não é possível que aqueles que cometeram irregularidades sejam beneficiados e os que seguiram o caminho correto prejudicados. Seria necessário apenas regularizar 7 milhões de hectares para os médios e pequenos agricultores e não os 77 milhões de hectares que beneficiarão os grandes latifundiários e conglomerados jurídicos." Marina agradeceu o presidente Lula por ter vetado um dos pontos da lei, mas reclamou que ele "não vetou o mais importante que dispensa a fiscalização das terras a serem regularizadas".!!!! Marina confirma filiação ao PV e se diz "mantenedora de utopias" (Fonte:YAHOO)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Se a minha interpretação estiver correta, Marina Silva de forma inteligente e educada, disse tudo aquilo que estava 'engasgado' ao mesmo tempo que mandou um recado para Lula, Dilma e demais puxa-sacos. A 'jungle-girl" pelo visto, está pronta para a batalha.



POR BAIXO dos "PANOS'!

CASO LINA & DILMA :
Muito além de uma desavença
.
Por Rolf Kuntz
.
Afinal, Lina Vieira foi demitida por ter contestado a Petrobras, por ter apertado a fiscalização de banqueiros e de outros grandes contribuintes, porque o presidente Lula a culpou pela perda de arrecadação ou por todos esses motivos? O caso Lina Vieira não acabou e não se esgota na polêmica da ex-secretária da Receita Federal com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rouseff, acusada de tê-la pressionado para "agilizar" a investigação sobre um filho do presidente do Senado, José Sarney. Saber quem mente nessa história pode ser importante. Mas pelo menos tão importante quanto isso é esclarecer quem teve influência no afastamento da secretária e quais as consequências de sua substituição. Dois jornais se ocuparam da nova Receita, em matérias publicadas no sábado (22/8). Seguiram caminhos próprios e ofereceram ao leitor perspectivas bem diferentes a respeito dos fatos. //.(Fonte:Obs.da Imprensa)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Ao que tudo indica, estas e outras questões estão bem longe da elucidação. O governo federal tentará de todas as formas possíveis levar o máximo de tempo para respondê-las. Há muito lixo embaixo do tapeteemuita corrupção por baixo dos panos. Enfim muita grana desviada.











segunda-feira, 24 de agosto de 2009

PARABÉNS A REINALDO AZEVEDO!

LINA, O CASO MANTEGA E O BLOGUEIRO PETISTA INDEPENDENTE…
Reportagens, quando cumprem o seu papel, não podem ser caracterizadas, na sua intenção, como contrárias ou favoráveis a quem quer que seja. Os fatos que elas relatam é que eventualmente contribuem para reforçar ou minar a credibilidade de um político — os fatos, eles sim, podem ser contrários ou favoráveis à reputação das personagens da notícia. A VEJA desta semana informa, com a confirmação do próprio Guido Mantega, que o ministro da Fazenda, ex-chefe imediato de Lina Vieira, pediu à então secretária da Receita informações sobre a investigação feita nas empresas da família Sarney. Desta feita, foi ela que negou ter conversado com Mantega a respeito — provavelmente, para protegê-lo. Consta que, à diferença do que teria feito Dilma Rousseff, o ministro nada pediu. Quis dados da investigação e saber por que alguns deles haviam vazado. Bom pra Mantega? Digamos que seja melhor para ele do que está sendo para Dilma. O ocorrido, no entanto, reforça a informação de que a cúpula do governo estava especialmente interessada no caso da família Sarney. É evidente que, do ponto de vista político, complica um tantinho mais a situação da ministra porque torna a acusação de Lina ainda mais verossímil. Verossímil, mas também mais enrolada. Se a curiosidade de Mantega era absolutamente normal, corriqueira, não haveria razão para a ex-secretária negar o que o próprio ministro admite. Há coisas que não podem nunca se misturar. Um exemplo: polícia e política. Outro: fisco e política. Há uma urgência óbvia do governo em desarmar esse caso. A resposta do Gabinete da Segurança Institucional ao pedido feito pelo DEM, por intermédio da Câmara Federal, para ter acesso às imagens do Palácio do Planalto e à ficha de registro de veículos prova uma de duas coisas: ou essa gente perdeu completamente o senso de ridículo, ou Lula deve transferir a sede do governo para o Complexo do Alemão, já que qualquer chefe da bandidagem deve estar mais seguro do que o presidente da República. Reitero: estamos falando daquele que deveria ser o prédio mais bem-guardado do país. Se é possível entrar ali sem que a placa seja nem sequer anotada — “carro de autoridade” — e se há sobreposição de imagens numa velocidade que não acontece nem em alguns prédios residenciais, a maior autoridade do país está correndo riscos. Um soldado do aparato de segurança dar um tiro no outro, como já aconteceu, é pinto perto do que seria o esquema de proteção ao chefe do Executivo. O mecanismo para tentar desmoralizar Lina Vieira foi disparado. A conhecida máquina de sujar reputações espalhou, primeiro recorrendo aos que se prestam a fazer serviço sujo na Internet, que Lina é mulher do servidor Alexandre Firmino de Melo Filho, que foi ministro interino da Integração Nacional de 20 de agosto de 1999 a 17 de julho de 2000, na gestão FHC. E isso a tornaria, claro, naturalmente suspeita. Um dos que embarcam alegremente na versão é Ricardo Kotscho, que tem um blog. É uma gente mesmo sem limites. Vamos ver. Lina não se casou com Melo Filho depois que foi nomeada secretária da Receita. Já era casada. Gente chamada para assumir um cargo como o dela tem a ficha analisada pela Abin — a considerar alguns nomes, convenham, suspeito que é preciso ter folha corrida em vez de biografia, mas vá lá… Todos sabiam com quem ela era casada. Mais: Mantega a chamou para o cargo, e o próprio governismo espalhou isto por aí, porque queria pôr a Receita sob controle do lulo-petismo. Procurem o noticiário da época. Lina contava com o apoio da corrente sindical da área. Kotscho ajuda a espalhar a versão vigarista de que Lina é suspeita de estar a serviço dos tucanos, quando a verdade é o exato oposto: ela só foi nomeada porque os petistas consideravam que a Receita era “tucana” demais. Vejam que coisa espetacular: enquanto Lina não atrapalhava o PT, ter sido casada com ex-ministro interino era irrelevante; quando, ao que tudo indica, se negou a praticar uma ilegalidade, bem, aí ela se tornou suspeita. COROLÁRIO - Se ela não fosse ligada aos tucanos, não faria a denúncia. Lido de outro modo: tivesse simpatia pelo PT, ela ficaria calada. É… O juízo que essa gente faz de si mesma é exato. Kotscho, evidentemente, não se mede com a régua com que mede os outros. Se Lina, casada com um ex-ministro interino de FHC, era suspeita como secretária da Receita, por que ele próprio — ex-assessor de imprensa de Lula, seu amigo pessoal há décadas, com gente da família empregada na TV de Franklin Martins — é isento como jornalista? Em seu texto,
ainda antevê o fim dos jornais porque, parece, ele suspeita dos seus (deles) critérios. Ah… Bons são os critérios de Ricardo Kotscho.
De volta à Receita.
O que é que o governo queria na Receita? Um Cartaxo. E conseguiu. No sábado, informavam Leonardo Souza e Leandra Peres, na Folha:
“A pouco mais de um ano das eleições, o governo federal decidiu intervir na Receita e mudar o responsável por auditar o recolhimento de impostos das maiores empresas do país. Numa reunião tensa com a cúpula do órgão, o novo secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, avisou o subsecretário de Fiscalização “que não teria como segurá-lo” no cargo devido a pressões do ministro
Guido Mantega (Fazenda).”
Eis aí o tipo de jornalismo que o “blogueiro” Kotscho não gosta e acha que está acabando. Talvez volte a ter utilidade se um dia o PT deixar o poder.
* PS — Ah, sim: um leitor me mandou o link de sujeito se dizendo grato a mim e a Diogo porque, disse, fomos nós que lhe arrumamos emprego no governo. Segundo entendi, como uma de suas taras é nos atacar, isso virou critério de contratação. Não tem de quê. Mas ele é só um galo velho e irrelevante. //(Fonte:VEJA)//.

MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

A matéria é tão espetacular, tão elucidativa e tão completa que abstenho-me de comentar.

domingo, 23 de agosto de 2009

A CAMPANHA VAI ESQUENTAR.

Apoio de petistas a Sarney é insustentável, diz Marina .
Senadora compara disputa contra candidatura do PT a luta entre Davi e Golias.
Ela diz que nunca defendeu o criacionismo e, ao falar da descriminalização do aborto, afirma que questões de fé devem ser respeitadas .
.
Um dos argumentos que a senadora Marina Silva (AC) ouviu para não sair do PT foi que o lançamento de sua candidatura à Presidência poderia inviabilizar o "projeto histórico" do partido no qual militou por quase 30 anos. Lançou mão de personagens da Bíblia para comparar a candidatura Dilma Rousseff e uma candidatura pelo PV à luta entre o gigante Golias e Davi.
Na Bíblia, Davi vence. Marina, 51, insiste em que a decisão sobre sua eventual candidatura só será anunciada em 2010. FOLHA - Antes de mudar de partido, a sra. mudou de religião, de católica para evangélica. No ano passado, equiparou a teoria da evolução de Charles Darwin ao criacionismo, que atribui a origem da vida a Deus. Entre fé e ciência, a sra. fica com a fé?
MARINA SILVA - Houve um completo mal-entendido. Fui dar palestra em uma universidade adventista, que é uma faculdade confessional. A legislação brasileira permite as escolas e as faculdades confessionais, que têm o direito de fazer a abordagem do ensino a partir da perspectiva religiosa. Um jovem me perguntou o que eu achava de as escolas adventistas ensinarem o criacionismo. Respondi que, desde que ensine também a teoria da evolução, não vejo problema. A partir daí, as pessoas começaram a dizer que eu estava defendendo o criacionismo. Sou professora, nunca defendi essa tese e nem me considero criacionista. Porque o criacionismo é uma tentativa de explicação como se fosse científica para responder a questão da criação em oposição ao evolucionismo. Apenas acredito em Deus, é uma questão de fé. Nunca tive dificuldade em respeitar e me relacionar com os ateus, com pessoas que professam outras crenças ou outra forma de pensar diferente da minha. FOLHA - E essa fé a impede de discutir questões como a descriminalização do aborto? MARINA - Questões de fé e as convicções de cada um devem ser respeitadas. Não me envergonho de dizer que sou cristã e jamais tergiversaria sobre minha fé para ganhar simpatia de quem quer que seja. Seria capaz de perder todos os votos, de nunca mais ser eleita, mas nunca faria um discurso fácil. FOLHA - O PV já prepara festa para a sua filiação no dia 30. A sra. já disse que todos os partidos têm problemas. Qual é o maior do PV? MARINA - O primeiro deles é que o partido teve de se abrir para evitar perder o registro. Algumas pessoas se filiaram e até se elegeram sem identidade programática. FOLHA - O presidente do PV disse ter feito o convite à sra. para ser candidata ponderando que haveria muitas limitações de dinheiro e de espaço na televisão. Com quanto dinheiro se faz uma campanha? MARINA - Não sou candidata ainda, isso é em 2010. E tenho consciência dessas limitações. Inclusive, quando alguns companheiros me perguntavam como eu me sentiria se, porventura, a minha saída inviabilizasse o projeto histórico do PT, sobretudo na questão da inclusão social, eu dizia: acho que vocês estão superestimando. Se comparar o tempo de TV da candidatura do PT -o que significa o Bolsa Família, o PAC, o Luz para Todos, o que significa (o programa) Minha Casa, Minha Vida, ter um presidente com 80% de credibilidade, ter palanques de A a Z em 5.000 municípios, com uma militância de 1,6 milhão de filiados- com a de um partido pequeno, com menos de dois minutos na TV, sem palanques, é como se fosse uma luta de Golias contra Davi. Como não imagino que a candidatura do PT é Golias e nem tenho a pretensão de ser o Davi, só posso imaginar que a minha funda vai se lançar contra o Golias da desesperança, do pragmatismo. Tenho experiência nisso. Se fosse fazer cálculo em termos pragmáticos, nunca teria feito nada. O esforço é por aquilo que significa em termos de semeadura. FOLHA - O que não é sustentável hoje no Brasil?
MARINA - O próprio modelo de desenvolvimento, que tem origem numa visão equivocada de que os recursos naturais eram infinitos. Temos de aprender a lidar com essa limitação no sentido de criar novas práticas, novas oportunidades, nova relação de produção e consumo.FOLHA - É sustentável o apoio do PT a José Sarney? MARINA - Isso já se mostrou insustentável por tudo o que está acontecendo com o Congresso, com o governo, com o PT, e com o próprio presidente Sarney. No meu entendimento, o melhor para a crise era o seu afastamento temporário, inclusive como forma de preservar a figura histórica de Sarney. FOLHA - Como entram na agenda da sustentabilidade os juros altos e a independência do Banco Central? MARINA - Os juros altos não são sustentáveis, obviamente, sobretudo em um país que precisa continuar crescendo. O Banco Central, na realidade do Brasil, já tem essa independência. FOLHA - A hidrelétrica de Belo Monte e BR-319 são sustentáveis? MARINA - Belo Monte está passando por um processo de licenciamento, que verificará se ela é sustentável. A BR-319, eu considero economicamente, ambientalmente e socialmente insustentável. FOLHA - O programa nuclear brasileiro é sustentável? MARINA - Nós temos outras fontes de energia. Alega-se que são caras. E, na verdade, são. Mas a nuclear também é cara. Com uma diferença: a energia eólica e da biomassa são caras mas são seguras, a nuclear é cara e não é segura. FOLHA - Quão sustentável é o Bolsa Família?
MARINA - É um programa importante na promoção da inclusão social. O problema apontado, com razão, é a questão da porta de saída, para que as pessoas tenham uma integração produtiva e não dependam da bolsa. Mas só é possível falar em porta de saída porque teve porta de entrada. Uma vez, uma pessoa reclamava que não quiseram fazer uma faxina pelo valor que ela se dispunha a pagar. "A culpa é dessa Bolsa Família", dizia. Fiquei feliz, porque, se não tivesse o Bolsa Família, a pessoa se aviltava a receber qualquer valor por seu trabalho. FOLHA - O pré-sal é sustentável? MARINA - Os combustíveis fósseis são insustentáveis. O pré-sal tem de ser visto com os cuidados para que não façamos a apologia do recurso em si. É preciso que parte dos recursos obtidos sejam drenados para compensar os danos ambientais das emissões de CO2.//(Fonte:Folha/Marta Salomon)//.

A AMIGA DO PINÓCCHIO.

A pequena mentira que aborreceu Stálin .
A relação agreste de Dilma Rousseff com a verdade custou-lhe sossego e poderá custar a candidatura .A MINISTRA Dilma Rousseff tem uma relação agreste com a verdade e isso vem lhe custando o sossego, podendo custar a candidatura à Presidência da República. Nosso Guia desafiou Lina Vieira ("essa secretária") a mostrar sua agenda para provar que se encontrara com a ministra Dilma Rousseff. A servidora estimou que o encontro pode ter ocorrido no dia 19 de dezembro passado, mas anotação na agenda parece que ela não tem. É Lina Vieira quem precisa provar que esteve no Planalto e até agora tem o suporte da memória de sua chefe de gabinete. Outro servidor capaz de recordar a data do interesse pelo caso de Fernando Sarney era o diretor de fiscalização, Henrique Freitas, que ficou com a cabeça a prêmio. A ausência da data do crime leva água para a teoria segundo o qual o encontro não ocorreu. É a palavra de uma contra a da outra. A repórter Leila Suwwan foi conferir a agenda da ministra no final de dezembro de 2008 e descobriu que os encontros e eventos incluídos no sítio do Palácio do Planalto estavam embaralhados, misturando dias e cerimônias. Desapareceram os dados do dia 19 de dezembro. Há um mês, o repórter Luiz Maklouf Carvalho mostrou que o currículo de Dilma Rousseff estava acelerado com um título inexistente. A ministra negou a autoria do documento, acrescentando uma correção acrobática: não é mestre nem doutora pela Unicamp, mas frequentou os cursos. Em 2006, ao ser entrevistada no programa "Roda Viva", ela ouviu o jornalista Paulo Markun ler sua biografia, informando que foi viver em Porto Alegre "depois de fazer doutorado em economia monetária e financeira". Agora Suwwan mostrou que sua agenda pública não merece fé. A Casa Civil atribui o sumiço do dia 19 a um erro ocorrido há meses, na transferência de dados. Quem quer acreditar nessa versão é obrigado a supor que aconteceu uma enorme coincidência. O aspecto agreste da relação de Dilma com a verdade está na crença de que há uma relação entre o poder e a consistência das versões que sustenta. Uma coisa é anexar títulos inexistentes, outra é fazer piruetas depois da exposição do erro. Uma coisa seria dizer que solicitou pressa à secretária da Receita na investigação das contas de Fernando Sarney. (Pressa, no caso, pode ser um fator neutro.) Outra é entrar numa discussão de agendas tendo a sua remendada.
Quem manda muito acha que pode tudo e, em alguns casos, prevalece enquanto tem o poder. Passa o tempo e a casa cai por conta de detalhes devastadores. Dois exemplos: Em janeiro de 1971, o ex-deputado Rubens Paiva foi preso e desapareceu. Os comandantes militares da ocasião contaram que ele estava sendo transportado por dois soldados da PE num Volkswagen quando o carro foi fechado numa estrada do Alto da Boa Vista. Seguiu-se um tiroteio, o prisioneiro saiu do Volks e embarcou num automóvel dos sequestradores. Tudo bem: faltava explicar como Paiva, com mais de 1,80 m, pesando em torno de cem quilos, sentado no banco de trás, saiu pela porta esquerda do Fusca, atravessando uma linha de tiro. Passaram-se 17 anos e o repórter Fritz Utzeri, com base na versão oficial, desmoralizou a farsa. Uma pequena mentira estragou a grande patranha. Outro caso, que aborreceu o generalíssimo Josef Stálin: em 1936 ele mandou sua polícia prender velhos bolcheviques, acusando-os de terem planejado um assassinato. Deu tudo certo, os presos confessaram, os juízes julgaram e o pelotão de fuzilamento liquidou o caso. Numa das confissões, um preso contou que participara do planejamento do atentado, em 1934, numa reunião no hotel Bristol de Copenhague. O Bristol fora demolido em 1917. Como escreveu Stálin: "Por que diabos vocês meteram o hotel nisso? Deviam ter dito que foi na estação ferroviária. Ela ainda está lá". Tanto os generais brasileiros de 1971 como o comissariado de 1936 acreditavam ter poder suficiente para desprezar detalhes. Num regime democrático, com imprensa livre (desde que fique longe dos áudios do Sarneystão), os pequenos truques produzem grandes desastres.
PURO-SANGUE
Sucessão presidencial é como nuvem e muda de forma a cada momento. Atualmente, o formato da chapa tucana tem José Serra na cabeça e Aécio Neves na vice. //(Fonte: Èlio Gáspari/Folha/SP/Brasil)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentpario):
E que os nobres amigos, comentem.

UMA OPINIÃO DE RESPEITO!

Um momento anormal
Falta de oposicionismo só pode traduzir-se para o eleitor como aprovação a Lula; falta de reparo, aprovação é.
O DESARRANJO no território da política é tão grande, tão tipicamente subdesenvolvido, que uma frase simples de uma possível candidata à Presidência, só por retomar o normal na democracia, soa como anormalidade. A meio de outra explicação de sua saída do PT para a pretendida candidatura oposicionista, Marina Silva disse que o governo deixa de "ouvir os apelos da sociedade ao dar mais destaque às preocupações com a manutenção da governabilidade em suas relações com o Senado". Mas nenhum dos que estão aí como candidatos a alguma coisa tem audácia, ou lá o que seja, para emitir um conceito contrário ao governo, a Lula e ao lulismo. Muito menos, ainda que de partido dito oposicionista, se possível candidato a presidente. Quando governadores, estão silenciados por verbas e copatrocínios de obras e programas. Também. Porque, tanto governadores como os outros, aspirantes à Presidência ou a governosestaduais,estão todos emudecidos e dobrados pelo medo de espicaçar os índices de popularidadede Lula. Ainda que obtenham proveitos dessa invalidação da política, vulgar no subdesenvolvimento gerador dos governos fortes, os praticantes desse oportunismo contribuem para a popularidade lulista que os atemoriza. A falta de crítica e de oposicionismo, por parte dos supostos contrários políticos e programáticos ao governo, só pode traduzir-se para o eleitoradocomo aprovação a Lula e seu governo. Falta de reparo, aprovação é. Então, ainda que para provocar, vem uma perguntinha: se José Serra, Aécio Neves, Ciro Gomes, e todos os candidatos não petistas a qualquer cargo, não têm reparos a fazer a Lula e seu governo, por que pretendem substitui-lo e substituir o PT? Nada justifica que queiram impedir o prosseguimento daquilo a que não têm reparo algum.
Presenças
Vai longe o rescaldo da recusa de averiguação das acusações ao senador José Sarney e da absolvição do senador Arthur Virgílio. Se, por exemplo, o senador Aloizio Mercadante de fato recuou da renúncia à liderança da bancada petista, no Senado, para preservar a vaga a candidato à reeleição, o que perdeu no eleitorado é incalculável, e o perdido na opinião pública, não.
A "carta de Lula" sobre a permanência de Mercadante só não é nada porque é ridícula. É um documento do não dizer, com a cara estampada do arranjo, para Lula evitar mais um constrangimento em seguida aos desligamentos de Marina Silva e Flávio Arns do PT. Irrevogável, para a opinião pública, é irrevogável. A opinião pública é literal. E a Mercadante não cabia senão sê-lo também, não só porque anunciasse sua "renúncia irrevogável" até com hora e discurso marcados, mas porque as circunstâncias impostas por Lula só lhe deixaram um modo de ser ético e coerente. O que Aloizio Mercadante mantém é a liderança que já lhe foi cassada. Curiosas são as manifestações indignadas com a absolvição de Arthur Virgílio. Achar injusta a absolvição de Virgílio por um Conselho de Ética que se reunia com a presença de Renan Calheiros, além de vários outros pendurados em processos muito graves, seria a própria injustiça. Virgílio não mentiu ao Senado, não lançou mão de notas fiscais falsas para encobrir do Senado os seus ganhos e posses inconfessáveis e não tem consequências de transas extracurriculares pagas por lobistas de empreiteira. Nem seus erros visaram a proveito próprio. E quando o senador Flávio Arns disse que a presença de Arthur Virgílio "é essencial no Senado", não disse barbaridade alguma. Virgílio é um dos dois ou três que dão combate de fato a Renan Calheiros, Romero Jucá e congêneres, preservando a pequena presença do oposicionismo que dá vida a um Senado. //.(Fonte:Jânio de Freitas/Folha/SP)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Por tratar-se de amigo e colega, deixaremos os comentários a cargo dos leitores.

DINHEIRO PELO 'RALO'.

O aquífero Guarani .
O USO RACIONAL dos recursos naturais tem sido um tema prioritário em minha vida de empresário. Dentre estes recursos, destaco a água doce, cujas reservas disponíveis nos rios e lagos do Brasil representam 12% do total do planeta. É um inestimável patrimônio -que se junta a outro ainda pouco conhecido, que são as águas subterrâneas do Sistema Aquífero Guarani, ou SAG. Trata-se de uma das maiores reservas do planeta, com mais de 1,1 milhão de km2, que se estende pelo subsolo de oito Estados brasileiros e de três outros países: Paraguai, Uruguai e Argentina. Só no Estado de São Paulo estima-se que suas águas sejam exploradas por mais de mil poços. O SAG é um aquífero cujas águas, bastante antigas, têm um volume estimado em torno de 40.000 km3. Mas a recarga natural anual é limitada, o que exige a definição deumpatamar sustentável de exploração, de modo a garantir o seu equilíbrio futuro. Há outras ameaças: de poluição das áreas de recarga, onde a água infiltra, porque muitas se localizam em plantações, sujeitas, portanto, à contaminação por fertilizantes e agrotóxicos; e da vulnerabilidade dos afloramentos (locais em que a água chega à superfície), onde ocorrem despejos de esgotos, implantação de aterros e lixões e deposição de resíduos industriais, entre outros. Para conservação do reservatório, há providências básicas que podem ser tomadas por todos, como: educação das pessoas para o uso consciente da água; proteção sanitária dos poços em operação, para que não funcionem como porta de entrada de poluentes, e tamponamento dos poços desativados. Nos últimos cinco anos, uma parceria entre os governos dos quatro países, o Fundo Global de Meio Ambiente, o Banco Mundial e a Agência Internacional de Energia Atômica resultou no investimento de quase US$ 30 milhões em estudos, investigações e implantação de projetos-piloto, visando ampliar o conhecimento técnico sobre as características do SAG. Foram também estabelecidos sistemas de informação e modelos institucionais que podem ser utilizados na sua gestão. Entretanto, após a conclusão deste trabalho, no final de 2008, o tema não pode sair da pauta dos quatro países, visando à continuidade de ações estratégicas e articuladas entre o setor público, universidades, centros de pesquisa, organizações não governamentais e setor privado. O momento positivo que foi criado não pode ser desperdiçado, e, como país de maior área sobre o aquífero, além de principal usuário de suas águas, cabe ao Brasil liderar esta agenda.//(Fonte: EMÍLIO ODEBRECHT/Folha/SP)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Estas pesquisas e estudos tambem não passam de cabides de empregos. Gasta-se ou melhor, embolsa-se muito dinheiro, pois os projetos em esmagadora maioria não saem do papel. Portanto,um tipio de enriquecimento internacional.

O PERIGO DO RETROCESSO.

A caneta e a bala .
- As sucessivas crises que a classe política atravessa, seja no Legislativo, no Executivo e até mesmo no Judiciário, colocam uma velha questão em debate: o poder, qualquer tipo de poder, é corrupto por natureza? Ou com outras palavras: o poder corrompe?
Já foi dito e reedito que sim, o poder corrompe e, em seu grau absoluto, corrompe absolutamente. Daí não se deve nem se pode concluir que o ocupante eventual do poder seja, em si, um corrupto. Pode até ser um anjo imaculado, mas o exercício do poder fatalmente o obrigará a transpor os limites da ética e a violentar muitas vezes a sua própria visão do mundo e de si mesmo. Foi mais ou menos o que Fernando Gabeira disse há pouco, com outras palavras, reconhecendo honestamente uma falta menor, atribuindo ao ocupante de um cargo público em qualquer esfera a sensação de que tudo lhe é permitido. Metaforicamente, o poder é uma caneta. Ela assina ou deixa de assinar tudo o que expressa o próprio poder. A alternativa, ainda no plano metafórico, é a bala. Juntas, caneta e bala formam a tirania. Ou seja, o poder em sua forma absoluta. Acho que ainda estamos na fase da caneta, embora já tenhamos passado pelo regime da bala. //.(Fonte:Carlos Heitor Cony).//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
O perigo, é que a tirania atual extropa a todos os limites de sensatez e paciência. E para retomar-se a normalidade, sejamos obrigados a retroceder para o regime da bala.

O NINHO DOS RATOS.

Casa de Zumbis.
BRASÍLIA - Na Presidência, José Sarney não tem condições de presidir sessão nenhuma, arrastando os pés tristemente do gabinete ao plenário sob uma nuvem de ostracismo. Sua voz e sua mão nunca mais vão parar de tremer na tribuna. Na liderança do PT, Aloizio Mercadante é um fantasma dele mesmo, numa função fantasma. Líder de uma bancada subjugada pelo Planalto e que se desfez em pedaços e em intrigas, ele não fala mais para seus pares petistas, nem para a base aliada, nem para a oposição. Na liderança do PSDB, o principal partido da oposição, Arthur Virgílio engaveta os seus discursos irados e recheados de um certo lustre intelectual para conviver hoje, amanhã e sempre com o depósito feito por Agaciel Maia para pagar hotel em Paris e com os milhares de reais que saíram do público para financiar o estudo privado de um amigo assessor. Sarney, Mercadante e Virgílio são zumbis de um Senado zumbi. Enão só do Senado, mas da política. Sarney, o veterano de fala mansa e conversa agradável, não teve mais condições de eleger a filha Roseana ao governo do Maranhão e levou um suadouro de uma delegada negra e estreante nas eleições no Amapá. Enfraquecido em seus três feudos -o Maranhão, o Amapá e o Senado-, vai se agarrar desesperadamente a Lula, ao preço da aliança formal do PMDB com Dilma. Mercadante, que se regozijava com a condição de senador mais votado do país, hoje já não dá para o gasto. Vêm aí as eleições para o governo de São Paulo, mas ninguém fala no nome do senador mais votado do Estado. Aliás, como veio o governo "do amigo" Lula, mas ninguém falou no seu grande assessor econômico para a Fazenda. E Virgílio, uma ilha nos mais de 80% de Lula no Amazonas, entrou na política como jovem brilhante e está para sair como neurótico estridente e inconsequente. É um resumo cruel. Mas, infelizmente, verdadeiro. //.(Fonte:Eliane Cantanhêde).//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
O tremor que a Eliane se refere, é o da falta de vergonha, decaráter, da consciência pesada ect.


O CAMINHO ERRADO: TIRO NO PÉ.

PT toma caminho errado.
O PT (Partido dos Trabalhadores) tomou o caminho completamente errado ao dar os votos necessários para arquivar os processos contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), no Conselho de Ética. Segundo Cruz, diante do desfecho que era inevitável, o PT preferiu ficar nas últimas semanas em uma guerra interna que só aprofundou o desgaste do partido.
Era um desfecho inevitável porque durante o governo Lula ninguém até aqui decidiu enfrentar o poder presidencial. Lula ficou bem maior que o PT, partido que hoje tem espalhado pelo governo federal inúmeros cargos que são obtidos exatamente porque tem lá no Palácio do Planalto o presidente Lula, ou seja, hoje o PT depende muito mais do chefe do que o contrário.//(FONTE; Valdo Cruz/Folhaonline):
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):

O medo alucinado de perder o apoio do PMDB levou Lula à dar um verdadeiro 'tiro no pé'. Em sua 'santa inteligência'(?) não permitiu enxergar mais longe. Agora com a saída da Marina Silva e a ameça(?) do Mercadante, contribuiu para que 'acordasse' e, para não se dar por vencido, profere mais umas das costumeiras pérolas:"Ninguem consegue dividir o PT. Nem eu consigo. O partido continua forte. A saída da Marina tambem não tira votos do partido". Somente os desavisados ou algum idiota para concordar com tais declarações. Mais uma vez o presidente perdeu boa oportuniadade de ficar calado.

PROCEDIMENTO CORRETO: STF/HOMOSSEXUAIS.

Cresce apoio à união estável entre homossexuais no STF .
A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) tem sinalizado ser a favor de reconhecer a possibilidade de união estável entre homossexuais e todos os direitos dela decorrentes, como a concessão de pensão e a permissão para adotar crianças. Há ministros que defendem que o STF deveria deixar claro que esses casais que convivem de forma contínua e duradoura formam uma família. Atualmente, há falta de sintonia nas decisões dos tribunais estaduais e de juízes dos 26 Estados e do Distrito Federal - as sentenças são totalmente diferentes a respeito do tema. Por causa dessa disparidade, ministros do STF pensam em unificar o assunto editando uma súmula que deveria ser seguida por todo o Poder Judiciário.
A constatação de que não há uma posição clara da Justiça sobre o tema aparece em pesquisa ampla realizada nos tribunais de Justiça pelo relator de uma das ações no STF, o ministro Carlos Ayres Britto. A reportagem do Estado teve acesso aos dados que integram a ação movida no Supremo pelo governo do Rio com o objetivo de obter do STF a declaração de que os mesmos direitos dados aos casais heterossexuais devem ser concedidos aos homossexuais em relação ao Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado. Ayres Britto pretende julgar a ação neste semestre. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. //.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Até que enfim parece que haverá o uso do bom senso pelo STF ao unificar o procedimento de julgamentos pelos juízes e magaistrados do país.(ver outro comentário no CPI-BRASIL.COM).




sábado, 22 de agosto de 2009

O DESAFIO do SOLITÁRIO ou LÁGRIMAS de CROCODILO?

Depois de recuar e permanecer na liderança do PT, desafio de Mercadante é tentar acordo com bancada rachada e com o PMDB .(Fonte:O Globo.com).//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
Dizem que o brasileiro só fecha a porta depois de roubado. E não poderia ser diferente com o Mercadante. Pagou para ver, e viu demais. Seu maior erro no entanto, foi o de recuar. Pagará um altíssimo preço em tudo que fizer doravante. Sua imagem pessoal e política foi degastada, arranhada e manchada. Perdeu a originalidade. Credibilidade e confiança, não se compra. Conquista-se. E isto foi perdido para sempre.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O PERFIL DA CANDIDATA À PRESIDÊNCIA.

Dilma - terrorismo e traição - REVISTA PIAUÍ
Dilma é filha de Peter Rousév, um búlgaro de olhos azuis que, no Brasil, mudou seu nome para Pedro Rousseff. Era advogado, mas ganhou dinheiro com obras na Siderúrgica Mannesmann.
Foi casada com Cláudio Galeno Linhares, hoje com 67 anos. Na época, Galeno pertencia ao Grupo Colina e defendia a luta armada. "Aprendi a fazer bomba na farmácia do meu pai", disse ele .
Vários depoimentos nesta reportagem comentam sobre a tortura praticada pelo regime militar, porém o trecho abaixo nos faz pensar : ***** "Serviu o Exército por três anos e, em l962, entrou na Polop. O golpe militar o pegou no Rio de Janeiro, enfiado até o pescoço na sublevação dos marinheiros. Foi um dos presos mantido no porta-aviões Minas Gerais e, depois, por cinco meses no presídio da ilha das Cobras. No fim do ano obteve um habea corpus, foi solto e voltou a Belo Horizonte. Trabalhou como repórter na sucursal do jornal Última Hora. Seu chefe era Guido Rocha, um dos principais líderes da Polop, que conhecera na cadeia. Rocha era contra a luta armada." (pág. 24). Pelo jeito o regime militar, ao menos naquele período, era bastante frouxo, em se tratando de um governo ditatorial, do contrário um preso político jamais se tornaria repórter de um jornal lido nas maiores capitais do país.
"... 'Dilma não participava dos assaltos porque ela era conhecida pela sua atuação pública.' (comentário de Maria José, casada com um dos militantes chamado Jorge Nahas). As tarefas dela no Colina estavam ligadas à feitura do jornalzinho O Piquete, à preparação de aulas sobre marxismo e contatos com sindicatos. Teve também aulas sobre armamentos, tiro ao alvo, explosivos e enfrentamentos com a polícia." (pág.25) Sobre o advogado Gilberto Vasconcelos (que a ministra chama de Giba e a conheceu num desses cursos de revolução, como ele mesmo disse): "Sua tarefa, no começo de l969, era a preparação de um assalto a uma agência do Banco do Brasil. Até janeiro daquele ano, o Colina contabilizava, em Minas, quatro assaltos a bancos, uma meia dúzia de carros roubados e dois atentados a bomba, sem vítimas (por sorte, é claro), a residências de autoridades locais." (pág. 25). NOTA: o filho de Gilberto Vasconcelos, Giba para os íntimos, é hoje subchefe para assuntos jurídicos da Casa Civil. (pág. 25)
Após o assalto ao Banco da Lavoura de Sabará, o cerco começou a apertar. Dilma e Galeno começaram a tomar mais cuidado e passaram a dormir cada noite em um lugar diferente. Uma de suas providências foi dar fim aos documentos que os pudessem ligar ao Colina que, mais tarde, se uniu a um outro grupo, o Vanguarda Popular de Palmares-VPR.
O novo grupo, VPR - Primeiro artigo de seu estatuto: A Vanguarda Armada Revolucionária-Palmares é um organização político-militar de caráter partidário, marxista-leninista, que e propões a cumprir todas as tarefas da guerra revolucionária da construção do Partido da Classe Operária, com o objetivo de tomar o poder e construir o socialismo. (pág.25)
Assalto à casa da amante de Ademar de Barros, que foi considerado um plano de grande ação: "... veio a ser, em 18 de julho de l969, a mais espetacular e a mais rendosa de toda a luta armada: o roubo de 2,5 de dólares... Nem Dilma nem Araújo participaram da ação, mas ambos estiveram envolvidos na sua preparação." (pág. 27). Segundo a reportagem a fortuna que roubaram não evitou que o grupo VAR-Palmares se dividisse, pois os "basistas" e "militaristas" não se entenderam. Terá sido por suas convicções que não se alinhavam ou será que foi justamente tal fortuna que desmontou o grupo?
O dinheiro roubado: "Começou a disputa pelo botim: o dinheiro do cofre e as armas." Depoimento de Carlos Araújo ao Dops: "Nele, disse que fiou em seu poder 1,2 milhão de dólares dividido em três malas de 400 mil dólares cada uma", e que o dinheiro ficou cerca de uma semana "em um apartamento situado à rua Saldanha Marinho, onde também morava Dilma Vana Roussef Linhares". Araújo não quis comentar o depoimento ao DOPS. E nem outros, como um de Espinosa, que fala em 720 mil dólares terem ficado com a organização, ou um de outro militante, que chega à soma de 972 míl dólares. "É impossível chegar a uma conclusão sobre isso, que não tem mais importância nenhuma", disse Araújo.(pág. 27) Pode não ter importância para eles, que não tinham nem têm compromisso algum com coisa nenhuma. Mas tem para nós, que estamos diante de uma candidata à Presidência da República que já foi mentora de assaltos e bombardeios.
Outros trechos que merecem destaque:
Num dos inquéritos é dito que Dilma Rousseff manipulava grandes quantias da VAR-Palmares. É antiga militante de esquemas subversivo-terroristras. Outrossim, através de seu interrogatório, verifica-se ser uma das molas mestras e um dos cérebros dos esquemas revolicionários postos em prática pelas esquerdas radicais. Apelidos que davam a Dilma Rousseff, que estão em relatórios: Joana D'Arc da Subversão, papisa da subversão, criminosa política e figura feminina de expressão tristemente notável. (pág. 27) *** Depois do racha, Dilma foi enviada a São Paulo. Ela tinha um problema prático a resolver: esconder em melhores condições de segurança um monte de armas que estavam em risco em apartamentos pouco seguros. Dilma mudara-se para uma pensão precária, de banheiro coletivo, na avenida Celso Garcia, Zona Leste. Dividia um quarto com Maria Celeste Martins, hoje sua assessora. Na entrevista de 2003 , Dilma contou o que elas duas fizeram: Eu e a Celeste entramos com um balde; eu me lembro bem do balde porque tinha munição. As armas, nós enrolamos em um cobertor. Levamos tudo para a pensão e colocamos embaixo da cama. Era tanta coisa que a cama ficava alta. ... Tinha metralhadora, tinha bomba plástica. Contando isso hoje, parece que nem foi comigo. (PARECE, SIM, CARA PÁLIDA!!!)
Na página 28 está a narração do episódio em que Dilma traiu seu amigo de milícia:
Dilma tinha encontros regulares com Natael Custódio Barbosa, que participara das greves operárias de l968 em Osasco. "Dilma era uma companheira muito séria e dedicada, que acreditava no que estava fazendo." disse-me Barbosa na sua casa, em Londrina, onde é caminhoneiro e vive com a mulher e três filhos. (pág. 28). No final de janeiro de l970, Barbosa foi ao encontro que haviam marcado, às cinco da tarde, na movimentada rua 12 de Outubro, na Lapa. Ele vinha numa calçada, do lado oposto e em sentido contrário ao que ela deveria vir. Quando a viu, de braços cruzados, atravessou a rua, passou por ela sem dizer nada, andou uns vinte passos e, sem desconfiar de nada, voltou. "Voltei, encostei do lado dela e perguntei se estava tudo bem", contou Barbosa, emocionadíssimo." Ela fez cara de desespero e eles caíram imediatamente em cima de mim já me batendo, dando coronhadas e me levando para o camburão, e depois pra o Oban." *** E prosseguiu: "Nunca mais a vi. Ela me entregou porque foi muito torturada, e eu entendo isso. Acho que me escolheu porque eu era da base operária, não conhecia liderança nenhuma da organização e não tinha como aumentar o prejuízo. (pág. 28)
Em maio do ano passado, ao se defender por ter preparado um dossiê que vasculhava os gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a Ministra Dilma Rousseff disse: "Me orgulho de ter mentido porque salvei companheiros da mesma tortura e da morte." Pois o caso de Natael Barbosa desmente sua oratória junto aos políticos que a aplaudiram na ocsião.
Interessante:
- José Olavo Leite Ribeiro atuava na liderança do VAR-Palmares. Esteve preso. Hoje é professor universitário e mora nos Jardins em São Paulo, um bairro de elite.
- Natael Barbosa, traído por Dilma Rousseff, fazia parte apenas da base operária do VAR-Palmares. Também esteve preso, e hoje é caminhoneiro. E aquela fortuna ? Em que bolso foi "investida" ?
OBS: A Revista PIAUÍ está nas bancas à disposição de quem quiser ter acesso à reportagem na ìntegra.//
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
E que os próprios leitores façam os comentários.

OS PODEROSOS È QUEM FAZEM AS LEIS!

A Câmara não cumpriu ontem a liminar do STF (Supremo Tribunal Federal) que autorizou a Folha a ter acesso às notas fiscais apresentadas pelos deputados para justificar gastos com a verba indenizatória. Alegou que a decisão estava sob análise do departamento jurídico e que o presidente Michel Temer (PMDB-SP) não foi notificado, porque viajou para São Paulo. A Câmara deve recorrer hoje da decisão. Autor da liminar, o ministro Marco Aurélio Mello disse que, enquanto um recurso não for julgado, a decisão tem que ser cumprida. "O dia que disserem que não vão cumprir uma decisão judicial nós podemos fechar o país para balanço", afirmou. Ele defendeu que "tudo o que diga respeito à coisa pública deve estar na vitrine".
A Folha moveu mandado de segurança contra a Câmara após ter dois pedidos formais de acesso às notas negados. Por meio da assessoria, Temer disse que, se a liminar for mantida, a Câmara dará acesso à Folha às notas.//.(Fonte:BOL)//.
MOMENTOBRASILCOM.COM(Comentário):
A impunidade, traz consigo o 'se lixar', o 'relaxar e gozar',os risos de cinismo, etc etc. Os crimes de colarinho branco e de políticos vão perdurar ainda por muito tempo. Enquanto a opinião pública não partir para uma decisão energica. Com o respeito que nos merece o ministro Marco Aurélio, parece que ainda vive no passado e bem remoto. Após o regime militar, não nos lembramos de nenhum político, empresário ou algum cidadão rico, tenha cumprido leis ou sofrido alguma pena. Portanto senhor Ministro, há muito tempo o país teria que ser fechado não só para balanço, como tambem para expurgar corruptos, coruptores e quem permite tal situação.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O FALECIMENTO.

"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida...
Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:
"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".
No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:
- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?
- Ainda bem que esse infeliz morreu !
Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.
A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"?
No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pess
oa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA."
O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".
Luís Fernando Veríssimo.


UM POLÍTICO e HOMEM de VALOR!




Decisão do Conselho de Ética a favor de Sarney gera crise na bancada do PT. Flávio Arns(PR/PR) anuncia que vai deixar o partido.
"Fico sem mandato,mas não fico no PT. Não estou nervoso nem decepcionado, estou envergonhado. Profundamente envergonhado!
MOMENTOBRASILCOM.COM(C0mentário):
Bravo! Bravo! senador! Homens de bem tomam êste tipo de atitude. Provam suas indignações, repudiam ações indecorosas, não compactuam com bandalheiras. Homem com "H" e todas as letras maiúsculas. PARABÉNS!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

DEPOIMENTO COM 'TOM' DUVIDOSO.

Depoimento de Lina na CCJ agrada base governista .
Senadores da base do governo demonstraram contentamento com o depoimento da ex-secretaria da Receita Federal Lina Maria Vieira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Os parlamentares avaliam que ela não trouxe provas do suposto encontro com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, não se lembra da data da suposta reunião e negou que se sentiu pressionada. Lina prestou depoimento sobre declarações em que ela diz ter ouvido da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pedido para acelerar investigações da Receita sobre a família Sarney.Os senadores destacam ainda ao fato dela ter lembrado que a Justiça havia determinado que a investigação sobre Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), fosse acelerada. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), questionou se o "agilizar" da Justiça tinha para ela o mesmo significado do "agilizar" da ministra Dilma. "Entendi que era para dar celeridade", respondeu Lina. De acordo com Jucá, o depoimento de Lina mostra que houve um mal entendido no episódio. Ele aproveitou para provocar os senadores oposicionistas. "A oposição está nervosa porque a reunião não está atingindo os objetivos dela (da oposição)." Após o depoimento, Jucá deixou a CCJ, dizendo que iria almoçar para depois comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. A senadora Ideli Salvatti (PT-SC) também afirmou que Lina não trouxe provas e que caberia à ex-secretária da Receita comprovar o encontro com Dilma. Segundo ela, Lina recuou em relação à entrevista dada ao jornal "Folha de S.Paulo", em que vinculou o suposto pedido de Dilma à sucessão da presidência do Senado, que seria disputada por José Sarney. De fato, na CCJ, Lina não associou uma coisa à outra, mas por outro lado, reafirmou o que disse ao periódico. O senador Renan Calheiros, líder do PMDB, por sua vez, se disse "feliz" com o depoimento de Lina, destacando que ela não se lembra da data do encontro e de que a suposta reunião não está registrada em sua agenda nem da ministra da Casa Civil. "É preciso comemorar a sua vinda", afirmou.//(Fonte:YAHOO).//.
MOMENTOBRASILCOM.COM)Comentário):
Hoje, tive o cuidado de deixar programado e em velocidade, lenta quase parando(6h de gravação), o velho, mas, utilíssimo 'video-cassete" para gravar os acontecimentos durante o depoimento da ex-secretária da Receita. De início, precisei segurar o estômago, para não vomitar oa assistir omeloso e nojento 'dscurso' do Renan. Tenho absoluta certeza que a depoente, sofreu gigantesca pressão ou ameça. A segurança das entrevistas e declarações anteriores, deixa-me com muitas pugas atrás da orelha. Até um cego, ao ouvir o depoimento terá suas dúvidas. E aí, é que mora o perigo!