quinta-feira, 21 de maio de 2009

E OS MOTIVOS DA CPI, CONTINUAM.

Empresa acusada de fraude tem contratos com Petrobras
Iesa afirma que não é ré em nenhum processo criminal; estatal não se manifestou
Companhia faz parte de consórcio que fez proposta de US$ 1,65 bilhão para construir plataforma e tem outro contrato de R$ 190 mi .
De Fábio Zanini, Lucas Ferraz e Sérgio Torres:
Acusada de integrar esquema de fraudes em licitações da Petrobras pela Operação Águas Profundas, da Polícia Federal, a Iesa Óleo e Gás mantém pelo menos um contrato milionário com a estatal, firmado após o surgimento das denúncias. A Iesa também ganhou a concorrência para a construção da plataforma petrolífera P-63.
Especializada em construção e reparo de plataformas, a empresa assinou em julho de 2008 um contrato de cinco anos no valor de R$ 190 milhões com a Petrobras,
mesmo tendo dois diretores respondendo a processo criminal em conexão com a operação da PF.
Já a licitação foi vencida em dezembro do ano passado pelo consórcio Quip S/A, do qual a Iesa faz parte, com a proposta de US$ 1,65 bilhão para a construção da plataforma.
A Operação Águas Profundas, de 2007, é um dos fatos usados como argumento para a criação na semana passada da CPI da Petrobras, no Senado.
Na época, a Iesa foi acusada de comprar dados privilegiados de outra empresa, a Angraporto, para ter mais chances de vencer concorrências. A Angraporto, por sua vez, teria pago propina a funcionários da estatal, segundo a acusação.(Fonte:R.Noblat/Folha/Bol).

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Causa-nos 'asco' a relutância do presidente Lula em não permitir a instalação da CPI na Petrobras. Os fatos se sucedem minuto a minuto. Será 'intriga da oposição' os acontecimentos noticiados pela imprensa? Será que nada disto é verdadeiro? Tenha 'santa paciência'. Evitar que o 'leite seja derramado', é uma coisa. Desmentir fatos, é impossível. Querer 'tapar' o solcom peneira, é burrice, é falta de ética.







Nenhum comentário: