quinta-feira, 14 de maio de 2009

E HAJA CORRUPÇÃO!!!

14/05/2009 - 19h42
Resistência do Senado em criar CPI da Petrobras causa discussão no plenário
A discussão sobre a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a Petrobras motivou nesta quinta-feira um bate-boca que durou mais de uma hora no plenário do Senado. O líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), cobrou a criação da comissão para apurar denúncias de procedimentos irregulares em pagamento de tributos e fraudes em licitações. O senador Mão Santa (PMDB-PI) e o primeiro-secretário, Heráclito Fortes (DEM-PI) --que se revezaram na presidência-- se recusaram a oficializar a CPI.Após o líder do PSDB anunciar que o vice-presidente do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO), iria retornar a Casa para ler a criação da CPI, Heráclito passou a presidência da sessão para a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), que ignorou os apelos da oposição e encerrou a sessão. Virgílio ainda tentou assumir a presidência, mas foi impedido por Heráclito.O primeiro-secretário convocou uma reunião de líderes para a próxima segunda-feira para rediscutir o assunto. Durante o debate, Virgílio questionou a validade do acordo fechado hoje entre líderes de governo e oposição e que teria suspendido a criação da comissão até que o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, prestasse esclarecimentos ao plenário do Senado.O líder tucano argumento que o PSDB não estava representado na reunião que discutiu o adiamento da CPI. A audiência para ouvir Gabrielli está prevista para o próximo dia 25. O primeiro-secretário argumentou que a maioria dos líderes estava presente e, portanto, só o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ou o vice-presidente, poderiam anunciar a quebra do acordo e a criação da CPI.A oposição reuniu 32 assinaturas --eram necessárias 27. "Não há motivo para adiar a criação desta CPI. É um direito das minorias. O acordo independe do nosso direito de vê a CPI instalada. Nós encaminhamos diversos pedidos de esclarecimentos ao senhor Gabrielli e ele não respondeu", disse.O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) também pressionaram. "Não queremos CPI contra a Petrobras. Somos a favor da Petrobras, do corpo técnico, do mercado, da importância, do que a Petrobras faz. Agora nenhuma direção está fora da linha de investigação. Por que não investigar a Petrobras? Vamos fazer uma investigação segura, seria e espero do governo o mesmo. E que o governo não coloque uma tropa de choque, mas gente seria que queira investigar", afirmou Guerra.Heráclito manteve a posição e chegou a ironizar a situação. "Imagina se o ex-senador Antonio Carlos Magalhães entrasse aqui, não iria entender nada. Eu estou sendo criticado pelo PSDB , disse.//
(Fonte:BOL).
MOMENTOBRASIL.COM(comentário)
A matéria acima deixa 'cristalino' o terror de muitos deputados, que a corrupção e as maracutais envolvendo a Petrobras, ANP e todas as autarquias e orgãos interligados, passem por uma CPI. Tem que passarem sim. Que seja instalada uma verdadeira Comissão Parlamentar de Inquéritos(ampla e profunda). Não uma 'comissão para inglês(ver). È grana para ALI BABÁ e seus quarenta ladrões nenhum botar defeito.

Nenhum comentário: